Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
2

A queda de Nínive

21O destruidor avança

contra você, Nínive!

Guarde a fortaleza,

vigie o caminho,

prepare-se para lutar,

reúna todas as suas forças!

2Porque o Senhor restaurará

a glória de Jacó,

como a glória de Israel;

2.2
Is 60.15

porque saqueadores os saquearam

e destruíram os seus ramos.

2.2
Sl 80.12-13

3Os escudos dos seus heróis

são vermelhos;

os homens valentes

vestem escarlate.

Os carros de guerra

brilham como fogo

no dia da sua preparação,

e as lanças são agitadas.

4Os carros de guerra passam

furiosamente pelas ruas

e se cruzam velozes pelas praças;

parecem tochas,

correm como relâmpago.

5Os nobres são chamados,

mas tropeçam no seu caminho;

apressam-se para chegar à muralha

e preparam a defesa.

6As comportas dos rios se abrem,

e o palácio é destruído.

7Está decretado:

a cidade-rainha está despida,

levada em cativeiro;

as suas servas gemem

como pombas

e batem no peito.

8Nínive, desde que existe,

tem sido como um tanque de águas;

mas, agora, o seu povo foge.

Alguém grita: “Parem! Parem!”,

mas ninguém se volta.

9Saqueiem a prata,

saqueiem o ouro,

porque os tesouros não têm fim;

a cidade está repleta de objetos de valor.

10Vazio, desolação, ruína!

O coração se derrete,

os joelhos tremem,

acabam-se as forças,

e o rosto de todos empalidece.

11Onde está, agora,

o covil dos leões

e o lugar onde os leõezinhos

se alimentavam,

onde passeavam o leão,

a leoa e o filhote do leão,

sem que ninguém os espantasse?

12O leão arrebatava o bastante

para os seus filhotes,

estrangulava a presa

para as suas leoas,

e enchia de vítimas

as suas cavernas,

e os seus covis, de rapina.

13“Eis que eu estou contra você”,

diz o Senhor dos Exércitos;2.13 Em hebraico, Javé Sebaot

“queimarei os seus carros de guerra,

a espada devorará

os seus leõezinhos,

arrancarei da terra a sua presa,

e nunca mais se ouvirá a voz

dos seus embaixadores.”

3

A ruína completa de Nínive

31Ai da cidade sanguinária,

3.1
Ez 24.6,9

toda cheia de mentiras e de roubo

e que não solta a sua presa!

2Eis o estalo dos açoites,

o estrondo das rodas,

o galope dos cavalos

e os carros que vão saltando!

3.2
Jr 47.3

3Os cavaleiros que esporeiam,

as espadas brilhantes,

as lanças reluzentes,

uma multidão de feridos,

massa de cadáveres,

mortos sem fim

— chegam a tropeçar

sobre os mortos.

4Tudo isso por causa

da grande prostituição

da bela e encantadora prostituta,

da mestra de feitiçarias,

que seduzia as nações

com a sua prostituição

e os povos, com as suas feitiçarias.

3.4
Ap 18.3

5“Eis que eu estou contra você”,

3.5
Na 2.13

diz o Senhor dos Exércitos.

“Levantarei as abas de sua saia

sobre o seu rosto,

3.5
Jr 13.26

e mostrarei às nações a sua nudez,

e aos reinos, as suas vergonhas.

3.5
Is 47.3

6Vou jogar sujeira sobre você,

tratá-la com desprezo

e transformá-la em espetáculo.

7Todos os que a virem

fugirão de você

e dirão: ‘Nínive está destruída!’

Quem terá compaixão dela?

De onde buscarei

quem a console?”

8Será que você é melhor

do que Tebas,

3.8
Jr 46.25
Ez 30.14

que estava situada junto ao Nilo,

cercada de águas,

protegida pelo mar

e tendo as águas por muralha?

9A Etiópia e o Egito

eram a sua força,

força sem limites;

Pute e Líbia eram seus aliados.

10Todavia, ela foi levada ao exílio,

foi para o cativeiro.

Também os seus filhos

foram despedaçados

3.10
Is 13.16
Os 13.16

nas esquinas de todas as ruas.

Sobre os seus nobres

lançaram sortes,

e todos os seus grandes

foram presos com correntes.

11Também você, Nínive,

será embriagada e se esconderá.

Também você procurará

um refúgio contra o inimigo.

12Todas as suas fortalezas

são como figueiras

com figos prematuros:

3.12
Is 28.4

é só sacudir a figueira,

que os figos caem na boca

de quem os há de comer.

13Eis que os seus soldados

são como mulheres.

Os portões do seu país estão

completamente abertos

para os seus inimigos;

o fogo destruiu as trancas.

14Tire água para o tempo do cerco,

reforce as suas fortalezas,

3.14
Na 2.1

entre no lodo e pise o barro,

pegue as formas para fazer tijolos.

15No entanto, você será

consumida pelo fogo

e exterminada pela espada

como folhas devoradas

pelos gafanhotos.

Multipliquem-se

como os gafanhotos!

Tornem-se tão numerosos como eles!

16Os seus negociantes eram

mais numerosos

do que as estrelas do céu,

mas como gafanhotos

bateram asas e voaram.

17Os seus príncipes eram

como gafanhotos,

e os seus chefes,

como gafanhotos grandes,

que pousam nos muros

em dias de frio;

quando o sol aparece,

voam embora,

e não se sabe para onde vão.

18Os seus pastores dormem,

ó rei da Assíria;

os seus nobres cochilam.

O seu povo está espalhado

pelos montes,

e não há quem possa ajuntá-lo.

19Não há remédio para o seu mal;

o seu ferimento é grave.

3.19
Jr 30.12

Todos os que ouvirem falar

do que aconteceu com você

baterão palmas.

3.19
Jó 27.23
Lm 2.15

Pois quem não foi vítima

da sua crueldade sem fim?