Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
5

A circuncisão dos filhos de Israel

51Quando todos os reis dos amorreus que habitavam deste lado do Jordão, a oeste, e todos os reis dos cananeus que estavam junto ao mar ouviram que o Senhor tinha secado as águas do Jordão diante dos filhos de Israel, até que tivéssemos passado, o coração deles se derreteu de medo e ficaram desanimados, por causa dos filhos de Israel. 2Naquele tempo o Senhor disse a Josué:

— Faça facas de pedra e passe de novo a circuncidar os filhos de Israel.

3Então Josué fez facas de pedra e circuncidou os filhos de Israel em Gibeate-Haralote.5.3 Gibeate-Haralote significa “monte da Circuncisão” 4Foi esta a razão por que Josué os circuncidou: todo o povo que tinha saído do Egito, os homens, todos os homens de guerra, tinham morrido pelo caminho, no deserto.

5.4
Dt 2.14
5Porque todo o povo que saiu do Egito estava circuncidado, mas a nenhum deles que havia nascido no deserto, pelo caminho, depois de terem saído do Egito, haviam circuncidado. 6Porque os filhos de Israel andaram quarenta anos pelo deserto, até desaparecer toda a nação, a saber, os homens de guerra que saíram do Egito, que não obedeceram à voz do Senhor, aos quais o Senhor tinha jurado
5.6
Nm 14.28-35
que não lhes deixaria ver a terra que o Senhor, sob juramento, prometeu dar a seus pais, terra que mana leite e mel. 7Porém em seu lugar pôs os filhos deles, e a estes Josué circuncidou. Estavam incircuncisos, porque não os circuncidaram no caminho. 8Depois que toda a nação foi circuncidada, ficaram no seu lugar no arraial, até que sararam. 9Então o Senhor disse a Josué:

— Hoje removi de vocês a vergonha do Egito.

Por isso aquele lugar foi chamado de Gilgal5.9 Gilgal em hebraico soa parecido com a palavra que significa “remover” até o dia de hoje.

A celebração da Páscoa

10Enquanto os filhos de Israel estavam acampados em Gilgal, celebraram a Páscoa

5.10
Êx 12.1-13
no dia catorze do mês, à tarde, nas campinas de Jericó. 11No dia seguinte à Páscoa, comeram do fruto da terra; nesse mesmo dia comeram pães sem fermento e cereais tostados. 12Um dia depois de terem comido do produto da terra, o maná
5.12
Êx 16.35
cessou, e os filhos de Israel não mais o tiveram; mas, naquele ano, comeram do que foi colhido na terra de Canaã.

O príncipe do exército de Deus

13Quando Josué estava perto de Jericó, levantou os olhos e olhou; e eis que se achava em pé diante dele um homem que trazia na mão uma espada. Josué se aproximou dele e perguntou:

— Você é dos nossos ou dos nossos adversários?

14Ele respondeu:

— Não sou nem uma coisa nem outra. Sou príncipe do exército do Senhor e acabo de chegar.

Então Josué se prostrou com o rosto em terra e o adorou. E lhe disse:

— Que diz meu senhor ao seu servo?

15O príncipe do exército do Senhor respondeu a Josué:

— Tire as sandálias dos pés, porque o lugar em que você está é santo.

5.15
Êx 3.5

E Josué fez assim.

6

A destruição de Jericó

61Ora, Jericó estava rigorosamente fechada por causa dos filhos de Israel; ninguém saía, nem entrava. 2Então o Senhor disse a Josué:

— Olhe! Estou entregando em suas mãos a cidade de Jericó, o seu rei e os seus valentes. 3Vocês, todos os homens de guerra, devem rodear a cidade, marchando ao redor dela uma vez. Façam isso durante seis dias. 4Sete sacerdotes levarão sete trombetas de chifre de carneiro adiante da arca; no sétimo dia, rodeiem a cidade sete vezes, e os sacerdotes tocarão as trombetas. 5Quando eles tocarem longamente a trombeta de chifre de carneiro, e vocês ouvirem o som dela, todo o povo gritará bem alto; a muralha da cidade cairá, e o povo subirá nela, cada qual em frente de si.

6Então Josué, filho de Num, chamou os sacerdotes e disse:

— Levem a arca da aliança, e sete sacerdotes levem sete trombetas de chifre de carneiro adiante da arca do Senhor.

7E disse ao povo:

— Avancem e rodeiem a cidade! E quem estiver armado passe adiante da arca do Senhor.

