Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
25

Setenta anos de cativeiro

251Palavra que veio a Jeremias a respeito de todo o povo de Judá, no quarto ano do reinado de Jeoaquim,

25.1
2Rs 24.1
2Cr 36.5-7
Dn 1.1-2
filho de Josias, rei de Judá, que era o primeiro ano do reinado de Nabucodonosor, rei da Babilônia. 2O profeta Jeremias anunciou a todo o povo de Judá e a todos os moradores de Jerusalém, dizendo:

3— Durante vinte e três anos, desde o décimo terceiro ano do reinado de Josias, filho de Amom, rei de Judá, até hoje, a palavra do Senhor tem vindo a mim, e sempre de novo eu a tenho anunciado a vocês, mas vocês não escutaram. 4Também sempre de novo o Senhor enviou os seus servos, os profetas,

25.4
Jr 7.25
mas vocês não escutaram nem inclinaram os ouvidos para ouvir, 5quando eles diziam: “Convertam-se agora, cada um de vocês, do seu mau caminho e da maldade das suas ações, e vocês habitarão na terra que o Senhor deu a vocês e aos seus pais, desde os tempos antigos e para sempre.
25.5
Jr 7.7
6Não sigam outros deuses para os servir e adorar,
25.6
Dt 8.19
2Rs 17.35
nem me provoquem à ira com as obras de suas mãos. E então não lhes farei mal algum. 7Mas vocês não me deram ouvidos, diz o Senhor. Pelo contrário, me provocaram à ira com as obras de suas mãos, para o próprio mal de vocês.”

8— Portanto, assim diz o Senhor dos Exércitos: Visto que vocês não escutaram as minhas palavras, 9eis que mandarei buscar todas as tribos do Norte, diz o Senhor, e também Nabucodonosor, rei da Babilônia, meu servo,

25.9
Jr 27.6
43.10
e os trarei contra esta terra, contra os seus moradores e contra todas estas nações ao redor, e os destruirei totalmente. Farei deles um objeto de horror e de vaias, ruínas perpétuas.
25.9
Jr 18.16
10Farei cessar entre eles o som das festas e da alegria, a voz do noivo e a voz da noiva,
25.10
Jr 7.34
16.9
Ap 18.23
o ruído das pedras do moinho e a luz das lamparinas. 11Toda esta terra virá a ser uma ruína, objeto de horror, e estas nações servirão o rei da Babilônia durante setenta anos.
25.11
2Cr 36.21
Jr 29.10
Dn 9.2
12Acontecerá, porém, que, quando se cumprirem os setenta anos, castigarei o rei da Babilônia e aquela nação, a terra dos caldeus, por causa de sua iniquidade, diz o Senhor; farei deles ruínas perpétuas.
25.12
Is 13.19
47.1
Ed 1.1
13Farei com que se cumpram sobre aquela terra todas as minhas ameaças que proferi contra ela, tudo o que está escrito neste livro e que Jeremias profetizou contra todas as nações. 14Porque também eles serão escravos de muitas nações e de grandes reis, e assim lhes retribuirei segundo os seus feitos e segundo as obras das suas mãos.

O castigo das nações

15Porque assim me disse o Senhor, o Deus de Israel:

— Pegue o cálice do vinho do meu furor

25.15
Sl 75.8
Is 51.17,22
Ap 14.10
que está em minha mão e faça com que bebam dele todas as nações às quais eu o enviar. 16Elas beberão, ficarão tremendo e enlouquecerão, por causa da espada que eu enviarei para o meio delas.

17Peguei o cálice da mão do Senhor e dei de beber a todas as nações às quais o Senhor tinha me enviado: 18Jerusalém, as cidades de Judá, os seus reis e as suas autoridades, para fazer deles uma ruína, objeto de horror, de vaias e de maldição, como hoje se vê; 19Faraó, rei do Egito, os seus servos, as suas autoridades e todo o seu povo; 20todo misto de gente, todos os reis da terra de Uz, todos os reis da terra dos filisteus: Asquelom, Gaza, Ecrom e o que resta de Asdode; 21Edom, Moabe e os filhos de Amom; 22todos os reis de Tiro, todos os reis de Sidom e os reis das terras dalém do mar; 23Dedã, Tema, Buz e todos os que cortam os cabelos nas têmporas;

