Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
5

Cuidado com os votos precipitados

51Guarde o pé, quando você entrar na Casa de Deus. Chegar-se para ouvir é melhor do que oferecer um sacrifício de tolos, que fazem o mal sem se dar conta. 2Que a sua boca não se precipite, nem se apresse o seu coração em pronunciar uma palavra diante de Deus.

5.2
Pv 19.2
20.25
Porque Deus está nos céus, e você, aqui na terra. Portanto, sejam poucas as suas palavras.
5.2
Pv 10.19
3Porque das muitas preocupações vêm os sonhos, e do muito falar, palavras tolas.

4Quando você fizer algum voto a Deus, não demore a cumpri-lo,

5.4
Dt 23.21
pois ele não se agrada de tolos. Cumpra o voto que você faz. 5Melhor é não fazer voto do que fazer e não cumprir. 6Não consinta que a sua boca o leve a pecar, nem diga ao mensageiro de Deus que foi descuido. Por que fazer com que Deus fique irado por causa do que você diz e deixar que ele destrua o que você fez? 7Porque, como na multidão dos sonhos há vaidade, assim também nas muitas palavras. Portanto, tema a Deus.

A vaidade das riquezas

8Se você notar em alguma província opressão de pobres e roubo em lugar do direito e da justiça, não fique admirado com isso; porque o que está num posto elevado tem acima de si outro mais elevado que o explora, e sobre estes há ainda outros mais elevados que também exploram. 9O proveito da terra é para todos; até o rei se serve do campo.

10Quem ama o dinheiro jamais se fartará de dinheiro; e quem ama a abundância nunca ficará satisfeito com o que ganha. Também isto é vaidade. 11Onde os bens se multiplicam, também se multiplicam os que deles comem. E que proveito têm os donos, a não ser o de ver esses bens com os seus olhos? 12Doce é o sono do trabalhador, quer coma pouco, quer muito; mas a fartura do rico não o deixa dormir.

13Há um grave mal que vi debaixo do sol: as riquezas que os seus donos guardam para o seu próprio prejuízo.

5.13
Pv 11.24
14E, se essas riquezas se perdem num mau negócio, o filho que esse homem gerou ficará de mãos vazias. 15Como saiu do ventre de sua mãe, a saber, nu, assim voltará, indo-se como veio;
5.15
Jó 1.21
e do seu trabalho nada poderá levar consigo.
5.15
1Tm 6.7
16Também isto é um grave mal: precisamente como veio, assim ele vai. E que proveito terá de haver trabalhado para o vento? 17Em todos os seus dias, comeu o seu pão nas trevas, com muito enfado, com enfermidades e indignação.

18Eis o que eu vi: boa e bela coisa é comer e beber e desfrutar o que conseguiu de todo o seu trabalho, com que se afadigou debaixo do sol, durante os poucos dias da vida que Deus lhe deu;

5.18
Ec 2.24
3.13
porque esta é a sua porção. 19Quanto àquele a quem Deus conferiu riquezas e bens e lhe deu poder para deles comer, receber a sua porção e desfrutar do seu trabalho, isto é dom de Deus. 20Porque não ficará pensando muito nos dias da sua vida, pois Deus lhe enche o coração de alegria.

6

61Há um mal que vi debaixo do sol e que pesa sobre a humanidade: 2aquele a quem Deus conferiu riquezas, bens e honra, e nada lhe falta de tudo o que a sua alma deseja, mas Deus não lhe concede que desfrute disso; ficará para um estranho. Também isto é vaidade e grande mal.

3Se alguém gerar cem filhos e viver muitos anos, até uma idade avançada, e se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto é mais feliz do que ele. 4Pois o aborto vem ao mundo para nada e desaparece na calada da noite, e as trevas encobrem o seu nome. 5Não viu o sol, nada conhece, porém tem mais descanso do que o outro, 6ainda que aquele vivesse duas vezes mil anos, mas não desfrutasse do bem. Por acaso, não vão todos para o mesmo lugar?

7Todo trabalho do ser humano é para a sua boca; contudo, o seu apetite nunca se satisfaz. 8Pois que vantagem tem o sábio sobre o tolo? Ou o pobre que sabe como sobreviver? 9Melhor é o que os olhos veem do que aquilo que a alma deseja. Também isto é vaidade e correr atrás do vento.

