Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
28

A impenitência de Efraim será castigada

281Ai de Samaria, a orgulhosa coroa

dos bêbados de Efraim,

a flor murcha da gloriosa formosura

que se encontra nos altos

do fertilíssimo vale

dos que são vencidos pelo vinho!

2Eis que o Senhor vai enviar

um homem valente e poderoso;

este, com poder jogará

tudo no chão,

28.2
Is 8.7

como chuva de pedras,

como tormenta destruidora

e como tempestade

de águas impetuosas

que transbordam.

3A orgulhosa coroa

dos bêbados de Efraim

será pisada com os pés.

4A flor murcha

da gloriosa formosura

que se encontra nos altos

do fertilíssimo vale

será como o figo prematuro,

que amadurece antes do verão:

quando alguém põe os olhos nele,

mal o apanha, já o devora.

5Naquele dia,

o Senhor dos Exércitos

será a coroa de glória

e o formoso diadema

para o restante de seu povo.

6Ele será o espírito de justiça

para aqueles que se assentam

para julgar

e a força para os que rechaçam

o ataque inimigo

junto ao portão da cidade.

Contra os habitantes de Jerusalém

7Mas há outros que cambaleiam

por causa do vinho

e não podem ficar em pé

por causa da bebida forte:

os sacerdotes e os profetas.

Cambaleiam

por causa da bebida forte,

são vencidos pelo vinho,

não podem ficar em pé

por causa da bebida forte;

estão confusos quando recebem

uma visão,

tropeçam quando proferem

sentenças.

8Porque todas as mesas estão

cheias de vômito,

e não há lugar sem sujeira.

9Eles dizem:

“A quem ele quer ensinar

o conhecimento?

E a quem ele quer explicar

a mensagem?

A crianças desmamadas

e aos que acabaram de ser afastados

do seio materno?

10Porque nos fala como a crianças,

repetindo palavras e frases.28.10 Em hebraico, tsav latsav tsav latsav kav lakav kav lakav. O contexto sugere que se trata da fala de um bebê

Uma palavra, depois mais outra,

um pouco aqui, um pouco ali.”

11Pois bem, por meio

de lábios zombeteiros

e de uma língua estranha

o Senhor falará a este povo,

28.11
1Co 14.21

12ao qual ele disse:

“Este é o descanso;

deem descanso ao cansado.

E este é o refrigério.”

Mas eles não quiseram ouvir.

13Assim, a palavra do Senhor

lhes será

como a fala de crianças:

palavras e frases repetidas,

uma palavra, depois mais outra,

um pouco aqui, um pouco ali.

Isso para que andem, caiam para trás,

sejam despedaçados,

enlaçados e presos.

28.13
Is 8.15

14Portanto, escutem

a palavra do Senhor,

homens zombadores,

vocês que governam este povo

que está em Jerusalém.

15Porque vocês dizem:

“Fizemos aliança com a morte

e acordo com a sepultura.

Quando passar

a catástrofe arrasadora,

28.15
Is 8.8

não nos atingirá,

porque o nosso refúgio é a mentira

e o nosso esconderijo é a falsidade.”

16Portanto, assim diz o Senhor Deus:

“Eis que ponho em Sião uma pedra,

28.16
Rm 9.33
1Pe 2.6

pedra já provada, pedra preciosa,

angular, solidamente assentada;

aquele que crer

28.16
Rm 10.11
não foge.

17Farei do juízo a régua

e da justiça, o prumo.”

O granizo varrerá o refúgio

da mentira,

e as águas arrastarão o esconderijo.

18A aliança que vocês fizeram

com a morte será anulada,

e o acordo com a sepultura

não será mantido;

e, quando o flagelo arrasador passar,

vocês serão esmagados por ele.

19Todas as vezes que passar,

ele os arrastará;

porque passará manhã após manhã,

e todos os dias, e todas as noites.

E será simplesmente um horror

o entender a mensagem.

20Porque a cama será tão curta,

que ninguém poderá

se estender nela;

e o cobertor será tão estreito,

que ninguém poderá se cobrir com ele.

21Porque o Senhor se levantará

como no monte Perazim,

28.21
2Sm 5.20
1Cr 14.11

e ficará irado

como no vale de Gibeão,

28.21
Js 10.10-12

para realizar a sua obra,

a sua obra alheia,

e para executar a sua tarefa,

a sua tarefa estranha.

22E agora parem de zombar,

para que as correntes

que os prendem

não se tornem mais fortes.

Porque já ouvi o Senhor,

o Senhor dos Exércitos,

falar de uma destruição,

e essa já está determinada

sobre toda a terra.

28.22
Is 10.23

Deus é grande em sabedoria

23Prestem atenção

e ouçam a minha voz;

estejam atentos

e ouçam o meu discurso.

24Será que o agricultor

está sempre lavrando,

a fim de semear?

Será que ele está sempre

abrindo sulcos na terra

e desfazendo os torrões?

25Não! Pelo contrário,

depois de ter nivelado a superfície,

ele espalha o endro,

semeia o cominho,

planta o trigo nos sulcos,

a cevada no devido lugar,

e o centeio nas bordas.

26Pois o seu Deus o instrui

devidamente e o ensina.

27Porque não se debulha o endro

com instrumento de trilhar,

nem se passa roda de carro

sobre o cominho,

mas o endro é debulhado

com uma vara

e o cominho,

com um pedaço de pau.

28O cereal é debulhado,

mas o lavrador não o trilha

sem parar;

as rodas do carro

passam por cima dele,

mas os seus cavalos

não esmagam os grãos.

29Também isso procede

do Senhor dos Exércitos;

ele é maravilhoso em conselho

e grande em sabedoria.