Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
4

A tentação de Jesus

Mc 1.12-13; Lc 4.1-13

41A seguir, Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado

4.1
Hb 2.18
4.15
pelo diabo. 2E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites,
4.2
Êx 34.28
teve fome. 3Então o tentador,
4.3
1Ts 3.5
aproximando-se, disse a Jesus:

— Se você é o Filho de Deus, mande que estas pedras se transformem em pães.

4Jesus, porém, respondeu:

— Está escrito:

“O ser humano não viverá só de pão,

mas de toda palavra que procede

da boca de Deus.”

4.4
Dt 8.3

5Então o diabo levou Jesus à Cidade Santa,

4.5
Ne 11.1
colocou-o sobre o pináculo4.5 O lugar mais alto do templo 6e disse:

— Se você é o Filho de Deus, jogue-se para baixo, porque está escrito:

“Aos seus anjos ele dará ordens

a seu respeito.

4.6
Sl 91.11

E eles o sustentarão

nas suas mãos,

para que você não tropece

em alguma pedra.”

4.6
Sl 91.12

7Jesus respondeu:

— Também está escrito: “Não ponha à prova o Senhor, seu Deus.”

4.7
Dt 6.16

8O diabo ainda levou Jesus a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles 9e disse:

— Tudo isso lhe darei se, prostrado, você me adorar.

10Então Jesus lhe ordenou:

— Vá embora, Satanás, porque está escrito:

“Adore o Senhor, seu Deus,

e preste culto somente a ele.”

4.10
Dt 6.13

11Com isto, o diabo deixou Jesus, e eis que vieram anjos e o serviram.

O começo do ministério na Galileia

Mc 1.14-15; Lc 4.14-15

12Ao ouvir que João tinha sido preso,

4.12
Mt 14.3
Mc 6.17
Lc 3.19-20
Jesus voltou para a Galileia. 13E, deixando Nazaré, foi morar em Cafarnaum,
4.13
Jo 2.12
situada à beira-mar, na região de Zebulom e Naftali. 14Isso aconteceu para se cumprir o que tinha sido dito por meio do profeta Isaías:

15“Terra de Zebulom,

terra de Naftali,

caminho do mar, além do Jordão,

Galileia dos gentios!

16O povo que vivia em trevas

viu grande luz,

e aos que viviam na região

e sombra da morte

resplandeceu-lhes a luz.”

4.15-16
Is 9.1-2

17Daí em diante Jesus começou a pregar e a dizer:

— Arrependam-se,

4.17
Mt 3.2
porque está próximo o Reino dos Céus.
4.17
Dn 2.44

Jesus chama quatro pescadores

Mc 1.16-20; Lc 5.1-11

18Caminhando junto ao mar da Galileia, Jesus viu dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André. Eles lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores. 19Jesus lhes disse:

— Venham comigo, e eu os farei pescadores de gente.

4.19
Lc 5.10

20Então eles deixaram imediatamente as redes e o seguiram.

21Pouco mais adiante, Jesus viu outros dois irmãos, Tiago, filho de Zebedeu, e João, o irmão dele. Eles estavam no barco em companhia de seu pai, consertando as redes; e Jesus os chamou. 22Então eles, no mesmo instante, deixaram o barco e seu pai e seguiram Jesus.

Jesus ensina e cura muitas pessoas

Lc 6.17-19

23Jesus percorria toda a Galileia,

4.23
Mt 9.35
Mc 1.39
Lc 4.44
ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do Reino e curando todo tipo de doenças e enfermidades entre o povo. 24E a sua fama correu por toda a Síria. Trouxeram-lhe, então, todos os doentes, acometidos de várias enfermidades e tormentos: endemoniados, epilépticos e paralíticos. E ele os curou. 25E da Galileia, de Decápolis, de Jerusalém, da Judeia e do outro lado do Jordão numerosas multidões o seguiam.

5

O sermão do monte

Caps.5—7

51Ao ver as multidões, Jesus subiu ao monte. Ele se assentou e os seus discípulos se aproximaram dele. 2Então ele passou a ensiná-los.

