Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
30

O Egito será conquistado pela Babilônia

301A palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

2— Filho do homem, profetize e diga: Assim diz o Senhor Deus:

“Gritem: Ah! Aquele dia!

3Porque está perto o dia,

sim, está perto o Dia do Senhor.

30.3
Is 13.6

Será um dia de nuvens,

o tempo dos gentios.

4A espada virá contra o Egito,

e haverá grande angústia

na Etiópia,

quando caírem os feridos no Egito;

o seu povo será levado

para o cativeiro,

e serão destruídos

os seus fundamentos.

5A Etiópia, Pute, Lude

e toda a Arábia,

os de Cube e os homens

da terra da aliança

cairão à espada

juntamente com o Egito.”

6Assim diz o Senhor:

“Também cairão

os que sustêm o Egito,

e será humilhado

o orgulho do seu poder.

Desde Migdol até Sevene,

30.6
Ez 29.10

cairão à espada”,

diz o Senhor Deus.

7“Serão desolados

no meio de terras desertas,

e as suas cidades estarão no meio

das cidades devastadas.

30.7
Ez 29.12

8Saberão que eu sou o Senhor,

quando eu tiver posto

fogo no Egito

e forem destruídos todos

os que lhe prestavam auxílio.”

9— Naquele dia, enviarei mensageiros em navios, para amedrontarem o povo da Etiópia, que vive despreocupado, e haverá angústia entre eles no dia da ruína do Egito; pois eis que já vem.

10Assim diz o Senhor Deus:

“Farei cessar a pompa do Egito,

por meio de Nabucodonosor,

rei da Babilônia.

11Ele e o seu povo com ele,

os mais terríveis das nações,

serão levados

para destruírem a terra;

atacarão o Egito

com suas espadas na mão

e encherão a terra de mortos.

12Secarei os rios e venderei a terra,

entregando-a nas mãos dos maus.

30.12
Is 19.4

Por meio de estrangeiros,

farei desolada a terra

e a sua plenitude.

Eu, o Senhor, falei.”

13Assim diz o Senhor Deus:

“Também destruirei os ídolos

e eliminarei as imagens de Mênfis.

Não haverá mais príncipe

na terra do Egito,

onde implantarei o terror.

14Farei de Patros uma desolação,

porei fogo em Zoã

e executarei juízo em Tebas.

15Derramarei o meu furor

sobre Sim, fortaleza do Egito,

e exterminarei

a multidão de Tebas.

16Atearei fogo no Egito.

A cidade de Sim

terá grande angústia,

Tebas será destruída,

e Mênfis terá adversários

em pleno dia.

17Os jovens de Áven e de Pi-Besete

cairão à espada,

e estas cidades

irão para o cativeiro.

18Em Tafnes, o dia se escurecerá,

quando eu quebrar ali

os jugos do Egito

e nela cessar

o orgulho do seu poder;

uma nuvem a cobrirá,

e as suas filhas

irão para o cativeiro.

19Assim, executarei juízo no Egito,

e saberão que eu sou o Senhor.”

O rei de braços quebrados

20No décimo primeiro ano, no primeiro mês, aos sete dias do mês, a palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

21— Filho do homem, eu quebrei o braço de Faraó, rei do Egito, e eis que não foi atado para que seja tratado com remédios, nem posto numa tala para tornar-se forte o bastante para empunhar a espada. 22Portanto, assim diz o Senhor Deus: “Eis que eu estou contra Faraó, rei do Egito. Quebrarei os seus braços, tanto o forte como o que já está quebrado, e farei com que a espada caia da sua mão. 23Dispersarei os egípcios entre as nações e os espalharei por outras terras.

30.23
Ez 29.12
24Fortalecerei os braços do rei da Babilônia e porei a minha espada na mão dele. Porém quebrarei os braços de Faraó, que, diante dele, gemerá como geme quem foi mortalmente ferido. 25Levantarei os braços do rei da Babilônia, mas os braços de Faraó cairão. Saberão que eu sou o Senhor, quando eu puser a minha espada na mão do rei da Babilônia e ele a estender contra a terra do Egito. 26Dispersarei os egípcios entre as nações e os espalharei por outras terras. Assim eles saberão que eu sou o Senhor.”

31

O destino do Egito

311No décimo primeiro ano, no terceiro mês, no primeiro dia do mês, a palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

2— Filho do homem, diga a Faraó, rei do Egito, e à multidão do seu povo:

“A quem você é semelhante

em sua grandeza?

3Eis que a Assíria

era um cedro no Líbano,

de lindos ramos,

de sombrosa folhagem

e de grande estatura, cujo topo

chegava até as nuvens.

