Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
32

Lamentação sobre Faraó, rei do Egito

321No décimo segundo ano, no décimo segundo mês, no primeiro dia do mês, a palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

2— Filho do homem, faça uma lamentação sobre Faraó, rei do Egito, e diga-lhe:

“Você foi comparado

a um leão entre as nações,

mas não passa

de um crocodilo nas águas,

32.2
Ez 29.3

agitando as águas,

turvando-as com os pés,

sujando os rios.”

3Assim diz o Senhor Deus:

“Estenderei sobre você

a minha rede

32.3
Ez 12.13
17.20

no meio de muitos povos,

que o puxarão para fora

na minha rede.

4Eu o deixarei no chão,

eu o lançarei em campo aberto.

Trarei sobre você

todas as aves do céu,

e os animais de toda a terra

se fartarão da sua carne.

32.4
Ez 29.5

5Porei as suas carnes

sobre os montes

e encherei os vales

com o seu cadáver.

6Com o seu sangue

que se derrama,

regarei a terra até os montes,

e dele se encherão os ribeiros.

7Quando eu o extinguir,

cobrirei os céus

e farei escurecer as estrelas;

encobrirei o sol com uma nuvem,

e a lua não fará resplandecer

a sua luz.

32.7
Is 13.10
Mt 24.29
Ap 6.12-13
8.12

8Por sua causa, vestirei de preto

todos os brilhantes luzeiros

do céu

32.8
Gn 1.14

e trarei trevas sobre o seu país”,

diz o Senhor Deus.

9— “Afligirei o coração de muitos povos, quando se levar às nações, às terras que você não conheceu, a notícia da sua destruição. 10Farei com que muitos povos fiquem espantados a seu respeito, e os seus reis tremam de medo, quando eu brandir a minha espada diante deles. No dia em que você cair, eles ficarão tremendo sem parar,

32.10
Ez 26.16
com medo de perder a vida.”

11— Pois assim diz o Senhor Deus: “A espada do rei da Babilônia virá contra você.

32.11
Ez 29.19
12Farei com que a multidão do seu povo caia à espada de valentes guerreiros, que são todos os mais terríveis das nações.”

“Eles acabarão

com o orgulho do Egito,

e todo o seu povo será destruído.

13Destruirei todos os seus animais

junto às muitas águas,

que nunca mais serão turvadas

por pés humanos

ou por cascos de animais.

14Então farei assentar

as suas águas

e farei correr os seus rios

como o azeite”,

diz o Senhor Deus.

15“Quando eu tornar o Egito

em desolação

e a terra for destituída

de tudo o que a enchia,

e quando eu destruir

todos os que nela habitam,

então saberão

que eu sou o Senhor.”

16— Esta é a lamentação que se fará, que farão as filhas das nações; sobre o Egito e todo o seu povo se lamentará, diz o Senhor Deus.

O Egito desce ao mundo dos mortos

17No décimo segundo ano, aos quinze dias do primeiro mês, a palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

18— Filho do homem, pranteie sobre a multidão do Egito e faça-a descer, ela e as filhas das nações poderosas, às profundezas da terra, juntamente com os que descem à cova. 19Diga o seguinte:

“Você pensa que supera

os outros em beleza?

Pois agora desça e deite-se

com os incircuncisos.”

32.19
Ez 31.18

20— No meio daqueles que foram mortos à espada, eles cairão. Ele foi entregue à espada; arrastem o Egito e toda a sua multidão. 21Do mundo dos mortos, os mais poderosos dos valentes, juntamente com os que o socorrem, lhe dirão: “Eles desceram, lá jazem eles, os incircuncisos, mortos à espada.”

22— Ali está a Assíria com todo o seu exército. Ao redor dela, todos os seus túmulos. Todos eles foram mortos; caíram à espada. 23Os seus túmulos foram postos nas extremidades da cova, e todo o exército da Assíria se encontra ao redor do seu túmulo. Foram mortos, caíram à espada todos esses que tinham causado espanto na terra dos viventes.

24— Ali está Elão com todo o seu exército, ao redor do seu túmulo. Todos foram mortos; caíram à espada. Desceram incircuncisos às profundezas da terra esses que causaram terror na terra dos viventes. Levaram a sua vergonha com os que desceram à cova. 25No meio dos mortos, lhe puseram um leito entre todo o seu exército. Ao redor dele estão os seus túmulos. Todos esses incircuncisos foram mortos à espada, porque causaram terror na terra dos viventes e levaram a sua vergonha com os que desceram à cova. Foram postos no meio dos que foram mortos.