As bem-aventuranças

Lc 6.20-23

Jesus disse:

3— Bem-aventurados

os pobres em espírito,

5.3
Is 61.1

porque deles é o Reino dos Céus.

4— Bem-aventurados

os que choram,

5.4
Is 61.2

porque serão consolados.

5— Bem-aventurados os mansos,

5.5
Sl 37.11

porque herdarão a terra.

6— Bem-aventurados

os que têm fome

e sede

5.6
Is 55.1-2
de justiça,

porque serão saciados.

7— Bem-aventurados

os misericordiosos,

5.7
Pv 14.21

porque alcançarão misericórdia.

8— Bem-aventurados

os limpos de coração,

5.8
Sl 24.4

porque verão a Deus.

9— Bem-aventurados

os pacificadores,

porque serão chamados

filhos de Deus.

10— Bem-aventurados

os perseguidos

5.10
1Pe 3.14

por causa da justiça,

porque deles é o Reino dos Céus.

11— Bem-aventurados

5.11
1Pe 4.14
são vocês quando, por minha causa, os insultarem e os perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vocês. 12Alegrem-se e exultem, porque é grande a sua recompensa nos céus; pois assim perseguiram os profetas
5.12
2Cr 36.16
At 7.52
que viveram antes de vocês.

Sal e luz

Mc 9.50; Lc 14.34-35

13— Vocês são o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens.

14— Vocês são a luz do mundo.

5.14
Jo 8.12
9.5
Não se pode esconder uma cidade situada no alto de um monte. 15Nem se acende uma lamparina
5.15
Mc 4.21
Lc 8.16
11.33
para colocá-la debaixo de um cesto, mas num lugar adequado onde ilumina bem todos os que estão na casa. 16Assim brilhe também a luz de vocês diante dos outros, para que vejam as boas obras
5.16
1Pe 2.12
que vocês fazem e glorifiquem o Pai de vocês, que está nos céus.

Ensino a respeito da Lei

17— Não pensem que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, mas para cumprir. 18Porque em verdade lhes digo: até que o céu e a terra

5.18
Lc 16.17
passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra. 19Aquele, pois, que desrespeitar um destes mandamentos, ainda que dos menores, e ensinar os outros a fazer o mesmo, será considerado mínimo no Reino dos Céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no Reino dos Céus. 20Porque eu afirmo que, se a justiça de vocês não exceder em muito a dos escribas e fariseus, jamais entrarão no Reino dos Céus.

Ensino a respeito da ira

21— Vocês ouviram o que foi dito aos antigos: “Não mate.”

5.21
Êx 20.13
Dt 5.17
E ainda: “Quem matar estará sujeito a julgamento.” 22Eu, porém, lhes digo que todo aquele que se irar contra o seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem insultar o seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem o chamar de tolo estará sujeito ao inferno de fogo. 23Portanto, se você estiver trazendo a sua oferta ao altar e lá se lembrar que o seu irmão tem alguma coisa contra você, 24deixe diante do altar a sua oferta e vá primeiro reconciliar-se com o seu irmão; e então volte e faça a sua oferta.

25— Entre em acordo sem demora com o seu adversário, enquanto você está com ele a caminho, para que o adversário não entregue você ao juiz, o juiz entregue você ao oficial de justiça, e você seja jogado na prisão. 26Em verdade lhe digo que você não sairá dali enquanto não pagar o último centavo.

Ensino a respeito do adultério

27— Vocês ouviram o que foi dito: “Não cometa adultério.”

5.27
Êx 20.14
Dt 5.18
28Eu, porém, lhes digo: todo o que olhar para uma mulher com intenção impura, já cometeu adultério com ela no seu coração.

29— Se o seu olho

5.29
Mt 18.9
Mc 9.47
direito leva você a tropeçar, arranque-o e jogue-o fora. Pois é preferível você perder uma parte do seu corpo do que ter o corpo inteiro lançado no inferno. 30E, se a sua mão
5.30
Mt 18.8
Mc 9.43
direita leva você a tropeçar, corte-a e jogue-a fora. Pois é preferível você perder uma parte do seu corpo do que o corpo inteiro ir para o inferno.