25.23
Jr 9.26
24todos os reis da Arábia e todos os reis do misto de gente que habita no deserto; 25todos os reis de Zinri, todos os reis de Elão e todos os reis da Média; 26todos os reis do Norte, os de perto e os de longe, um após outro, e todos os reinos do mundo sobre a face da terra; e, depois de todos eles, o rei da Babilônia.25.26 Em hebraico, Sheshak, uma forma em código para designar a Babilônia

27— Então você lhes dirá: Assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: “Bebam, fiquem bêbados e vomitem; caiam e não mais se levantem, por causa da espada que estou enviando para o meio de vocês.” 28Se recusarem pegar o cálice que está em sua mão, Jeremias, e não quiserem beber, então diga-lhes: Assim diz o Senhor dos Exércitos: “Vocês terão de bebê-lo! 29Pois eis que eu começo a castigar na cidade que se chama pelo meu nome; portanto, como vocês podem pensar que ficarão impunes?

25.29
Pv 11.31
Is 10.12
1Pe 4.17
Não, não ficarão impunes, porque eu chamo a espada sobre todos os moradores da terra”, diz o Senhor dos Exércitos.

30— Você, Jeremias, profetize contra eles todas estas palavras e diga-lhes:

“O Senhor lá do alto rugirá

e da sua santa morada

fará ouvir a sua voz.

25.30
Jl 2.11
Am 1.2

Rugirá fortemente

contra o seu povo,

com brados contra todos

os moradores da terra,

como o ‘eia!’

dos que pisam as uvas.

31O estrondo chegará

até os confins da terra,

porque o Senhor tem

uma controvérsia

com as nações;

25.31
Os 4.1
Mq 6.2

entrará em juízo

contra toda a humanidade,

e entregará os ímpios à espada”,

diz o Senhor.

32Assim diz o Senhor

dos Exércitos:

“Eis que a calamidade

passa de nação para nação,

e grande tempestade

25.32
Jr 23.19
30.23

se levanta dos confins da terra.”

33— Os que o Senhor entregar à morte naquele dia se estenderão de uma a outra extremidade da terra. Não serão pranteados, nem recolhidos, nem sepultados; serão como esterco sobre a face da terra.

25.33
Jr 16.4

34“Lamentem, pastores, e gritem!

Rolem no pó, vocês,

donos do rebanho!

Porque chegou o tempo

de serem mortos e dispersos;

vocês cairão como jarros preciosos.

35Não haverá refúgio

para os pastores,

nem salvamento

para os donos do rebanho.

36Vozes! É o grito dos pastores

e o uivo dos donos do rebanho!

Porque o Senhor está destruindo

o pasto deles.

37Porque as pastagens tranquilas

serão devastadas,

por causa do furor da ira do Senhor.

38Saiu da sua morada

como um leão;

porque a terra deles

foi posta em ruínas,

por causa da espada do opressor

e por causa do furor da sua ira.”

26

Jeremias é ameaçado de morte

261No princípio do reinado de Jeoaquim,

26.1
2Rs 23.36—24.6
2Cr 36.5-7
filho de Josias, rei de Judá, veio esta palavra do Senhor:

2— Assim diz o Senhor: Fique no átrio da Casa do Senhor e diga ao povo de todas as cidades de Judá que vem adorar na Casa do Senhor todas as palavras que ordenei que você lhes dissesse.

26.2
Jr 7.2
Não omita nem uma palavra sequer. 3Talvez eles ouçam e se convertam, cada um do seu mau caminho; então eu mudarei de ideia
26.3
Jr 26.13
36.3
a respeito do mal que estou planejando fazer-lhes por causa da maldade das suas ações. 4Diga-lhes o seguinte: Assim diz o Senhor: “Se vocês não me derem ouvidos para andarem na minha lei, que pus diante de vocês, 5e para ouvirem as palavras dos meus servos, os profetas, que sempre de novo lhes tenho enviado e aos quais até agora vocês não quiseram ouvir,
26.5
Jr 25.4
6então farei com que este templo seja como Siló
26.6
Js 18.1
Sl 78.60
Jr 7.12-14
e farei desta cidade maldição para todas as nações da terra.”