31.3
Ez 19.11

4As águas o fizeram crescer;

as fontes do abismo

o fortaleceram,

fazendo correr as suas torrentes

no lugar em que

ele estava plantado

e enviando os seus ribeiros

para todas as árvores

do campo.

5Cresceu mais do que

todas as árvores do campo;

os seus galhos se multiplicaram

e os seus ramos se alongaram,

por causa das muitas águas

durante o seu crescimento.

6Todas as aves do céu

se aninhavam nos seus galhos,

31.6
Ez 17.23

todos os animais do campo

davam cria debaixo

dos seus ramos,

e todos os grandes povos

se assentavam à sua sombra.

7Ele era formoso na sua grandeza

e na extensão dos seus ramos,

porque as suas raízes

estavam junto às muitas águas.

8Os cedros no jardim de Deus

31.8
Gn 2.9

não lhe eram rivais;

os ciprestes não igualavam

os seus ramos,

e os plátanos não tinham renovos

como os seus;

nenhuma árvore no jardim de Deus

se assemelhava a esse cedro

na sua formosura.

9Eu o fiz formoso, com a multidão

dos seus ramos.

Todas as árvores do Éden,

que estavam no jardim de Deus,

tinham inveja dele.”

10— Portanto, assim diz o Senhor Deus: Visto que ela elevou a sua estatura, o seu topo chegou até as nuvens e o seu coração ficou orgulhoso da sua altura, 11eu entregarei essa árvore nas mãos da mais poderosa das nações, que certamente lhe dará o tratamento que a sua impiedade merece. Eu a rejeitei. 12Os mais terríveis estrangeiros dentre as nações

31.12
Ez 28.7
a cortaram e a abandonaram. Os seus galhos caíram sobre os montes e por todos os vales; os seus ramos jazem quebrados em todos os ribeiros da terra; todos os povos da terra se retiraram da sua sombra e a deixaram. 13Todas as aves do céu habitarão nas suas ruínas, e todos os animais selvagens se acolherão sob os seus ramos. 14Isso aconteceu para que todas as árvores junto às águas não elevem a sua estatura nem levantem o seu topo até as nuvens, e para que as bem-regadas não venham a confiar em si, por causa da sua altura. Porque todas foram entregues à morte, às profundezas da terra, no meio dos filhos dos homens, com os que descem à cova.
31.14
Ez 26.20

15— Assim diz o Senhor Deus: No dia em que a árvore desceu ao mundo dos mortos, fiz com que houvesse luto. Por causa dela, cobri o abismo, retive as suas cadeias, e as suas muitas águas se detiveram; cobri o Líbano de preto, por causa dela, e todas as árvores do campo ficaram murchas por causa dela. 16Fiz tremer as nações ao som da sua queda,

31.16
Ez 26.15
quando a fiz descer ao mundo dos mortos com os que descem ao abismo. Todas as árvores do Éden, as mais bonitas e as melhores do Líbano, todas as que foram regadas pelas águas se consolavam nas profundezas da terra. 17Também estas, com ela, descerão ao mundo dos mortos, para juntar-se com os que foram mortos à espada; sim, os que foram o braço dela e que estavam assentados à sua sombra entre as nações.
31.17
Ez 31.6

18— A quem, pois, você é semelhante em glória e em grandeza entre as árvores do Éden? No entanto, você descerá às profundezas da terra com as árvores do Éden. No meio dos incircuncisos, você jazerá com os que foram mortos à espada. Este é Faraó e toda a sua pompa,

31.18
Ez 30.10
diz o Senhor Deus.

32

Lamentação sobre Faraó, rei do Egito

321No décimo segundo ano, no décimo segundo mês, no primeiro dia do mês, a palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

2— Filho do homem, faça uma lamentação sobre Faraó, rei do Egito, e diga-lhe:

“Você foi comparado

a um leão entre as nações,

mas não passa

de um crocodilo nas águas,

32.2
Ez 29.3

agitando as águas,

turvando-as com os pés,

sujando os rios.”

3Assim diz o Senhor Deus:

“Estenderei sobre você

a minha rede

32.3
Ez 12.13
17.20

no meio de muitos povos,

que o puxarão para fora

na minha rede.

4Eu o deixarei no chão,

eu o lançarei em campo aberto.

Trarei sobre você

todas as aves do céu,

e os animais de toda a terra

se fartarão da sua carne.

32.4
Ez 29.5

5Porei as suas carnes

sobre os montes

e encherei os vales

com o seu cadáver.

6Com o seu sangue

que se derrama,

regarei a terra até os montes,

e dele se encherão os ribeiros.

7Quando eu o extinguir,

cobrirei os céus

e farei escurecer as estrelas;

encobrirei o sol com uma nuvem,

e a lua não fará resplandecer

a sua luz.