Ensino a respeito do divórcio

Mt 19.1-9; Mc 10.1-12; Lc 16.18

31— Também foi dito: “Aquele que repudiar a sua mulher deve dar-lhe uma carta de divórcio.”

5.31
Dt 24.1-4
Mt 19.7
Mc 10.4
32Eu, porém, lhes digo: quem repudiar a sua mulher, exceto em caso de relações sexuais ilícitas, a expõe a se tornar adúltera; e aquele que casar com a repudiada comete adultério.
5.32
Lc 16.18
1Co 7.10-11

Ensino a respeito de juramentos

33— Vocês também ouviram o que foi dito aos antigos: “Não faça juramento falso,

5.33
Lv 19.12
mas cumpra
5.33
Nm 30.2
Dt 23.21
rigorosamente para com o Senhor o que você jurou.” 34Eu, porém, lhes digo: não jurem de modo nenhum;
5.34
Tg 5.12
nem pelo céu, por ser o trono de Deus;
5.34
Is 66.1
Mt 23.22
35nem pela terra, por ser estrado de seus pés;
5.35
Is 66.1
nem por Jerusalém, por ser a cidade do grande Rei.
5.35
Sl 48.2
36Não jure pela sua cabeça, porque você não pode fazer com que um só cabelo fique branco ou preto. 37Que a palavra de vocês seja: Sim, sim; não, não. O que passar disto vem do Maligno.

Ensino a respeito da vingança

Lc 6.29-30

38— Vocês ouviram o que foi dito: “Olho por olho, dente por dente.”

5.38
Êx 21.24
Lv 24.20
Dt 19.21
39Eu, porém, lhes digo: Não resistam ao perverso. Se alguém lhe der um tapa na face direita, ofereça-lhe também a face esquerda. 40Se alguém quer processar você e tirar-lhe a túnica, deixe que leve também a capa. 41Se alguém obrigar você a andar uma milha,5.41 Medida romana de distância, igual a quase 1,5 km vá com ele duas. 42Dê a quem lhe pede e não volte as costas ao que quer lhe pedir emprestado.

O amor aos inimigos

Lc 6.27-28,32-36

43— Vocês ouviram o que foi dito: “Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo.”

5.43
Lv 19.18
44Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos e orem pelos que perseguem vocês, 45para demonstrarem que são filhos do Pai de vocês, que está nos céus. Porque ele faz o seu sol nascer sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos. 46Porque, se vocês amam aqueles que os amam, que recompensa terão? Os publicanos também não fazem o mesmo? 47E, se saudarem somente os seus irmãos, o que é que estão fazendo de mais? Os gentios também não fazem o mesmo? 48Portanto, sejam perfeitos
5.48
Dt 18.13
como é perfeito o Pai de vocês, que está no céu.

6

Ensino a respeito das esmolas

61— Evitem praticar as suas obras de justiça diante dos outros para serem vistos por eles;

6.1
Mt 23.5
porque, sendo assim, vocês já não terão nenhuma recompensa junto do Pai de vocês, que está nos céus.

2— Quando, pois, você der esmola, não fique tocando trombeta nas sinagogas e nas ruas, como fazem os hipócritas, para serem elogiados pelos outros. Em verdade lhes digo que eles já receberam a sua recompensa. 3Mas, ao dar esmola, que a sua mão esquerda ignore o que a mão direita está fazendo, 4para que a sua esmola fique em secreto. E o seu Pai, que vê em secreto, lhe dará a recompensa.