8E assim foi que, como Josué havia falado ao povo, os sete sacerdotes, com as sete trombetas de chifre de carneiro diante do Senhor, passaram e tocaram as trombetas; e a arca da aliança do Senhor os seguia. 9Os homens armados iam adiante dos sacerdotes que tocavam as trombetas; a retaguarda seguia após a arca, e as trombetas soavam continuamente. 10Mas Josué tinha dado ordens ao povo, dizendo:

— Não gritem, nem façam ouvir a sua voz. Não digam uma palavra sequer, até o dia em que eu disser: “Gritem!” Então vocês gritarão.

11Assim, Josué fez a arca do Senhor rodear a cidade, contornando-a uma vez. Depois voltaram ao arraial e ali pernoitaram.

12Josué se levantou de madrugada, e os sacerdotes levaram, de novo, a arca do Senhor. 13Os sete sacerdotes que levavam as sete trombetas de chifre de carneiro diante da arca do Senhor iam tocando continuamente. Os homens armados iam adiante deles, e a retaguarda seguia após a arca do Senhor, enquanto as trombetas soavam continuamente. 14No segundo dia, rodearam, outra vez, a cidade e voltaram para o arraial; e assim fizeram durante seis dias.

15No sétimo dia, madrugaram ao romper da manhã e, da mesma maneira, rodearam a cidade sete vezes; somente naquele dia rodearam a cidade sete vezes. 16E aconteceu que, na sétima vez, quando os sacerdotes tocavam as trombetas, Josué disse ao povo:

— Gritem, porque o Senhor está entregando a cidade a vocês! 17Porém a cidade será condenada, ela e tudo o que nela houver;

6.17
Lv 27.28
Dt 20.17
somente ficará viva Raabe, a prostituta, e todos os que estiverem com ela em casa, porque escondeu os mensageiros que enviamos. 18Quanto a vocês, cuidem para não ficar com nenhuma das coisas condenadas, para não acontecer que, depois de as terem condenado, vocês as tomem para si. Neste caso, tornariam maldito o arraial de Israel e trariam confusão a ele. 19Porém toda prata, ouro e utensílios de bronze e de ferro são consagrados ao Senhor; irão para o seu tesouro.

20Assim, o povo gritou, e os sacerdotes tocaram as trombetas. Ao ouvir o som da trombeta, o povo gritou com toda a força, as muralhas ruíram,

6.20
Hb 11.30
e o povo subiu à cidade, cada qual em frente de si, e a tomaram. 21Destruíram totalmente a fio de espada tudo o que havia na cidade, tanto homens como mulheres, tanto jovens como velhos, também bois, ovelhas e jumentos.
6.21
Dt 20.16

Raabe é salva

22Então Josué disse aos dois homens que espiaram a terra:

— Entrem na casa da prostituta e tirem-na de lá com tudo o que ela tiver, como vocês juraram a ela.

23Então os jovens, os espias, entraram e tiraram Raabe, o seu pai, a sua mãe, os seus irmãos e tudo o que ela possuía. Tiraram também toda a sua parentela e os acamparam fora do arraial de Israel. 24Porém queimaram a cidade e tudo o que havia nela; tão somente a prata, o ouro e os utensílios de bronze e de ferro deram para o tesouro da Casa do Senhor. 25Mas Josué conservou com vida a prostituta Raabe,

6.25
Hb 11.31
a casa de seu pai e tudo o que ela possuía. E Raabe ficou morando no meio de Israel até o dia de hoje, porque escondeu os mensageiros que Josué tinha enviado para espiar Jericó.

26Naquele tempo, Josué fez o povo jurar e dizer:

“Maldito

6.26
1Rs 16.34
diante do Senhor seja

o homem que se levantar

e reedificar esta cidade de Jericó;

com a perda do seu primogênito

lançará os seus alicerces

e, à custa do filho mais novo,

lhe colocará os portões.”

27Assim, o Senhor estava com Josué e a fama dele se espalhou por toda a terra.

7

O pecado de Acã

71Mas os filhos de Israel foram infiéis em relação às coisas condenadas,

7.1
Js 6.17-19
porque Acã, filho de Carmi, filho de Zabdi, filho de Zera, da tribo de Judá, pegou para si uma parte das coisas condenadas. A ira do Senhor se acendeu contra os filhos de Israel.

2Josué enviou alguns homens de Jericó até a cidade de Ai, que está junto a Bete-Áven, a leste de Betel, e lhes falou, dizendo:

— Vão e espiem a terra.

Os homens foram e espiaram a cidade. 3E voltaram a Josué e lhe disseram:

— Não é necessário que vá todo o povo; bastam uns dois ou três mil homens, para atacar a cidade de Ai. Não fatigue ali todo o povo, porque são poucos os inimigos.

