Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
13

A consagração dos primogênitos

131O Senhor disse a Moisés:

2— Consagre-me

13.2
Lc 2.23
todo primogênito. Todo o primeiro que sair do ventre de sua mãe entre os israelitas, tanto de homens como de animais, é meu.

A Festa dos Pães sem Fermento

3Moisés disse ao povo:

— Lembrem-se deste dia, o dia em que vocês saíram do Egito, da casa da servidão; pois com mão forte o Senhor os tirou de lá; portanto, não comam pão feito com fermento. 4Hoje, mês de abibe, vocês estão saindo do Egito. 5Quando o Senhor os tiver introduzido na terra dos cananeus, dos heteus, dos amorreus, dos heveus e dos jebuseus, terra que o Senhor jurou a seus pais que daria a vocês, terra que mana leite e mel, vocês observarão este rito neste mês. 6Durante sete dias vocês comerão pães sem fermento; e no sétimo dia haverá festa ao Senhor. 7Durante sete dias vocês comerão pães sem fermento. Nada que tenha sido levedado se encontrará entre vocês nem ainda fermento será encontrado em todo o seu território.

8— Naquele mesmo dia, vocês dirão a seus filhos: “Isto é pelo que o Senhor nos fez, quando saímos do Egito.” 9E será como sinal na mão de vocês e por memorial entre os seus olhos, para que a lei do Senhor esteja na sua boca; pois com mão forte o Senhor os tirou do Egito. 10Portanto, guardem esta ordenança no tempo determinado, de ano em ano.

A separação dos primogênitos

11— Quando o Senhor os tiver introduzido na terra dos cananeus, como jurou a vocês e aos seus pais, quando ele lhes tiver dado essa terra, 12vocês deverão separar

13.12
Lc 2.23
para o Senhor todo primeiro filho homem que nascer e todo primogênito dos seus animais; os filhos e filhotes machos serão do Senhor. 13Porém todo primogênito da jumenta vocês poderão resgatar com um cordeiro; se não o resgatarem, deverá ser desnucado; mas vocês resgatarão todo primogênito do homem entre os seus filhos.

14— Se no futuro o seu filho perguntar: “O que significa isso?”, você responderá: “O Senhor com mão forte nos tirou da casa da servidão. 15Pois aconteceu que, endurecendo-se Faraó para não nos deixar sair, o Senhor matou todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito do homem até o primogênito dos animais; por isso, sacrificamos ao Senhor todo primeiro filhote macho. Mas a todo primogênito de nossos filhos nós resgatamos.” 16E isto será como sinal nas suas mãos e por frontais13.16 Faixa de pano usada à volta da cabeça entre os seus olhos; porque o Senhor com mão forte nos tirou do Egito.

Deus guia o povo pelo caminho

17Quando Faraó deixou o povo ir, Deus não os levou pelo caminho da terra dos filisteus, embora fosse mais perto, pois disse:

— Para não acontecer que, vendo a guerra, o povo se arrependa e queira voltar para o Egito.

18Porém Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto perto do mar Vermelho. Os filhos de Israel saíram do Egito organizados como um exército. 19Moisés levou consigo também os ossos de José,

13.19
Gn 50.25
Js 24.32
pois este havia feito com que os filhos de Israel jurassem solenemente, dizendo: “Deus certamente visitará vocês. Quando isso acontecer, levem os meus ossos daqui.”

20Os israelitas partiram de Sucote e acamparam em Etã, à entrada do deserto. 21O Senhor ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para os iluminar, a fim de que caminhassem de dia e de noite. 22A coluna de nuvem nunca se afastou do povo durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite.

14

A travessia do mar Vermelho

141O Senhor disse a Moisés:

2— Diga aos filhos de Israel que voltem e se acampem diante de Pi-Hairote, entre Migdol e o mar, diante de Baal-Zefom; em frente desse lugar, junto ao mar, vocês acamparão. 3Então Faraó dirá a respeito dos filhos de Israel: “Estão desorientados na terra, presos no deserto.” 4Eu vou endurecer o coração de Faraó, para que os persiga, e serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército. E os egípcios saberão que eu sou o Senhor.

Eles assim o fizeram.

5Quando foi anunciado ao rei do Egito que o povo fugia, ele e os seus oficiais mudaram de ideia a respeito do povo. Disseram:

— Que é isto que fizemos, permitindo que Israel nos deixasse de servir?