Ensino a respeito da oração

Lc 11.2-4

5— E, quando orarem, não sejam como os hipócritas, que gostam de orar em pé

6.5
Lc 18.10-14
nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos pelos outros. Em verdade lhes digo que eles já receberam a sua recompensa. 6Mas, ao orar, entre no seu quarto
6.6
Is 26.20
e, fechada a porta, ore ao seu Pai, que está em secreto. E o seu Pai, que vê em secreto, lhe dará a recompensa. 7E, orando, não usem vãs repetições, como os gentios; porque eles pensam que por muito falar serão ouvidos.
6.7
1Rs 18.26
8Não sejam, portanto, como eles; porque o Pai de vocês sabe o que vocês precisam, antes mesmo de lhe pedirem.
6.8
Sl 38.9

9— Portanto, orem assim:

“Pai nosso,

6.9
Is 63.16
que estás nos céus,

santificado seja o teu nome;

6.9
Is 29.23

10venha o teu Reino;

seja feita a tua vontade,

assim na terra como no céu;

6.10
Mt 26.42

11o pão nosso de cada dia

nos dá hoje;

6.11
Pv 30.8

12e perdoa-nos as nossas dívidas,

6.12
Sl 32.1

assim como nós

também perdoamos

aos nossos devedores;

13e não nos deixes

cair em tentação;

mas livra-nos do mal

6.13
Jo 17.15

[pois teu é o Reino,

6.13
1Cr 29.11

o poder e a glória

para sempre. Amém]!”6.13 O texto entre colchetes se encontra apenas em manuscritos mais recentes

14— Porque, se perdoarem aos outros as ofensas deles, também o Pai de vocês, que está no céu, perdoará vocês; 15se, porém, não perdoarem aos outros as ofensas deles, também o Pai de vocês não perdoará as ofensas de vocês.
6.14-15
Mc 11.25-26

Ensino a respeito do jejum

16— Quando vocês jejuarem, não fiquem com uma aparência triste, como os hipócritas;

6.16
Is 58.5
porque desfiguram o rosto a fim de parecer aos outros que estão jejuando. Em verdade lhes digo que eles já receberam a sua recompensa. 17Mas você, quando jejuar, unja a cabeça e lave o rosto, 18a fim de não parecer aos outros que você está jejuando, e sim ao seu Pai, em secreto. E o seu Pai, que vê em secreto, lhe dará a recompensa.

Os tesouros no céu

Lc 12.33-34

19— Não acumulem

6.19
Tg 5.2-3
tesouros sobre a terra, onde as traças e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; 20mas ajuntem tesouros no céu, onde as traças e a ferrugem não corroem, e onde ladrões não escavam, nem roubam.
6.20
1Tm 6.19
21Porque, onde estiver o seu tesouro, aí estará também o seu coração.

A luz do corpo

Lc 11.34-36

22— Os olhos são a lâmpada do corpo. Se os seus olhos forem bons, todo o seu corpo será cheio de luz; 23se, porém, os seus olhos forem maus, todo o seu corpo estará em trevas. Portanto, se a luz que existe em você são trevas, que grandes trevas serão!

Os dois senhores

Lc 16.13

24— Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou irá odiar um e amar o outro, ou irá se dedicar a um e desprezar o outro. Vocês não podem servir a Deus e às riquezas.

6.24
1Rs 18.21
Tg 4.4

As preocupações

Lc 12.22-34

25— Por isso, digo a vocês: não se preocupem com a sua vida, quanto ao que irão comer ou beber; nem com o corpo, quanto ao que irão vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e não é o corpo mais do que as roupas?

6.25
Fp 4.6
1Pe 5.7
26Observem as aves do céu, que não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros. No entanto, o Pai de vocês, que está no céu, as sustenta.
6.26
Sl 145.15
Será que vocês não valem muito mais do que as aves? 27Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar um côvado6.27 Ou um côvado à sua estatura (o côvado equivale a 44 cm) ao curso da sua vida?
6.27
Sl 39.5

28— E por que se preocupam com o que vão vestir? Observem como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam. 29Eu, porém, afirmo a vocês que nem Salomão,

6.29
1Rs 10.4-7
2Cr 9.3-6
em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. 30Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, não fará muito mais por vocês, homens de pequena fé? 31Portanto, não se preocupem, dizendo: “Que comeremos?”, “Que beberemos?” ou “Com que nos vestiremos?” 32Porque os gentios é que procuram todas estas coisas. O Pai de vocês, que está no céu, sabe que vocês precisam de todas elas. 33Mas busquem em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas lhes serão acrescentadas.

34— Portanto, não se preocupem com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]