Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
12

Herodes persegue Tiago e Pedro

121Por aquele tempo, o rei Herodes12.1 Herodes Agripa I, neto de Herodes, o Grande, e rei de Israel de 41 a 44 depois de Cristo mandou prender alguns da igreja para os maltratar. 2Mandou matar à espada Tiago, irmão de João.

12.2
Mt 20.23
3Vendo que isto agradava aos judeus, prosseguiu, mandando prender também Pedro. E eram os dias dos pães sem fermento. 4Depois de prendê-lo, lançou-o na prisão, entregando-o a quatro escoltas de quatro soldados cada uma, para o guardarem. A intenção de Herodes era apresentá-lo ao povo depois da Páscoa. 5E assim Pedro era mantido na prisão; mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.

Pedro é libertado

6Na noite anterior ao dia em que Herodes ia apresentá-lo ao povo, Pedro dormia entre dois soldados, preso com duas correntes. Sentinelas, junto à porta, guardavam a prisão. 7Eis, porém, que sobreveio um anjo do Senhor, e uma luz iluminou a prisão. O anjo tocou no lado de Pedro e o despertou, dizendo:

— Levante-se depressa!

Então as correntes caíram das mãos dele. 8E o anjo continuou:

— Coloque o cinto e calce as sandálias.

E ele assim o fez.

O anjo lhe disse mais:

— Ponha a capa e siga-me.

9Então, saindo, Pedro o seguia, não sabendo que era real o que estava sendo feito pelo anjo; ele pensava que era uma visão. 10Depois de terem passado a primeira e a segunda sentinela, chegaram ao portão de ferro que dava para a cidade, o qual se abriu automaticamente; e, saindo, enveredaram por uma rua, e logo adiante o anjo se afastou dele. 11Então Pedro, caindo em si, disse:

— Agora sei que, de fato, o Senhor enviou o seu anjo e me livrou da mão de Herodes e de toda a expectativa do povo judeu.

12Ao se dar conta disso, Pedro resolveu ir à casa de Maria, mãe de João, também chamado Marcos, onde muitas pessoas estavam congregadas e oravam. 13Quando ele bateu à porta da frente, uma empregada, chamada Rode, foi ver quem era. 14Reconhecendo a voz de Pedro, ficou tão alegre que nem o fez entrar, mas voltou correndo para anunciar que Pedro estava à porta. 15Então os outros disseram:

— Você ficou louca!

Ela, porém, persistia em afirmar que era verdade. Então disseram:

— É o anjo dele.

16Enquanto isso, Pedro continuava batendo. Quando abriram a porta, viram-no e ficaram admirados. 17Ele, porém, fazendo-lhes sinal com a mão para que se calassem, contou-lhes como o Senhor o tinha tirado da prisão. E acrescentou:

— Anunciem isto a Tiago e aos irmãos.

E, saindo, foi para outro lugar.

18Quando amanheceu, houve grande alvoroço entre os soldados sobre o que teria acontecido com Pedro. 19Herodes, tendo-o procurado e não o achando, submetendo as sentinelas a interrogatório, ordenou que se aplicasse a pena de morte. E, descendo da Judeia para Cesareia, Herodes passou ali algum tempo.

A morte de Herodes

20Havia uma séria divergência entre Herodes e os moradores de Tiro e de Sidom. Estes, porém, de comum acordo, se apresentaram a ele e, depois de obter o apoio de Blasto, que era assessor do rei, pediram paz, porque a terra deles recebia alimentos do país do rei. 21Em dia designado, Herodes, vestido de traje real, assentado no trono, dirigiu-lhes a palavra. 22E o povo gritava:

— É voz de um deus, e não de um homem!

23No mesmo instante, um anjo do Senhor feriu Herodes, por ele não haver dado glória a Deus; e, comido de vermes, morreu.

24Entretanto, a palavra de Deus crescia e se multiplicava.

12.24
At 6.7

25Barnabé e Saulo, cumprida a sua missão, voltaram de Jerusalém, trazendo consigo João, também chamado Marcos.

