Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
31

Os artífices da obra do tabernáculo

Êx 35.30—36.1

311O Senhor disse mais a Moisés:

2— Eis que chamei pelo nome Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, 3e o enchi do Espírito de Deus, de habilidade, de inteligência e de conhecimento, em todo artifício, 4para elaborar desenhos e trabalhar em ouro, prata e bronze, 5para lapidação de pedras de engaste, para entalho de madeira, para todo tipo de trabalho artesanal. 6Escolhi Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã, para trabalhar com ele. Também dei habilidade a todos os homens hábeis, para que me façam tudo o que tenho ordenado: 7a tenda do encontro, a arca do testemunho, o propiciatório que está por cima dela e todos os pertences da tenda; 8a mesa com os seus utensílios, o candelabro de ouro puro com todos os seus utensílios e o altar do incenso; 9o altar do holocausto com todos os seus utensílios e a bacia com o seu suporte; 10as vestes finamente tecidas, as vestes sagradas do sacerdote Arão e as vestes de seus filhos, para servirem como sacerdotes; 11o óleo da unção e o incenso aromático para o santuário; eles farão tudo segundo tenho ordenado.

O sábado santo e as duas tábuas do testemunho

12Disse mais o Senhor a Moisés:

13— Fale aos filhos de Israel e diga-lhes o seguinte: “Certamente vocês guardarão os meus sábados, pois é sinal entre mim e vocês de geração em geração, para que vocês saibam que eu sou o Senhor, que os santifica. 14Portanto, guardem o sábado, porque é santo para vocês. Aquele que o profanar morrerá; quem nesse dia fizer alguma obra será eliminado do meio do seu povo. 15Seis dias se trabalhará,

31.15
Êx 20.8-11
Dt 5.12-15
porém o sétimo dia é o sábado do repouso solene, santo ao Senhor; quem fizer alguma obra no dia do sábado morrerá. 16Os filhos de Israel guardarão o sábado, celebrando-o por aliança perpétua de geração em geração. 17Entre mim e os filhos de Israel é sinal para sempre; porque, em seis dias, o Senhor fez os céus e a terra e, no sétimo dia, descansou e tomou alento.”

18Quando o Senhor acabou de falar com Moisés no monte Sinai, deu a ele as duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus.

32

O bezerro de ouro

Dt 9.6-21

321O povo viu que Moisés demorava para descer do monte. Então reuniu-se em volta de Arão e lhe disse:

— Levante-se, faça para nós deuses que vão adiante de nós; pois, quanto a este Moisés, o homem que nos tirou do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu.

2Arão respondeu:

— Tirem as argolas de ouro das orelhas de suas mulheres, de seus filhos e de suas filhas e tragam para mim.

3Então todo o povo tirou das orelhas as argolas e as trouxe a Arão. 4Este, recebendo-as das mãos deles, trabalhou o ouro com buril e fez dele um bezerro de metal fundido. Então disseram:

— São estes, ó Israel, os seus deuses, que tiraram você da terra do Egito.

5Arão, vendo isso, edificou um altar diante do bezerro e fez a seguinte proclamação:

— Amanhã haverá festa ao Senhor.

6No dia seguinte, madrugaram, ofereceram holocaustos e trouxeram ofertas pacíficas. E o povo sentou-se para comer e beber

32.6
1Co 10.7
e levantou-se para se divertir.
32.1-6
At 7.39-41

7Então o Senhor disse a Moisés:

— Vá, desça; porque o seu povo, o povo que você tirou do Egito, se corrompeu 8e depressa se desviou do caminho que eu lhe havia ordenado; fez para si um bezerro de metal fundido, o adorou e lhe ofereceu sacrifícios, dizendo: “São estes, ó Israel, os seus deuses, que tiraram você da terra do Egito.”

9O Senhor disse ainda a Moisés:

— Tenho visto este povo, e eis que é povo teimoso. 10Agora, pois, deixe-me, para que se acenda contra eles o meu furor, e eu os consuma; e de você farei uma grande nação.

