Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)

Pedro e João diante do Sinédrio

41Enquanto Pedro e João ainda falavam ao povo, chegaram os sacerdotes, o capitão do templo e os saduceus, 2ressentidos porque os apóstolos estavam ensinando o povo e anunciando, em Jesus, a ressurreição dentre os mortos. 3Prenderam Pedro e João e os recolheram ao cárcere até o dia seguinte, pois já era tarde. 4Porém muitos dos que ouviram a palavra creram, subindo o número desses homens a quase cinco mil.

5No dia seguinte, as autoridades, os anciãos e os escribas se reuniram em Jerusalém 6com o sumo sacerdote Anás, com Caifás, João, Alexandre e todos os que eram da linhagem do sumo sacerdote. 7E, colocando os apóstolos diante deles, perguntaram:

— Com que poder ou em nome de quem vocês fizeram isso?

8Então Pedro, cheio do Espírito Santo,

4.8
At 2.4
lhes disse:

— Autoridades do povo e anciãos, 9visto que hoje somos interrogados a propósito do benefício feito a um homem enfermo e do modo como ele foi curado,

4.9
At 3.7
10saibam os senhores todos e todo o povo de Israel que, em nome de Jesus Cristo, o Nazareno,
4.10
At 3.6
a quem vocês crucificaram
4.10
At 2.36
e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos,
4.10
At 2.24
sim, em seu nome é que este está curado na presença de vocês. 11Este Jesus é a pedra
4.11
Sl 118.22
que vocês, os construtores, rejeitaram, mas ele veio a ser a pedra angular. 12E não há salvação em nenhum outro,
4.12
At 10.43
1Tm 2.5
porque debaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.

13Ao verem a ousadia de Pedro e João, sabendo que eram homens iletrados e incultos, ficaram admirados; e reconheceram que eles haviam estado com Jesus. 14Vendo que o homem que havia sido curado estava com eles, nada tinham a dizer em contrário. 15E, mandando-os sair do Sinédrio, discutiam entre si, 16dizendo:

— Que faremos com estes homens? Pois todos os moradores de Jerusalém sabem que um sinal notório foi feito por eles, e não o podemos negar. 17Mas, para que não haja maior divulgação entre o povo, vamos ameaçá-los para não falarem mais neste nome a quem quer que seja.

18Chamando-os, ordenaram-lhes que de modo nenhum falassem nem ensinassem no nome de Jesus. 19Mas Pedro e João responderam:

— Os senhores mesmos julguem se é justo diante de Deus ouvirmos antes aos senhores do que a Deus;

4.19
At 5.29
20pois nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos.

21Depois, ameaçando-os mais ainda, os soltaram, não tendo achado como os castigar, por causa do povo, porque todos glorificavam a Deus pelo que tinha acontecido. 22Ora, o homem em quem tinha sido operado esse milagre de cura tinha mais de quarenta anos de idade.

A igreja em oração

23Uma vez soltos, Pedro e João procuraram os irmãos e lhes contaram tudo o que os principais sacerdotes e os anciãos lhes tinham falado. 24Ouvindo isto, unânimes, levantaram a voz a Deus e disseram:

— Tu, Soberano Senhor, fizeste o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há!

4.24
Êx 20.11
Sl 146.6
25Disseste por meio do Espírito Santo, por boca de Davi, nosso pai, teu servo:

“Por que se enfureceram

os gentios,

e os povos imaginaram

coisas vãs?

26Os reis da terra se levantaram,

e as autoridades se juntaram

contra o Senhor

e contra o seu Ungido.”

4.25-26
Sl 2.1-2

27— Porque de fato, nesta cidade, Herodes

4.27
Lc 23.7-11
e Pôncio Pilatos,
4.27
Mt 27.1-2
Mc 15.1
Lc 23.1
Jo 18.28-29
com gentios e gente de Israel, se juntaram contra o teu santo Servo Jesus, a quem ungiste, 28para fazerem tudo o que a tua mão e o teu propósito predeterminaram.
4.28
At 2.23
29Agora, Senhor, olha para as ameaças deles e concede aos teus servos que anunciem a tua palavra com toda a ousadia, 30enquanto estendes a tua mão para fazer curas, sinais e prodígios por meio do nome do teu santo Servo Jesus.

31Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos. Todos ficaram cheios do Espírito Santo

4.31
At 2.4
e, com ousadia, anunciavam a palavra de Deus.

A comunidade cristã

32Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era comum.

4.32
At 2.44-45
33Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus,
4.33
At 1.8
e em todos eles havia abundante graça. 34Não havia nenhum necessitado entre eles, porque os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam os valores correspondentes 35e os depositavam aos pés dos apóstolos; então se distribuía a cada um conforme a sua necessidade.

A oferta de Barnabé

36Então José, a quem os apóstolos chamavam de Barnabé,

4.36
At 9.27
11.22,30
12.25
1Co 9.6
Gl 2.1,9,13
Cl 4.10
que quer dizer filho da consolação, um levita natural de Chipre, 37vendeu um campo que possuía, trouxe o dinheiro e o depositou aos pés dos apóstolos.