26— Ali estão Meseque e Tubal com todo o seu exército. Ao redor deles estão os seus túmulos. Todos eles são incircuncisos e foram mortos à espada, porque causaram terror na terra dos viventes. 27E estão com os valentes dos tempos antigos que, dentre os incircuncisos, foram mortos e desceram ao mundo dos mortos com as suas próprias armas de guerra e com a espada debaixo da cabeça. A iniquidade deles está sobre os seus ossos, porque eram o terror dos heróis na terra dos viventes.

28— Também você, Egito, será quebrado no meio dos incircuncisos e jazerá com os que foram mortos à espada.

29— Ali está Edom, os seus reis e todos os seus príncipes, que, apesar do seu poder, jazem com os que foram mortos à espada; estes jazem com os incircuncisos e com os que desceram à cova.

30— Ali estão os príncipes do Norte, todos eles, e todos os sidônios, que desceram com os que foram mortos, envergonhados com o terror causado pelo seu poder. Eles jazem incircuncisos com os que foram mortos à espada e levam a sua vergonha com os que desceram à cova.

31— Faraó os verá e se consolará sobre toda a sua multidão. Sim, o próprio Faraó e todo o seu exército foram mortos à espada, diz o Senhor Deus. 32Porque também eu pus o meu espanto na terra dos viventes. Por isso, ele jazerá no meio dos incircuncisos, com os que foram mortos à espada, Faraó e todo o seu povo, diz o Senhor Deus.

29.1—32.32
Is 19.1-25
Jr 46.2-26

33

O dever do verdadeiro atalaia

331A palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

2— Filho do homem, fale com os filhos de seu povo e diga-lhes: Quando eu fizer vir um exército inimigo sobre uma terra, se o povo dessa terra escolher um homem do meio deles e o constituir por seu atalaia, 3e se, ao ver que o inimigo se aproxima, esse atalaia tocar a trombeta e avisar o povo, 4então aquele que ouvir o som da trombeta e não se der por avisado, se o inimigo vier e o abater, esse será responsável pela sua própria morte. 5Ele ouviu o som da trombeta e não se deu por avisado; será responsável por sua própria morte. Se ele tivesse dado atenção ao aviso, salvaria a sua vida. 6Mas, se o atalaia vir que vem o inimigo e não tocar a trombeta, e o povo não for avisado, se o inimigo vier e abater um deles, este foi abatido na sua maldade, mas quem será responsável pela morte dele é o atalaia.

7— Quanto a você, filho do homem, eu o constituí por atalaia sobre a casa de Israel. Portanto, você ouvirá a palavra da minha boca e lhes dará aviso da minha parte. 8Se eu disser ao ímpio que ele certamente morrerá, e você não falar, para advertir o ímpio do seu mau caminho, esse ímpio morrerá na sua maldade, mas você será responsável pela morte dele. 9Mas, se você falar ao ímpio, para o avisar do seu mau caminho, para que dele se converta, e ele não se converter do seu caminho, esse ímpio morrerá na sua maldade, mas você terá salvo a sua vida.

33.1-9
Ez 3.16-21

10— Filho do homem, diga à casa de Israel: Vocês dizem: “Visto que as nossas transgressões e os nossos pecados estão sobre nós, e nós desfalecemos por causa deles, como poderemos viver?” 11Diga-lhes: Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho e viva. Convertam-se! Convertam-se dos seus maus caminhos!

33.11
Ez 18.23,32
Por que vocês haveriam de morrer, ó casa de Israel?

12— Filho do homem, diga aos filhos do seu povo: A justiça do justo não o livrará no dia da sua transgressão. Quanto à maldade do ímpio, não cairá por ela, no dia em que se converter da sua maldade; nem o justo pela sua justiça poderá viver no dia em que pecar. 13Quando eu disser ao justo que certamente viverá, e ele, confiando na sua justiça, fizer maldade, não me lembrarei de nenhum dos seus atos de justiça, e ele morrerá por causa da injustiça que cometeu. 14E, quando eu disser ao ímpio que certamente morrerá, e ele se converter do seu pecado, fizer o que é justo e reto, 15restituir o penhor, devolver o que roubou, andar nos estatutos da vida e não fizer maldade, certamente viverá; não morrerá. 16De todos os pecados que cometeu, nenhum deles será lembrado contra ele. Fez o que é justo e reto; certamente viverá.