Moisés intercede pelo povo

Êx 32.30-34; Dt 9.25-29

11Porém Moisés suplicou ao Senhor, seu Deus, dizendo:

— Ó Senhor, por que se acende a tua ira contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito com grande poder e forte mão? 12Por que deixar que os egípcios digam: “Ele os tirou de lá com más intenções, para matá-los nos montes e para eliminá-los da face da terra”? Deixa de lado o furor da tua ira e muda de ideia quanto a este mal contra o teu povo. 13Lembra-te de Abraão, de Isaque e de Israel, teus servos, aos quais por ti mesmo juraste, dizendo: “Multiplicarei

32.13
Gn 22.16-17
a descendência de vocês como as estrelas do céu, e toda esta terra
32.13
Gn 17.8
de que tenho falado, eu a darei à sua descendência, para que a possuam por herança eternamente.”

14Então o Senhor mudou de ideia quanto ao mal que ele tinha dito que traria sobre o povo.

15Moisés voltou-se e desceu do monte com as duas tábuas do testemunho nas mãos, tábuas escritas de ambos os lados; de um e de outro lado estavam escritas. 16As tábuas eram obra de Deus; também o que estava escrito tinha sido escrito pelo próprio Deus, esculpido nas tábuas.

17Quando Josué ouviu a voz do povo que gritava, disse a Moisés:

— Há um alarido de guerra no arraial.

18Moisés respondeu:

— O que ouço não é alarido de vencedores nem de vencidos, mas o alarido de pessoas cantando.

19Logo que se aproximou do arraial e viu o bezerro e as danças, Moisés ficou muito irado. Arremessou as tábuas de pedra das suas mãos e quebrou-as ao pé do monte. 20E, pegando o bezerro que tinham feito, queimou-o e o reduziu a pó, que espalhou sobre a água, e deu de beber aos filhos de Israel. 21Depois, Moisés perguntou a Arão:

— O que foi que esse povo fez a você, para que você trouxesse sobre ele tão grande pecado?

22Arão respondeu:

— Não fique irado, meu senhor. Você sabe que este povo é propenso para o mal. 23Pois me disseram: “Faça para nós deuses que vão adiante de nós; pois, quanto a este Moisés, o homem que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu.” 24Então eu lhes disse: “Quem tem ouro, tire-o.” Eles o deram para mim, eu o lancei no fogo, e saiu este bezerro.

Moisés manda matar os idólatras

25Quando Moisés viu que o povo estava sem controle, pois Arão o tinha deixado à solta para vergonha no meio dos seus inimigos, 26pôs-se em pé à entrada do arraial e disse:

— Quem é do Senhor venha até mim.

Então se juntaram a ele todos os filhos de Levi, 27aos quais ele disse:

— Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: “Cada um ponha a espada na cintura. Passem e tornem a passar pelo arraial de porta em porta, e cada um mate o seu irmão, o seu amigo e o seu vizinho.”

28E os filhos de Levi fizeram segundo a palavra de Moisés e, naquele dia, morreram uns três mil homens. 29Pois Moisés tinha dito: “Consagrem-se hoje ao Senhor, cada um contra o seu filho e contra o seu irmão, para que hoje Deus lhes conceda uma bênção.”

Moisés intercede pelo povo

Êx 32.11-14; Dt 9.25-29

30No dia seguinte, Moisés disse ao povo:

— Vocês cometeram um grande pecado. Agora, porém, subirei ao Senhor; talvez eu possa fazer propiciação pelo pecado de vocês.

31Moisés voltou ao Senhor e disse:

— Ah! O povo cometeu grande pecado, fazendo para si deuses de ouro. 32Agora, pois, perdoa-lhe o pecado; ou, se não, peço-te que me risques do livro que escreveste.

33Então o Senhor disse a Moisés:

— Riscarei do meu livro todo aquele que pecar contra mim.

32.32-33
Ap 3.5
34Vá, pois, agora, e conduza o povo para o lugar do qual falei a você. Eis que o meu Anjo irá adiante de você. Porém, no dia da minha visitação, eu os castigarei pelo pecado que cometeram.

