Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
11

O amor de Deus e a ingratidão de Israel

111“Quando Israel era menino,

eu o amei;

e do Egito chamei o meu filho.

2Quanto mais eu os chamava,

tanto mais se afastavam de mim;

sacrificavam a baalins

e queimavam incenso

às imagens de escultura.

3Mas fui eu que ensinei

Efraim a andar;

tomei-os nos meus braços,

mas eles não entenderam

que era eu que os curava.

4Atraí-os com cordas humanas,

com laços de amor;

fui para eles como quem alivia

o jugo de sobre o pescoço

e me inclinei

para dar-lhes de comer.”

5“Não voltarão

para a terra do Egito,

mas o assírio será o seu rei,

porque se recusam

a voltar para mim.

6A espada cairá

sobre as suas cidades,

consumirá os seus ferrolhos,

e as devorará,

por causa dos seus caprichos.

7Porque o meu povo é inclinado

a rebelar-se contra mim;

se são chamados a dirigir-se

para o alto, ninguém o faz.

8Como poderia eu abandoná-lo,

Efraim?

Como poderia entregá-lo, Israel?

Como faria com você

o que fiz com Admá?

Como poderia fazer de você

outra Zeboim?

Meu coração se comove

dentro de mim;

toda a minha compaixão

se manifesta.

9Não executarei o furor

da minha ira;

não voltarei para destruir Efraim.

Porque eu sou Deus e não homem;

sou o Santo no meio de vocês.

Não virei com ira.”

10“Seguirão o Senhor,

que rugirá como leão.

E, quando ele rugir,

os filhos, tremendo,

virão do Ocidente;

11tremendo, como passarinhos,

virão os do Egito,

e, como pombas,

os da terra da Assíria.

Eu os farei habitar

em suas próprias casas”,

diz o Senhor.

A condenação de Israel e de Judá

12“Efraim me cercou com mentiras,

e a casa de Israel, com engano;

mas Judá ainda está

do lado de Deus

e permanece fiel ao Santo.

12

121Efraim apascenta o vento

e persegue o vento leste

o dia inteiro.

Multiplica mentiras e destruição.

Faz aliança com a Assíria,

mas o azeite é levado

para o Egito.”

A acusação contra Judá

2“O Senhor tem uma controvérsia

com Judá

e castigará Jacó

segundo a sua conduta;

ele lhe dará o que merece

por seus atos.

3No ventre, Jacó pegou

no calcanhar de seu irmão;

no vigor da sua idade,

lutou com Deus.

4Lutou com o anjo e venceu;

chorou e pediu que o abençoasse.

Em Betel, encontrou Deus,

e ali Deus falou com ele.

5O Senhor, o Deus dos Exércitos,

o Senhor é o seu nome.

6Quanto a você,

volte para o seu Deus,

siga o amor e a justiça,

e espere sempre no seu Deus.”

7“Como mercador

que tem nas mãos

uma balança desonesta

e ama a opressão,

8Efraim diz:

‘Certamente fiquei rico!

Encontrei muitas riquezas!

Em todos esses meus esforços,

não encontrarão em mim

nenhum delito,

nada que seja pecado.’

9Mas eu sou o Senhor,

seu Deus,

desde a terra do Egito;

eu ainda os farei habitar

em tendas,

como nos dias da festa.”

10“Falei aos profetas

e multipliquei as visões;

e, pelo ministério dos profetas,

propus comparações.

11Será que há transgressão

em Gileade?

Eles são pura vaidade!

Em Gilgal sacrificam bois;

os seus altares serão

como montões de pedra

nos sulcos dos campos.

12Jacó fugiu para a terra da Síria;

ali Israel trabalhou

para conseguir uma esposa

e por ela guardou o gado.

13Mas o Senhor,

por meio de um profeta,

tirou Israel do Egito

e, por um profeta,

cuidou do seu povo.

14Efraim amargamente

o provocou à ira;

por isso, o seu Senhor fará

com que ele pague

pelo sangue que derramou

e lhe retribuirá

pelas suas afrontas.”

13

Castigo definitivo

131“Quando Efraim falava,

havia tremor;

foi exaltado em Israel.

Mas ele se fez culpado

por causa de Baal e morreu.

2Agora, pecam cada vez mais,

e da sua prata

fazem imagens de fundição,

ídolos segundo o seu conceito,

todos obra de artífices, e dizem:

‘Ofereçam sacrifícios a eles.’

Chegam até a beijar esses bezerros!

3Por isso, serão

como a névoa da manhã,

como o orvalho da madrugada,

que logo desaparece,

como a palha

que o vento leva da eira

e como a fumaça

que sai por uma janela.”

4“Mas eu sou o Senhor, seu Deus,

desde a terra do Egito.

Portanto, vocês não conhecerão

outro deus além de mim,

porque não há salvador, a não ser eu.

5Eu os conheci no deserto,

em terra muito seca.

6Quando tinham comida,

eles se fartaram,

e, uma vez fartos,

seu coração se encheu de orgulho;

por isso, se esqueceram de mim.

7Portanto, serei para eles

como um leão;

como um leopardo,

ficarei espreitando no caminho.

8Como ursa,

roubada dos seus filhotes,

eu os atacarei

e lhes rasgarei o peito.

Como leão,

eu os devorarei ali mesmo;

como um animal selvagem,

os farei em pedaços.”

9“A sua ruína, ó Israel,

vem de você,

e só de mim, o seu socorro.

10Onde está, agora, o seu rei,

para que o salve

em todas as suas cidades?

E os seus juízes,

dos quais você disse:

‘Dê-me um rei e príncipes’?

11Eu lhe dei um rei na minha ira,

e o tirei de você no meu furor.”

12“As iniquidades de Efraim

estão atadas juntas;

o seu pecado está armazenado.

13As dores de parto virão,

mas ele é filho insensato;

porque será tempo de nascer,

mas ele não estará no lugar

por onde deve vir ao mundo.”

14“Eu os remirei

do poder do inferno

e os resgatarei da morte.

Onde estão, ó morte,

as suas pragas?

Onde está, ó inferno,

a sua destruição?

Meus olhos estarão fechados

para a compaixão.”

15“Ainda que Efraim dê frutos

entre os irmãos,

virá o vento leste, vento do Senhor,

subindo do deserto;

ele secará a sua nascente

e estancará a sua fonte;

ele saqueará o tesouro

de todas as coisas preciosas.

16Samaria levará sobre si

a sua culpa,

porque se rebelou

contra o seu Deus;

cairá à espada,

seus filhos serão despedaçados,

e as suas mulheres grávidas

serão abertas pelo meio.”