6E Faraó aprontou o seu carro de guerra e levou consigo o seu povo. 7Levou também seiscentos carros de guerra escolhidos e todos os outros carros de guerra do Egito com capitães sobre todos eles. 8Porque o Senhor endureceu o coração de Faraó, rei do Egito, para que perseguisse os filhos de Israel. Porém os filhos de Israel saíram, marchando corajosamente.

9Os egípcios os perseguiram, com todos os cavalos e carros de guerra de Faraó, os seus cavaleiros e o seu exército, e os alcançaram acampados junto ao mar, perto de Pi-Hairote, diante de Baal-Zefom.

10E, chegando Faraó, os filhos de Israel levantaram os olhos e eis que os egípcios vinham atrás deles, e ficaram com muito medo. Então os filhos de Israel clamaram ao Senhor. 11Disseram a Moisés:

— Será que foi por não haver sepulturas no Egito que você nos tirou de lá, para que morramos neste deserto? O que foi que você fez conosco, tirando-nos do Egito? 12Não foi isso que dissemos a você no Egito: “Deixe-nos em paz, para que sirvamos os egípcios”? Pois teria sido melhor para nós servir os egípcios do que morrer no deserto.

13Moisés, porém, respondeu ao povo:

— Não tenham medo; fiquem firmes e vejam o livramento que o Senhor lhes fará no dia de hoje, porque vocês nunca mais verão esses egípcios que hoje vocês estão vendo. 14O Senhor lutará por vocês; fiquem calmos.

A passagem pelo meio do mar

15O Senhor disse a Moisés:

— Por que você está clamando a mim? Diga aos filhos de Israel que marchem. 16E você, levante o seu bordão e estenda a mão sobre o mar. As águas se dividirão, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco. 17Eis que vou endurecer o coração dos egípcios, para que venham atrás de vocês e entrem no mar. Serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, nos seus carros de guerra e nos seus cavaleiros; 18e os egípcios saberão que eu sou o Senhor, quando for glorificado em Faraó, nos seus carros de guerra e nos seus cavaleiros.

19Então o Anjo de Deus, que ia adiante do exército de Israel, se retirou e passou para trás deles. Também a coluna de nuvem se retirou de diante deles, e se pôs atrás deles, 20e ia entre o exército dos egípcios e o exército de Israel. A nuvem era escuridão para os egípcios, mas iluminava a noite para o povo de Israel, assim que, durante toda a noite, os dois exércitos não puderam se aproximar.

21Então Moisés estendeu a mão sobre o mar, e o Senhor, por um forte vento leste que soprou toda aquela noite, fez com que o mar se retirasse, tornando-se terra seca, e as águas foram divididas. 22Os filhos de Israel entraram pelo meio

14.22
Hb 11.29
do mar em seco, e as águas foram qual muralha à direita e à esquerda deles. 23Os egípcios que os perseguiam entraram atrás deles, todos os cavalos de Faraó, os seus carros de guerra e os seus cavaleiros, até o meio do mar. 24Na vigília da manhã, o Senhor, na coluna de fogo e de nuvem, viu o acampamento dos egípcios e criou alvoroço no acampamento dos egípcios; 25emperrou as rodas dos carros dos egípcios, fazendo com que andassem com dificuldade. Então os egípcios disseram:

— Vamos fugir da presença de Israel, porque o Senhor está lutando por eles contra os egípcios.

Os egípcios morrem no mar

26O Senhor disse a Moisés:

— Estenda a mão sobre o mar, para que as águas se voltem sobre os egípcios, sobre os seus carros de guerra e sobre os seus cavaleiros.

27Então Moisés estendeu a mão sobre o mar, e o mar, ao romper da manhã, retomou a sua força. Os egípcios fugiram de encontro a ele, e o Senhor jogou os egípcios para dentro do mar. 28As águas voltaram e cobriram os carros de guerra e os cavaleiros de todo o exército de Faraó, que os haviam seguido no mar; nem ao menos um deles escapou com vida. 29Mas os filhos de Israel caminhavam a pé enxuto pelo meio do mar; e as águas lhes eram quais muralhas, à sua direita e à sua esquerda.

30Assim o Senhor livrou Israel, naquele dia, das mãos dos egípcios; e Israel viu os egípcios mortos na praia do mar. 31E Israel viu o grande poder que o Senhor havia usado contra os egípcios; e o povo temeu o Senhor e confiou no Senhor e em Moisés, seu servo.