17— No entanto, os filhos do seu povo dizem: “O caminho do Senhor não é reto.” Mas é o caminho deles que não é reto. 18Se o justo se desviar da sua justiça e fizer maldade, morrerá nela. 19E, se o ímpio se converter da sua maldade e fizer o que é justo e reto, por causa desses atos viverá. 20No entanto, vocês dizem: “O caminho do Senhor não é reto.” Mas eu os julgarei, cada um segundo os seus caminhos, ó casa de Israel.

33.11-20
Ez 18.21-32

A queda de Jerusalém e as suas causas

21No décimo segundo ano do nosso exílio, aos cinco dias do décimo mês, veio a mim um sobrevivente de Jerusalém, dizendo: “A cidade caiu.”

33.21
2Rs 25.3-10
Jr 39.2-8
52.4-14
22Ora, na tarde do dia anterior, antes da chegada desse sobrevivente, a mão do Senhor havia estado sobre mim e eu recuperei a fala.
33.22
Ez 3.26-27
Assim, pela manhã, antes de chegar aquele homem, eu havia recuperado a fala, e não fiquei mais em silêncio.

23Então a palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

24— Filho do homem, os moradores desses lugares desertos da terra de Israel estão dizendo: “Abraão era um só,

33.24
Is 51.2
mas possuiu esta terra. Ora, como nós somos muitos, certamente esta terra nos foi dada como propriedade.”

25— Por isso, diga-lhes: Assim diz o Senhor Deus: “Vocês comem carne com sangue, levantam os olhos para os seus ídolos, cometem assassinatos, e ainda pensam que hão de possuir a terra? 26Vocês confiam em suas espadas, cometem abominações, cada um de vocês contamina a mulher do seu próximo,

33.26
Ez 18.6
e ainda pensam que hão de possuir a terra?” 27Diga-lhes que assim diz o Senhor Deus: “Tão certo como eu vivo, os que estiverem em lugares desertos cairão à espada, e o que estiver em campo aberto, eu o entregarei aos animais selvagens, para que o devorem, e os que estiverem em fortalezas e em cavernas morrerão de peste. 28Tornarei a terra em desolação e espanto, e o orgulho do seu poder chegará ao fim. Os montes de Israel ficarão tão desolados, que ninguém passará por eles. 29Então saberão que eu sou o Senhor, quando eu tornar a terra em desolação e espanto, por todas as abominações que cometeram.”

30— Quanto a você, filho do homem, os filhos do seu povo falam de você junto às paredes e nas portas das casas, dizendo um ao outro, cada um ao seu irmão: “Venham, vamos ouvir a palavra que procede do Senhor.” 31Eles vêm até você, como o povo costuma vir, assentam-se diante de você como meu povo e ouvem as suas palavras, mas não as põem em prática. Com a boca, professam muito amor, mas o coração deles só ambiciona lucro. 32Para eles você não passa de alguém que canta canções de amor, tem uma bela voz e é um bom músico, porque ouvem as suas palavras, mas não as põem em prática. 33Mas, quando isso vier — e certamente virá —, então saberão que um profeta esteve no meio deles.

34

Profecia contra os pastores infiéis de Israel

341A palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

2— Filho do homem, profetize contra os pastores de Israel; profetize e diga-lhes: Assim diz o Senhor Deus: “Ai dos pastores de Israel que apascentam a si mesmos!

34.2
Jr 23.1
Será que os pastores não deveriam apascentar as ovelhas? 3Vocês comem a gordura, vestem-se da lã e matam as melhores ovelhas para comer, mas não apascentam o rebanho. 4Vocês não fortaleceram as fracas, não curaram as doentes, não enfaixaram as quebradas, não trouxeram de volta as desgarradas e não buscaram as perdidas, mas dominam sobre elas com força e tirania. 5Assim, elas se espalharam, por não haver pastor,
34.5
Nm 27.17
Mt 9.36
Mc 6.34
e se tornaram pasto para todos os animais selvagens. 6As minhas ovelhas andam desgarradas por todos os montes e por todas as colinas. As minhas ovelhas andam espalhadas por toda a terra, sem haver quem as procure ou quem as busque.”

