Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
9

Tudo acontece igualmente com todos

91Tenho refletido sobre todas estas coisas para chegar à seguinte conclusão: os justos e os sábios, com os seus feitos, estão nas mãos de Deus; e, se é amor ou se é ódio que está à sua espera, isso ninguém sabe. Ninguém sabe o que vai acontecer. 2Tudo acontece igualmente com todos: o mesmo acontece com o justo e com o ímpio,

9.2
Jó 9.22
com o bom e com o mau, com o puro e com o impuro, com o que oferece sacrifícios e com o que não os oferece, com o bom e com o pecador, tanto com o que faz juramentos como com aquele que tem medo de fazê-los. 3Este é o mal que há em tudo o que se faz debaixo do sol: a mesma coisa acontece com todos. Também o coração das pessoas está cheio de maldade; está cheio de loucura enquanto elas vivem; depois, rumo aos mortos. 4Para aquele que está entre os vivos há esperança, porque mais vale um cão vivo do que um leão morto. 5Porque os vivos sabem que vão morrer, mas os mortos não sabem nada e não têm nenhuma recompensa a receber, porque a memória deles jaz no esquecimento. 6Amor, ódio e inveja para eles já não existem mais; eles estão afastados para sempre de tudo o que se faz debaixo do sol.

7Portanto, vá e coma com alegria o seu pão e beba com prazer o seu vinho, pois Deus já se agradou do que você faz. 8Que as suas vestes sejam sempre brancas, e que nunca falte óleo sobre a sua cabeça. 9Aproveite a vida com a mulher que você ama,

9.9
Pv 5.18-19
todos os dias dessa vida fugaz que Deus lhe deu debaixo do sol, porque esta é a parte que lhe cabe nesta vida pelo trabalho com que você se afadigou debaixo do sol. 10Tudo o que vier às suas mãos para fazer, faça-o conforme as suas forças, porque na sepultura, que é para onde você vai, não há obra, nem projetos, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.

Trabalhos sem recompensa

11Vi ainda debaixo do sol que os mais rápidos nem sempre ganham a corrida, que os mais fortes nem sempre vencem a batalha, que os sábios nem sempre têm pão, que os prudentes nem sempre têm riqueza, que os inteligentes nem sempre são honrados, mas que tudo depende do tempo e do acaso. 12Pois ninguém sabe a sua hora. Assim como os peixes que são apanhados na rede traiçoeira e como os pássaros que são pegos na armadilha, assim também os filhos dos homens se enredam no tempo da calamidade, quando esta cai de repente sobre eles.

Exemplo que ilustra esta verdade

13Também vi este exemplo de sabedoria debaixo do sol, que me pareceu excelente. 14Havia uma pequena cidade onde moravam poucos homens. Um rei poderoso atacou a cidade, sitiou-a e levantou contra ela grandes rampas de ataque. 15Nessa cidade se encontrava um homem pobre e sábio, que poderia ter livrado a cidade com a sua sabedoria; no entanto, ninguém se lembrou daquele pobre. 16Então eu concluí que a sabedoria é melhor do que a força,

9.16
Ec 7.19
mesmo que a sabedoria do pobre seja desprezada, e as suas palavras não sejam ouvidas.

17As palavras dos sábios, ouvidas em silêncio, valem mais do que os gritos de quem governa entre tolos.

18Melhor é a sabedoria do que as armas de guerra, mas um só pecador destrói muitas coisas boas.

10

A excelência da sabedoria

101Assim como a mosca morta

faz o óleo do perfumador

exalar mau cheiro,

assim também uma pequena tolice

pode ter mais peso

do que a sabedoria e a honra.

2O coração do sábio

se inclina para o bem,

mas o coração do tolo

se inclina para o mal.

3Quando o tolo vai pelo caminho,

falta-lhe o entendimento;

e, assim, mostra a todos

que é mesmo um tolo.

10.3
Pv 13.16

4Se aquele que governa

ficar indignado contra você,

não deixe o seu lugar,

porque o ânimo sereno

acalma grandes ofensas.

10.4
Pv 25.15

5Ainda há um mal que vi debaixo do sol, um erro cometido pelos que governam: 6os tolos colocados em muitos postos elevados, enquanto os ricos ocupam os postos inferiores. 7Vi servos andando a cavalo e príncipes andando a pé como se fossem servos.

10.7
Pv 19.10

8Quem abre uma cova

acaba caindo nela,

10.8
Pv 26.27

e quem arromba um muro

será mordido por uma cobra.

9Quem arranca pedras

será ferido por elas,

e o que racha lenha

se expõe ao perigo.

10Se o machado está embotado

e ninguém o afia,

é preciso redobrar a força;

mas com sabedoria

se obtém êxito.

11Se a cobra morder

antes de estar encantada,

de nada adianta

o trabalho do encantador.

12As palavras do sábio

lhe trazem favor,

mas o tolo é destruído

pelo que diz;

10.12
Pv 18.7

13as primeiras palavras

de sua boca são tolice,

e as últimas, loucura perversa.

14O tolo multiplica as palavras,

mas o ser humano não sabe

o que vai acontecer.

Quem poderá lhe dizer

o que será depois dele?

10.14
Ec 6.12
8.7

15O trabalho do tolo o fatiga,

pois nem sabe ir à cidade.

16Ai de você, ó terra

cujo rei é criança

e cujos príncipes se banqueteiam

já de manhã.

17Feliz é você, ó terra

cujo rei é filho de nobres

e cujos príncipes se sentam

à mesa a seu tempo

para refazer as forças

e não para se embriagar.

18Por causa da preguiça

o teto desaba,

e por causa dos braços cruzados

a casa tem goteiras.

19As festas são feitas para rir,

o vinho alegra a vida,

e o dinheiro dá conta de tudo.

20Nem em pensamento

fale mal do rei,

e não fale mal do rico

nem mesmo quando você

estiver sozinho em seu quarto,

porque as aves do céu

poderiam levar a sua voz,

e o que tem asas

poderia contar

o que você falou.

11

A conduta prudente do sábio

111Lance o seu pão sobre as águas,

porque depois de muitos dias

você o achará.

2Reparta com sete

e até mesmo com oito,

porque você não sabe

que mal sobrevirá à terra.

3Se as nuvens estão cheias,

derramam chuva sobre a terra;

se uma árvore cair para o sul

ou para o norte,

no lugar em que cair, aí ficará.

4Quem somente observa o vento

nunca semeará,

e o que olha para as nuvens

nunca fará a colheita.

5Assim como você não conhece o caminho do vento, nem sabe como se formam os ossos no ventre da mulher grávida, assim também não entende as obras de Deus, que faz todas as coisas.

11.5
Ec 8.17
6Semeie a sua semente de manhã e à tarde não fique de braços cruzados, porque você não sabe qual irá prosperar: se esta, se aquela ou se ambas serão igualmente boas. 7Doce é a luz, e agradável aos olhos é ver o sol. 8Mesmo que alguém viva muitos anos, deve alegrar-se em todos eles; contudo, deve lembrar-se de que há dias de trevas, que serão muitos, e que tudo o que virá é vaidade.

A mocidade

9Alegre-se, jovem, na sua mocidade, e que o seu coração lhe dê muita alegria nos dias da sua juventude. Ande nos caminhos que satisfazem ao seu coração e agradam aos seus olhos; saiba, porém, que de todas estas coisas Deus lhe pedirá contas. 10Afaste do seu coração a mágoa e remova de seu corpo a dor, porque a juventude e a primavera da vida são vaidade.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]