4Assim, apenas uns três mil homens do povo foram até lá, os quais fugiram diante dos homens da cidade de Ai. 5Os homens dali mataram uns trinta e seis deles, e perseguiram os outros desde o portão da cidade até as pedreiras, e os derrotaram na descida. E o coração do povo se derreteu e se tornou como água.

6Então Josué rasgou a sua roupa e se prostrou com o rosto em terra diante da arca do Senhor até a tarde, ele e os anciãos de Israel; e puseram pó sobre a cabeça. 7E Josué disse:

— Ah! Senhor Deus, por que fizeste este povo passar o Jordão, para nos entregares nas mãos dos amorreus, para sermos destruídos? Antes tivéssemos nos contentado em ficar do outro lado do Jordão! 8Ah! Senhor, que direi? Pois Israel virou as costas diante dos seus inimigos! 9Quando os cananeus e todos os moradores da terra ouvirem isto, nos cercarão e apagarão o nosso nome da face da terra; e, então, que farás ao teu grande nome?

7.9
Êx 32.12
Dt 9.28

10Então o Senhor disse a Josué:

— Levante-se! Por que você está assim prostrado sobre o seu rosto? 11Israel pecou. Quebraram a minha aliança, aquilo que eu lhes havia ordenado, pois tomaram das coisas condenadas, furtaram, mentiram e até debaixo da sua bagagem o puseram. 12Por isso os filhos de Israel não puderam resistir aos seus inimigos; viraram as costas diante deles, porque Israel está condenado à destruição. Não continuarei com vocês, se não eliminarem do meio de vocês a coisa roubada.

13— Levante-se, santifique o povo e diga: “Santifiquem-se para amanhã, porque assim diz o Senhor, Deus de Israel: ‘Há coisas condenadas no meio de vocês, ó Israel. Vocês não poderão resistir aos seus inimigos enquanto não eliminarem do meio de vocês as coisas condenadas. 14Pela manhã, pois, vocês se apresentarão, segundo as suas tribos; e a tribo que o Senhor designar por sorteio se apresentará, segundo as famílias; e a família que o Senhor designar se apresentará por casas; e a casa que o Senhor designar se apresentará homem por homem. 15Aquele que for achado com a coisa condenada será queimado, ele e tudo o que tiver, porque quebrou a aliança do Senhor e cometeu um ato infame em Israel.’”

16Então Josué se levantou de madrugada e fez com que Israel se apresentasse, segundo as suas tribos; e a sorte caiu sobre a tribo de Judá. 17Ele fez com que se apresentasse a tribo de Judá, e a família indicada foi a dos zeraítas. Fez com que se apresentasse a família dos zeraítas, homem por homem, e a casa indicada foi a de Zabdi. 18E, fazendo com que se apresentasse a casa de Zabdi, homem por homem, o indicado foi Acã, filho de Carmi, filho de Zabdi, filho de Zera, da tribo de Judá.

19Então Josué disse a Acã:

— Meu filho, dê glória ao Senhor, Deus de Israel, e renda louvores a ele. E conte-me, agora, o que foi que você fez; não me esconda nada.

20Acã respondeu a Josué:

— É verdade, eu pequei contra o Senhor, Deus de Israel, e fiz assim e assim. 21Quando vi entre o despojo uma boa capa babilônica, uns dois quilos e meio de prata e uma barra de ouro pesando mais de meio quilo, cobicei essas coisas e as peguei para mim; e eis que estão escondidas na terra, no meio da minha tenda, e a prata, por baixo.

22Então Josué enviou mensageiros que foram correndo à tenda de Acã; e eis que tudo estava escondido nela, e a prata estava por baixo. 23Tiraram aquelas coisas do meio da tenda, e as trouxeram a Josué e a todos os filhos de Israel, e as colocaram diante do Senhor. 24Então Josué e todo o Israel com ele pegaram Acã, filho de Zera, e a prata, a capa, a barra de ouro, os filhos e as filhas dele, os seus bois, os seus jumentos, as suas ovelhas, a sua tenda e tudo o que ele tinha e os levaram para o vale de Acor.7.24 Acor significa “calamidade” 25Josué disse a Acã:

— Por que você trouxe esta calamidade sobre nós? O Senhor hoje trará calamidade sobre você.

E todo o Israel o apedrejou. E, depois de apedrejá-los, ainda os queimou. 26E levantaram sobre ele um montão de pedras, que permanece até o dia de hoje.

Assim, o Senhor apagou o furor da sua ira. Por isso aquele lugar se chama o vale de Acor até o dia de hoje.