Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)

O ser humano nasce para o sofrimento

51“Grite agora, para ver

se há quem responda!

E para qual dos santos anjos

você se voltará?

2Porque a ira mata o insensato,

e a inveja destrói o tolo.

3Eu mesmo vi o insensato

lançar raízes,

mas logo declarei maldita

a sua habitação.

4Os filhos dele estão longe

do socorro;

são oprimidos nos tribunais,5.4 Lit., às portas, em referência ao lugar onde eram tratadas questões judiciais

e não há quem os livre.

5A sua colheita,

o faminto a devora,

arrebatando até o que se encontra

no meio de espinhos;

e o sedento suga os seus bens.

6Porque a aflição não vem do pó,

e o sofrimento não brota do chão.

7Mas o ser humano nasce

para o sofrimento,

como as faíscas das brasas

voam para cima.”

Há esperança para os pobres

8“Quanto a mim,

eu buscaria a Deus

e a ele entregaria a minha causa.

9Deus faz coisas grandes

e insondáveis,

maravilhas que não se podem

enumerar.

10Faz chover sobre a terra

e envia águas sobre os campos.

11Põe os abatidos num lugar alto

e conduz os enlutados

a um lugar seguro.

12Deus frustra os planos

dos astutos,

para que não possam realizar

seus projetos.

13Ele apanha os sábios

na própria astúcia deles,

5.13
1Co 3.19

e o conselho dos que tramam

não chega a vingar.

14De dia eles encontram as trevas,

e ao meio-dia andam tateando

como se fosse noite.

15Porém Deus salva da espada

que lhes sai da boca,

salva os necessitados

das mãos dos poderosos.

16Assim, há esperança

para os pobres,

e a iniquidade tapa

a sua própria boca.”

As mãos de Deus curam

17“Bem-aventurado é aquele

a quem Deus disciplina!

Portanto, não despreze a disciplina

do Todo-Poderoso.

5.17
Pv 3.11-12
Hb 12.5-6

18Porque ele faz a ferida

e ele mesmo a faz sarar;

ele fere, e as suas mãos curam.

19De seis angústias ele o livrará,

e na sétima o mal

não tocará em você.

20Na fome ele livrará você

da morte;

na guerra, do poder da espada.

21Você estará abrigado

do açoite da língua

e, quando vier a destruição,

não ficará com medo.

22Da destruição e da fome

você dará risada

e dos animais da terra

não terá medo.

23Porque com as pedras do campo

você fará aliança,

e os animais selvagens viverão

em paz com você.

24Saberá que a sua tenda

está em paz;

percorrerá as suas posses

e não achará falta de nada.

25Saberá que a sua descendência

se multiplicará,

e que a sua posteridade será

como a erva da terra.

26Em robusta velhice

você descerá à sepultura,

como se recolhe o feixe de trigo

no tempo certo.

27Veja bem!

Isto é o que investigamos,

e assim é.

Ouça e medite nisso

para o seu bem.”