10Tudo o que agora existe já recebeu um nome há muito tempo. E sabe-se o que é o ser humano, e que não pode enfrentar quem é mais forte do que ele.

6.10
Jó 9.32
Is 45.9
11Quando aumentam as palavras, aumenta a vaidade. Qual o proveito que se tem disso? 12Pois quem sabe o que é bom para uma pessoa durante os poucos dias da sua vida de vaidade, os quais ela gasta como sombra? Quem poderá lhe dizer o que vai acontecer debaixo do sol depois que ela morrer?

7

A sabedoria e a tolice

71A boa fama é melhor

do que um bom perfume,

e o dia da morte é melhor

do que o dia do nascimento.

2Melhor é ir à casa onde há luto

do que ir à casa onde há banquete,

pois naquela se vê o fim

de todas as pessoas;

e que os vivos o tomem

em consideração.

3Melhor é a mágoa do que o riso,

porque com a tristeza do rosto

se melhora o coração.

4O coração dos sábios

está na casa do luto,

mas o dos insensatos,

na casa da alegria.

5Melhor é ouvir

a repreensão do sábio

do que ouvir a canção dos tolos.

6Pois, como o crepitar dos espinhos

debaixo de uma panela,

assim é a risada dos tolos.

Também isto é vaidade.

7Certamente a opressão

faz do sábio um tolo,

e o suborno corrompe o coração.

7.7
Pv 17.8,23

8Melhor é o fim das coisas

do que o seu princípio;

a paciência é melhor

do que a arrogância.

7.8
Pv 16.32

9Não se apresse em ficar irado,

porque a ira se abriga

no íntimo dos tolos.

10Nunca pergunte: “Por que

os dias passados foram

melhores que os de agora?”

Pois não é sábio fazer essa pergunta.

11Boa é a sabedoria,

havendo herança;

ela é proveitosa

para os que veem o sol.

12A sabedoria protege,

do mesmo modo que o dinheiro;

mas a vantagem da sabedoria

é que ela dá vida

a quem a possui.

7.12
Pv 3.18

13Observe as obras de Deus,

pois quem poderá endireitar

o que ele fez torto?

7.13
Jó 12.14

14No dia da prosperidade, seja feliz;

mas, no dia da adversidade,

considere que Deus fez

tanto este como aquele,

para que o ser humano

não descubra nada

do que há de vir depois dele.

15Tudo isto vi nos dias da minha vaidade: há justos que perecem na sua justiça, e há ímpios que prolongam os seus dias na sua maldade. 16Não seja demasiadamente justo, nem exageradamente sábio; por que você destruiria a si mesmo? 17Não seja demasiadamente perverso, nem seja tolo; por que você morreria antes da sua hora? 18Bom é que você retenha isto e também não abra mão daquilo; pois quem teme a Deus sai ileso de tudo isto.

19A sabedoria fortalece o sábio, mais do que dez poderosos que se encontram numa cidade.

20Não há nenhum justo sobre a terra que faça o bem e que não peque.

7.20
Sl 14.3
143.2
1Jo 1.8

21Não dê atenção a todas as palavras que se dizem, para que você não venha a ouvir o seu servo amaldiçoando você. 22E você sabe que muitas vezes você mesmo já amaldiçoou os outros.

23Tudo isto examinei por meio da sabedoria. Eu disse: “Serei sábio.” Mas a sabedoria estava longe de mim. 24O que está longe e é muito profundo, quem o poderá encontrar? 25Procurei conhecer, investigar, buscar a sabedoria e a razão, e compreender que a maldade é estupidez e a tolice é loucura.

7.25
Ec 1.17

26Achei coisa mais amarga do que a morte: a mulher cujo coração é rede e armadilha e cujas mãos são correntes. Quem agrada a Deus fugirá dela, mas o pecador virá a ser seu prisioneiro.

27Eis o que descobri, diz o Pregador, conferindo uma coisa com outra, para a respeito delas formar o meu juízo, 28juízo que ainda procuro e não encontrei: entre mil homens achei um como esperava, mas entre tantas mulheres não achei nem sequer uma. 29O que descobri é tão somente isto: que Deus fez o ser humano reto,

7.29
Gn 1.27
mas ele se meteu em muitos problemas.