15

O cântico de Moisés

151Então Moisés e os filhos de Israel entoaram este cântico

15.1
Ap 15.3
ao Senhor:

“Cantarei ao Senhor,

porque triunfou gloriosamente;

lançou no mar o cavalo

e o seu cavaleiro.

2O Senhor é a minha força

e o meu cântico;

15.2
Sl 118.14
Is 12.2

ele se tornou a minha salvação.

Este é o meu Deus;

portanto, eu o louvarei;

ele é o Deus de meu pai;

por isso, o exaltarei.

3O Senhor é homem de guerra;

Senhor é o seu nome.

4Lançou no mar os carros de Faraó

e o seu exército;

e os seus capitães afogaram-se

no mar Vermelho.

5As águas profundas os cobriram;

desceram às profundezas

como pedra.

6A tua mão direita, ó Senhor,

é gloriosa em poder;

a tua mão direita, ó Senhor,

despedaça o inimigo.

7Na grandeza da tua excelência,

derrubas os que se levantam

contra ti;

envias o teu furor,

que os consome como palha.

8Com o sopro das tuas narinas,

amontoaram-se as águas,

15.8
Êx 14.21-22

as correntes pararam em montão;

as águas profundas

se tornaram sólidas

no coração do mar.

9O inimigo dizia:

‘Perseguirei, alcançarei,

repartirei os despojos;

a minha alma se fartará deles,

arrancarei a minha espada,

e a minha mão os destruirá.’

10Sopraste com o teu vento,

e o mar os cobriu;

afundaram-se como chumbo

em águas impetuosas.”

11“Ó Senhor, quem é como tu

entre os deuses?

Quem é como tu,

glorificado em santidade,

terrível em feitos gloriosos,

que operas maravilhas?

12Estendeste a mão direita,

e a terra os engoliu.

13Com a tua bondade

guiaste o povo que salvaste;

com a tua força o levaste

à habitação da tua santidade.

14Os povos ouviram

e estremeceram;

agonias apoderaram-se

dos habitantes da Filístia.

15Então os chefes de Edom

se perturbam,

dos poderosos de Moabe

se apodera temor,

esmorecem todos os habitantes

de Canaã.

16Sobre eles cai espanto e pavor;

pela grandeza do teu braço,

emudecem como pedra;

até que passe o teu povo,

ó Senhor,

até que passe o povo

que adquiriste.

15.16
Sl 74.2

17Tu o introduzirás e o plantarás

no monte da tua herança,

no lugar que preparaste,

ó Senhor, para a tua habitação,

no santuário, ó Senhor,

que as tuas mãos

estabeleceram.

18O Senhor reinará

por todo o sempre.”

15.18
Sl 10.16
29.10

19Porque os cavalos de Faraó, com os seus carros de guerra e com os seus cavaleiros, entraram no mar, e o Senhor fez com que as águas do mar voltassem e os cobrissem; mas os filhos de Israel passaram a pé enxuto pelo meio do mar.

O cântico de Miriã

20A profetisa Miriã, irmã de Arão, pegou um tamborim, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamborins e com danças.

15.20
Sl 150.4
21E Miriã lhes respondia:

“Cantem ao Senhor,

porque triunfou gloriosamente

e lançou no mar o cavalo

e o seu cavaleiro.”

As águas amargas se tornam doces

22Moisés fez o povo de Israel partir do mar Vermelho, e eles foram para o deserto de Sur. Caminharam três dias no deserto e não acharam água. 23Por fim, chegaram a Mara. No entanto, não puderam beber as águas de Mara,15.23 Mara em hebraico quer dizer “amarga” porque eram amargas. Por isso aquele lugar foi chamado de Mara. 24E o povo murmurou contra Moisés, dizendo:

— O que vamos beber?

25Então Moisés clamou ao Senhor, e o Senhor lhe mostrou um pedaço de madeira. Moisés jogou a madeira nas águas, e as águas se tornaram doces. Ali o Senhor lhes deu estatutos e uma ordenança, e ali os provou, 26e disse:

— Se vocês ouvirem com atenção a voz do Senhor, seu Deus, fizerem o que é reto diante dos seus olhos, derem ouvidos aos seus mandamentos e guardarem todos os seus estatutos, nenhuma enfermidade virá sobre vocês, das que enviei sobre os egípcios; pois eu sou o Senhor, aquele que cura vocês.

15.26
Sl 41.3
103.3

27Então chegaram a Elim, onde havia doze fontes de água e setenta palmeiras. E acamparam junto das águas.