35Assim, o Senhor feriu o povo, porque fizeram o bezerro — aquele que Arão tinha feito.

33

O Anjo de Deus irá adiante do povo

331O Senhor disse a Moisés:

— Suba deste lugar, você e o povo que você tirou da terra do Egito, e vá para a terra a respeito da qual jurei a Abraão,

33.1
Gn 12.7
a Isaque
33.1
Gn 26.3
e a Jacó,
33.1
Gn 28.13
dizendo: “Eu a darei à sua descendência.” 2Enviarei o Anjo adiante de você e expulsarei os cananeus, os amorreus, os heteus, os ferezeus, os heveus e os jebuseus. 3Vão para uma terra que mana leite e mel. Eu não irei no meio de vocês, porque vocês são um povo teimoso, para que eu não os destrua no caminho.

4Quando o povo ouviu estas más notícias, pôs-se a prantear, e nenhum deles usou as suas joias. 5Porque o Senhor tinha dito a Moisés: “Diga aos filhos de Israel: ‘Vocês são um povo teimoso. Se eu fosse com vocês, ainda que por um momento, eu os destruiria. Portanto, tirem as suas joias, para que eu saiba o que hei de fazer com vocês.’”

6Então os filhos de Israel tiraram de si as suas joias desde o monte Horebe em diante.

A tenda do encontro

7Ora, Moisés costumava pegar a tenda e armá-la para si, fora, bem longe do arraial. Ele a chamava de “tenda do encontro”. Todo aquele que buscava o Senhor saía à tenda do encontro, que estava fora do arraial. 8Quando Moisés saía para a tenda, fora, todo o povo se erguia, cada um em pé à porta da sua tenda, e seguiam-no com os olhos, até ele entrar na tenda. 9Quando Moisés entrava na tenda, descia a coluna de nuvem e punha-se à porta da tenda; e o Senhor falava com Moisés. 10Todo o povo via a coluna de nuvem que se detinha à porta da tenda; todo o povo se levantava, e cada um, à porta da sua tenda, adorava o Senhor. 11O Senhor falava com Moisés face a face, como quem fala com o seu amigo. Depois Moisés voltava para o arraial. Porém o moço Josué, seu auxiliar, filho de Num, não se afastava da tenda.

Moisés roga a Deus a sua presença

12Moisés disse ao Senhor:

— Eis que me dizes para conduzir este povo, mas não me disseste quem enviarás comigo. Disseste: “Eu conheço você pelo nome e você alcançou favor diante de mim.” 13Agora, se alcancei favor diante de ti, peço que me faças saber neste momento o teu caminho, para que eu te conheça e obtenha favor diante de ti; e lembra-te que esta nação é teu povo.

14Deus respondeu:

— A minha presença irá com você, e eu lhe darei descanso.

15Então Moisés disse:

— Se a tua presença não for comigo, não nos faças sair deste lugar. 16Pois como se poderá saber que alcançamos favor diante de ti, eu e o teu povo? Será que não é o fato de andares conosco, de maneira que somos separados, eu e o teu povo, de todos os povos da terra?

Moisés roga a Deus que lhe mostre a sua glória

17O Senhor disse a Moisés:

— Farei também isto que você falou, porque você alcançou favor diante de mim, e eu o conheço pelo nome.

18Então Moisés disse:

— Peço que me mostres a tua glória.

19O Senhor respondeu:

— Farei passar toda a minha bondade diante de você e lhe proclamarei o nome do Senhor; terei misericórdia

33.19
Rm 9.15
de quem eu tiver misericórdia e me compadecerei de quem eu me compadecer.

20E acrescentou:

— Você não poderá ver a minha face, porque ninguém verá a minha face e viverá.

21Disse mais o Senhor:

— Eis aqui um lugar perto de mim, onde você ficará sobre a rocha. 22Quando a minha glória passar, eu porei você numa fenda da rocha e o cobrirei com a mão, até que eu tenha passado. 23Depois, quando eu tirar a mão, você me verá pelas costas; mas a minha face ninguém verá.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]