7— Por isso, pastores, ouçam a palavra do Senhor: 8“Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, visto que as minhas ovelhas foram entregues à rapina e se tornaram pasto para todos os animais selvagens, por não haver pastor, e que os meus pastores não procuram as minhas ovelhas, pois apascentam a si mesmos e não apascentam as minhas ovelhas, 9por isso, pastores, ouçam a palavra do Senhor: 10Assim diz o Senhor Deus: Eis que estou contra os pastores e lhes pedirei contas das minhas ovelhas. Farei com que deixem de apascentar ovelhas, e não apascentarão mais a si mesmos. Livrarei as minhas ovelhas da sua boca, para que já não lhes sirvam de comida.”

O cuidado de Deus pelo seu rebanho

11— Porque assim diz o Senhor Deus: “Eis que eu mesmo procurarei as minhas ovelhas e as buscarei.

34.11
Is 40.11
12Como o pastor busca o seu rebanho, no dia em que encontra ovelhas dispersas, assim buscarei as minhas ovelhas. Eu as livrarei de todos os lugares por onde foram espalhadas no dia de nuvens e densas trevas. 13Vou tirá-las do meio dos povos, e as congregarei dos diversos países, e as trarei de volta à sua terra.
34.13
Ez 11.17
28.25
Vou apascentá-las nos montes de Israel, junto às correntes de água e em todos os lugares habitados da terra. 14Deixarei que pastem em bons pastos, e nos altos montes de Israel será a sua pastagem. Ali elas se deitarão em boa pastagem e terão pastos bons nos montes de Israel. 15Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas e as farei repousar, diz o Senhor Deus.
34.15
Sl 23.1-2
16Buscarei as perdidas, trarei de volta as desgarradas, enfaixarei as quebradas e curarei as doentes;
34.16
Ez 34.4
mas destruirei as gordas e fortes. Eu as apascentarei com justiça.”

17— Quanto a vocês, minhas ovelhas, assim diz o Senhor Deus: “Eis que julgarei entre ovelhas e ovelhas, entre carneiros e bodes.

34.17
Mt 25.32
18Será que não lhes basta a boa pastagem? Ainda precisam pisar aos pés o resto do seu pasto? E não lhes basta o fato de terem bebido a água limpa? Ainda precisam turvar o resto com os pés? 19As minhas ovelhas têm de comer o que vocês pisaram com os pés e beber o que vocês turvaram com os pés.”

20— Por isso, assim lhes diz o Senhor Deus: “Eis que eu mesmo julgarei entre ovelhas gordas e ovelhas magras. 21Visto que, com o lado e com o ombro, vocês dão empurrões e, com os chifres, rechaçam todas as ovelhas fracas até que as tenham espalhado por toda parte, 22eu livrarei as minhas ovelhas, para que não mais sirvam de rapina, e julgarei entre ovelhas e ovelhas. 23Porei sobre elas um só pastor, e ele as apascentará:

34.23
Ap 7.17
o meu servo Davi. Ele as apascentará e será o seu pastor. 24Eu, o Senhor, serei o seu Deus, e o meu servo Davi será príncipe no meio delas.
34.24
Ez 37.24
Eu, o Senhor, falei.”

25— “Farei uma aliança de paz com as minhas ovelhas. Livrarei a terra de animais selvagens, para que as minhas ovelhas vivam em segurança no deserto e durmam nos bosques. 26Delas e dos lugares ao redor do meu monte, eu farei uma bênção. Farei descer a chuva a seu tempo; serão chuvas de bênção. 27As árvores do campo darão o seu fruto, e a terra dará as suas colheitas. As ovelhas estarão seguras na sua terra e saberão que eu sou o Senhor, quando eu quebrar o jugo que pesava sobre elas e as livrar das mãos dos que as escravizavam.

34.27
Jr 30.8
28Já não servirão de rapina aos gentios, nem serão devoradas por animais selvagens. Viverão em segurança, e não haverá quem as espante. 29Eu lhes darei plantação memorável, e nunca mais serão vítimas de fome na terra, nem terão de suportar a zombaria das outras nações. 30Saberão que eu, o Senhor, seu Deus, estou com elas e que elas são o meu povo,
34.30
Ez 14.11
a casa de Israel”, diz o Senhor Deus.

31— “Vocês são as minhas ovelhas, ovelhas do meu pasto.

34.31
Sl 100.3
Vocês são o meu povo, e eu sou o seu Deus”, diz o Senhor Deus.