7Os sacerdotes, os profetas e todo o povo ouviram Jeremias, quando proferia essas palavras na Casa do Senhor. 8Quando Jeremias acabou de falar ao povo tudo o que o Senhor lhe havia ordenado, os sacerdotes, os profetas e todo o povo o prenderam, dizendo:

— Você será morto. 9Como você ousa profetizar em nome do Senhor, dizendo que este templo será como Siló, e que esta cidade será destruída e ficará sem moradores?

26.9
Jr 9.11

E todo o povo se ajuntou contra Jeremias, na Casa do Senhor.

10Quando as autoridades de Judá ouviram isso, subiram do palácio do rei à Casa do Senhor e se assentaram à entrada da Porta Nova da Casa do Senhor. 11Então os sacerdotes e os profetas falaram às autoridades e a todo o povo, dizendo:

— Este homem é réu de morte, porque profetizou contra esta cidade, como vocês ouviram com os seus próprios ouvidos.

12Então Jeremias falou a todas as autoridades e a todo o povo, dizendo:

— O Senhor me enviou a profetizar contra este templo e contra esta cidade todas as palavras que vocês ouviram.

26.12
Jr 1.17-18
13E agora corrijam a sua conduta e as suas ações, e ouçam a voz do Senhor, seu Deus; então o Senhor mudará de ideia a respeito do mal que falou contra vocês. 14Quanto a mim, eis que estou nas mãos de vocês; façam comigo segundo lhes parecer bom e reto.
26.14
Js 9.25
15Saibam, porém, com certeza que, se me matarem, trarão sangue inocente sobre vocês, sobre esta cidade e sobre os seus moradores; porque, na verdade, o Senhor me enviou a vocês, para anunciar-lhes estas palavras.

16Então as autoridades e todo o povo disseram aos sacerdotes e aos profetas:

— Este homem não é réu de morte, porque nos falou em nome do Senhor, nosso Deus.

17Também alguns dos anciãos da terra se levantaram e falaram a toda a congregação do povo, dizendo:

18— Miqueias, de Moresete, profetizou nos dias de Ezequias, rei de Judá, e falou a todo o povo de Judá, dizendo:

Assim diz o Senhor dos Exércitos:

“Sião será lavrada como um campo,

Jerusalém se tornará

em montões de ruínas,

e o monte do templo,

numa colina coberta de mato.”

26.18
Mq 3.12

19— Por acaso, Ezequias, rei de Judá, e todo o Judá mataram Miqueias? Não é fato que Ezequias temeu o Senhor e implorou o favor do Senhor? E o Senhor não mudou de ideia a respeito do mal que tinha falado contra eles?

26.19
2Cr 32.26
E nós vamos trazer tão grande mal sobre nós mesmos?

20— Também houve outro homem, Urias, filho de Semaías, de Quiriate-Jearim, que profetizava em nome do Senhor e profetizou contra esta cidade e contra esta terra, assim como Jeremias está fazendo. 21Quando o rei Jeoaquim, e todos os seus valentes, e todas as autoridades ouviram as palavras de Urias, o rei quis matá-lo. Mas Urias, ouvindo isto, ficou com medo e fugiu para o Egito. 22Porém o rei Jeoaquim enviou Elnatã, filho de Acbor, ao Egito e com ele outros homens. 23Eles trouxeram Urias do Egito e o entregaram ao rei Jeoaquim, que mandou matá-lo à espada e lançar o cadáver nas sepulturas do povo simples.

24Porém a influência de Aicão, filho de Safã, protegeu Jeremias, para que ele não fosse entregue nas mãos do povo, para ser morto.

