Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
17

A transfiguração de Jesus

Mc 9.2-8; Lc 9.28-36

171Seis dias depois, Jesus tomou consigo Pedro e os irmãos Tiago e João e os levou, em particular, a um alto monte. 2E Jesus foi transfigurado diante deles. O seu rosto resplandecia como o sol,

17.2
Êx 34.29
e as suas roupas se tornaram brancas como a luz. 3E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com Jesus. 4Então Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus:

— Senhor, bom é estarmos aqui. Se o senhor quiser, farei aqui três tendas: uma para o senhor, outra para Moisés e outra para Elias.

5Falava ele ainda, quando uma nuvem luminosa os envolveu; e eis, vindo da nuvem, uma voz que dizia:

— Este é o meu Filho amado, em quem me agrado;

17.5
Is 42.1
escutem o que ele diz!
17.5
Mt 3.17
12.18
Mc 1.11
Lc 3.22

6Ao ouvirem aquela voz, os discípulos caíram de bruços, tomados de grande medo.

17.1-6
2Pe 1.17-18
7Jesus aproximou-se e tocou neles, dizendo:

— Levantem-se e não tenham medo!

8Então eles, levantando os olhos, não viram mais ninguém, a não ser Jesus.

A vinda de Elias

Mc 9.9-13

9Ao descerem do monte, Jesus lhes ordenou:

— Não contem a ninguém o que vocês viram, até que o Filho do Homem ressuscite dentre os mortos.

10Mas os discípulos perguntaram a Jesus:

— Por que, então, os escribas dizem ser necessário que Elias

17.10
Ml 4.5
venha primeiro?

11Jesus respondeu:

— De fato, Elias virá e restaurará todas as coisas. 12Eu, porém, lhes digo que Elias

17.12
Mt 11.14
já veio, e não o reconheceram; pelo contrário, fizeram com ele tudo o que quiseram. Assim também o Filho do Homem irá sofrer nas mãos deles.

13Então os discípulos entenderam que ele estava se referindo a João Batista.

A cura de um menino

Mc 9.14-29; Lc 9.37-43a

14Quando eles chegaram para junto da multidão, um homem se aproximou de Jesus, ajoelhou-se e disse:

15— Senhor, tenha compaixão do meu filho, porque ele tem convulsões e sofre muito; pois muitas vezes cai no fogo e outras tantas cai na água. 16Apresentei-o aos seus discípulos, mas eles não puderam curá-lo.

17Jesus exclamou:

— Ó geração incrédula e perversa! Até quando estarei com vocês? Até quando terei de suportá-los? Tragam o menino até aqui.

18E Jesus repreendeu o demônio, e este saiu do menino; e, desde aquela hora, o menino ficou curado.

19Então os discípulos, aproximando-se de Jesus, perguntaram em particular:

— Por que motivo nós não pudemos expulsá-lo?

20Jesus respondeu:

— Por causa da pequenez da fé que vocês têm. Pois em verdade lhes digo que, se tiverem fé

17.20
Mt 21.21
Mc 11.23
1Co 13.2
como um grão de mostarda, dirão a este monte: “Mude-se daqui para lá”, e ele se mudará. Nada lhes será impossível. 21[Mas esse tipo de demônio só pode ser expulso por meio de oração
17.21
Mc 9.29
e jejum.]17.21 O texto entre colchetes se encontra apenas em manuscritos mais recentes

De novo Jesus prediz a sua morte e ressurreição

Mc 9.30-32; Lc 9.43b-45

22Quando eles estavam reunidos na Galileia, Jesus lhes disse:

— O Filho do Homem está para ser entregue nas mãos dos homens, 23e estes o matarão; mas, ao terceiro dia, ressuscitará.

Então os discípulos ficaram muito tristes.

Jesus paga imposto

24Quando Jesus e os discípulos chegaram a Cafarnaum, os que cobravam o imposto

17.24
Êx 30.13
38.26
das duas dracmas17.24 Trata-se do imposto do templo se dirigiram a Pedro e perguntaram:

— O Mestre de vocês não paga as duas dracmas?

25Pedro respondeu:

— Claro que paga!

Quando Pedro estava entrando em casa, Jesus se adiantou, dizendo:

— Simão, o que você acha? De quem os reis da terra cobram impostos ou tributo: dos seus filhos ou dos estranhos?

26Quando Pedro respondeu: “Dos estranhos”, Jesus lhe disse:

— Logo, os filhos estão isentos. 27Mas, para que não os escandalizemos, vá ao mar, jogue o anzol e puxe o primeiro peixe que fisgar. Ao abrir a boca do peixe, você encontrará uma moeda.17.27 Um estáter, moeda que valia quatro dracmas Pegue essa moeda e entregue aos cobradores, para pagar o meu imposto e o seu.