32.7
Is 13.10
Mt 24.29
Ap 6.12-13
8.12

8Por sua causa, vestirei de preto

todos os brilhantes luzeiros

do céu

32.8
Gn 1.14

e trarei trevas sobre o seu país”,

diz o Senhor Deus.

9— “Afligirei o coração de muitos povos, quando se levar às nações, às terras que você não conheceu, a notícia da sua destruição. 10Farei com que muitos povos fiquem espantados a seu respeito, e os seus reis tremam de medo, quando eu brandir a minha espada diante deles. No dia em que você cair, eles ficarão tremendo sem parar,

32.10
Ez 26.16
com medo de perder a vida.”

11— Pois assim diz o Senhor Deus: “A espada do rei da Babilônia virá contra você.

32.11
Ez 29.19
12Farei com que a multidão do seu povo caia à espada de valentes guerreiros, que são todos os mais terríveis das nações.”

“Eles acabarão

com o orgulho do Egito,

e todo o seu povo será destruído.

13Destruirei todos os seus animais

junto às muitas águas,

que nunca mais serão turvadas

por pés humanos

ou por cascos de animais.

14Então farei assentar

as suas águas

e farei correr os seus rios

como o azeite”,

diz o Senhor Deus.

15“Quando eu tornar o Egito

em desolação

e a terra for destituída

de tudo o que a enchia,

e quando eu destruir

todos os que nela habitam,

então saberão

que eu sou o Senhor.”

16— Esta é a lamentação que se fará, que farão as filhas das nações; sobre o Egito e todo o seu povo se lamentará, diz o Senhor Deus.

O Egito desce ao mundo dos mortos

17No décimo segundo ano, aos quinze dias do primeiro mês, a palavra do Senhor veio a mim, dizendo:

18— Filho do homem, pranteie sobre a multidão do Egito e faça-a descer, ela e as filhas das nações poderosas, às profundezas da terra, juntamente com os que descem à cova. 19Diga o seguinte:

“Você pensa que supera

os outros em beleza?

Pois agora desça e deite-se

com os incircuncisos.”

32.19
Ez 31.18

20— No meio daqueles que foram mortos à espada, eles cairão. Ele foi entregue à espada; arrastem o Egito e toda a sua multidão. 21Do mundo dos mortos, os mais poderosos dos valentes, juntamente com os que o socorrem, lhe dirão: “Eles desceram, lá jazem eles, os incircuncisos, mortos à espada.”

22— Ali está a Assíria com todo o seu exército. Ao redor dela, todos os seus túmulos. Todos eles foram mortos; caíram à espada. 23Os seus túmulos foram postos nas extremidades da cova, e todo o exército da Assíria se encontra ao redor do seu túmulo. Foram mortos, caíram à espada todos esses que tinham causado espanto na terra dos viventes.

24— Ali está Elão com todo o seu exército, ao redor do seu túmulo. Todos foram mortos; caíram à espada. Desceram incircuncisos às profundezas da terra esses que causaram terror na terra dos viventes. Levaram a sua vergonha com os que desceram à cova. 25No meio dos mortos, lhe puseram um leito entre todo o seu exército. Ao redor dele estão os seus túmulos. Todos esses incircuncisos foram mortos à espada, porque causaram terror na terra dos viventes e levaram a sua vergonha com os que desceram à cova. Foram postos no meio dos que foram mortos.

26— Ali estão Meseque e Tubal com todo o seu exército. Ao redor deles estão os seus túmulos. Todos eles são incircuncisos e foram mortos à espada, porque causaram terror na terra dos viventes. 27E estão com os valentes dos tempos antigos que, dentre os incircuncisos, foram mortos e desceram ao mundo dos mortos com as suas próprias armas de guerra e com a espada debaixo da cabeça. A iniquidade deles está sobre os seus ossos, porque eram o terror dos heróis na terra dos viventes.

28— Também você, Egito, será quebrado no meio dos incircuncisos e jazerá com os que foram mortos à espada.

29— Ali está Edom, os seus reis e todos os seus príncipes, que, apesar do seu poder, jazem com os que foram mortos à espada; estes jazem com os incircuncisos e com os que desceram à cova.

30— Ali estão os príncipes do Norte, todos eles, e todos os sidônios, que desceram com os que foram mortos, envergonhados com o terror causado pelo seu poder. Eles jazem incircuncisos com os que foram mortos à espada e levam a sua vergonha com os que desceram à cova.

31— Faraó os verá e se consolará sobre toda a sua multidão. Sim, o próprio Faraó e todo o seu exército foram mortos à espada, diz o Senhor Deus. 32Porque também eu pus o meu espanto na terra dos viventes. Por isso, ele jazerá no meio dos incircuncisos, com os que foram mortos à espada, Faraó e todo o seu povo, diz o Senhor Deus.

29.1—32.32
Is 19.1-25
Jr 46.2-26