27

As cangas simbólicas

271No princípio

27.1
2Rs 24.18-20
2Cr 36.11-13
do reinado de Zedequias, filho de Josias, rei de Judá, veio da parte do Senhor esta palavra a Jeremias: 2Assim me disse o Senhor:

— Faça cangas com tiras de couro e canzis e coloque-as no seu pescoço. 3Por meio dos mensageiros que vieram a Jerusalém para se encontrar com Zedequias, rei de Judá, envie essas cangas ao rei de Edom, ao rei de Moabe, ao rei dos filhos de Amom, ao rei de Tiro e ao rei de Sidom. 4Ordene-lhes que digam aos seus senhores: Assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel:

5— “Eu fiz a terra, os seres humanos e os animais que estão sobre a face da terra, com o meu grande poder e com o meu braço estendido, e a dou a quem eu quiser.

27.5
Sl 115.16
6Agora eu entreguei todas estas terras nas mãos de Nabucodonosor, rei da Babilônia, meu servo.
27.6
Jr 25.9
Até os animais selvagens eu entreguei a ele, para que o sirvam. 7Todas as nações servirão a ele, a seu filho e ao filho de seu filho, até que também chegue a vez da sua própria terra, quando muitas nações e grandes reis o fizerem seu escravo.”
27.7
Jr 25.12,14

8— “Se alguma nação ou reino não servir Nabucodonosor, rei da Babilônia, e não puser o pescoço debaixo do jugo do rei da Babilônia, então castigarei essa nação com espada, com fome e com peste, diz o Senhor, até que eu a destrua completamente por meio de Nabucodonosor. 9Quanto a vocês, não deem ouvidos aos seus profetas, aos seus adivinhos, aos seus sonhadores, aos seus agoureiros e aos seus encantadores, que dizem que vocês não devem servir o rei da Babilônia. 10Porque eles profetizam mentiras para que vocês sejam mandados para longe da sua terra, e para que vocês sejam expulsos por mim e destruídos. 11Mas a nação que colocar o pescoço sob o jugo do rei da Babilônia e o servir, eu a deixarei na sua terra, para cultivá-la e morar nela”, diz o Senhor.

12Também a Zedequias, rei de Judá, eu falei nos mesmos termos, dizendo:

— Coloquem o pescoço sob o jugo do rei da Babilônia, sirvam a ele e ao seu povo, e vocês viverão.

27.12
Jr 38.17
13Por que é que você e o seu povo morreriam à espada, de fome e de peste, como o Senhor disse que acontecerá com a nação que não servir o rei da Babilônia? 14Não deem ouvidos às palavras dos profetas que dizem que vocês não devem servir o rei da Babilônia. É mentira o que eles profetizam.
27.14
Jr 14.14
15Porque não os enviei,
27.15
Jr 23.21
diz o Senhor, e profetizam falsamente em meu nome, para que vocês sejam expulsos por mim e destruídos, vocês e eles que profetizam essas coisas.

16Também falei aos sacerdotes e a todo este povo, dizendo:

— Assim diz o Senhor: “Não deem ouvidos às palavras dos seus profetas que dizem que em breve os utensílios

27.16
2Cr 36.7,10
da Casa do Senhor serão trazidos de volta da Babilônia. É mentira o que eles profetizam. 17Não deem ouvidos ao que eles dizem; sirvam o rei da Babilônia e vocês viverão. Por que fazer com que esta cidade se torne um montão de ruínas? 18Porém, se eles são profetas, e se a palavra do Senhor está com eles, que orem ao Senhor dos Exércitos, para que os utensílios que ficaram na Casa do Senhor, e no palácio do rei de Judá, e em Jerusalém não sejam levados para a Babilônia.”

19— Porque assim diz o Senhor dos Exércitos a respeito das colunas, do mar de fundição,

27.19
1Rs 7.23
dos suportes e dos outros utensílios que ficaram na cidade, 20os quais Nabucodonosor, rei da Babilônia, não levou, quando deportou, de Jerusalém para a Babilônia, Jeconias, filho de Jeoaquim, rei de Judá, assim como todos os nobres de Judá e de Jerusalém; 21sim, isto diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel, a respeito dos utensílios que ficaram na Casa do Senhor, e no palácio do rei de Judá, e em Jerusalém: 22“Serão levados para a Babilônia, onde ficarão até o dia em que eu atentar para eles, diz o Senhor; então farei com que sejam trazidos e devolvidos a este lugar.”
27.22
Ed 1.7
7.19