13

Barnabé e Saulo. A primeira viagem missionária

131Havia na igreja de Antioquia profetas e mestres: Barnabé; Simeão, chamado Níger; Lúcio, de Cirene; Manaém, que tinha sido criado com Herodes,13.1 Herodes Antipas, governador da Galileia (Lc 3.1) o tetrarca; e Saulo. 2Enquanto eles estavam adorando o Senhor e jejuando, o Espírito Santo disse:

— Separem-me, agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado.

3Então, jejuando e orando, e impondo as mãos sobre eles, os despediram.

A missão em Chipre

4Barnabé e Saulo, enviados pelo Espírito Santo, foram até Selêucia e dali navegaram para Chipre. 5Quando chegaram a Salamina, começaram a anunciar a palavra de Deus nas sinagogas judaicas. Tinham também João como auxiliar. 6Havendo atravessado toda a ilha até Pafos, encontraram certo judeu, de nome Barjesus, que praticava magia e era falso profeta. 7Ele estava com o procônsul Sérgio Paulo, que era um homem inteligente. O procônsul, tendo chamado Barnabé e Saulo, desejava ouvir a palavra de Deus. 8Porém o mago Elimas — e é assim que se traduz o nome dele — se opunha a eles, procurando afastar da fé o procônsul. 9Mas Saulo, também chamado Paulo, cheio do Espírito Santo, olhando firmemente para Elimas, disse:

10— Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a maldade, inimigo de toda a justiça, por que você não deixa de perverter os retos caminhos do Senhor? 11Eis que, agora, a mão do Senhor está contra você, e você ficará cego, não vendo o sol por algum tempo.

No mesmo instante, caiu sobre ele névoa e escuridão, e, andando em círculos, procurava quem o guiasse pela mão. 12Então o procônsul, vendo o que havia acontecido, creu, maravilhado com a doutrina do Senhor.

João Marcos volta a Jerusalém

13E, navegando de Pafos, Paulo e seus companheiros viajaram a Perge da Panfília. João, porém, deixando-os, voltou para Jerusalém. 14Mas eles, saindo de Perge, chegaram a Antioquia da Pisídia. No sábado, entraram na sinagoga e sentaram-se. 15Depois da leitura da Lei e dos Profetas, os chefes da sinagoga mandaram dizer-lhes:

— Irmãos, se vocês têm alguma palavra de consolo para o povo, falem.

O testemunho de Paulo em Antioquia

16Paulo, levantando-se e fazendo com a mão sinal de silêncio, disse:

— Israelitas e todos vocês que temem a Deus, escutem! 17O Deus do povo de Israel escolheu os nossos pais e exaltou o povo

13.17
Êx 1.7
durante a sua peregrinação na terra do Egito, de onde os tirou com braço poderoso.
13.17
Êx 12.51
18Suportou os maus costumes do povo durante uns quarenta anos
13.18
Nm 14.34
Dt 1.31
no deserto. 19E, havendo destruído sete nações
13.19
Dt 7.1
em Canaã, deu essas terras
13.19
Js 14.1
como herança ao seu povo. 20Tudo isso levou cerca de quatrocentos e cinquenta anos. Depois disso, lhes deu juízes,
13.20
Jz 2.16
até o profeta Samuel.
13.20
1Sm 3.20
21Então eles pediram um rei,
13.21
1Sm 8.5
e Deus lhes deu Saul,
13.21
1Sm 10.21
filho de Quis, da tribo de Benjamim, e isto durante quarenta anos. 22E, tendo tirado Saul,
13.22
1Sm 13.14
levantou-lhes o rei Davi, do qual também, dando testemunho, disse: “Achei Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração, que fará toda a minha vontade.”
13.22
1Sm 16.12
Sl 89.20
23Da descendência deste,
13.23
Rm 1.3
conforme a promessa, Deus trouxe a Israel o Salvador, que é Jesus. 24Antes da manifestação dele, João pregou um batismo de arrependimento
13.24
Mc 1.4
Lc 3.3
a todo o povo de Israel. 25Quando João estava completando a sua carreira, disse: “Quem vocês pensam que sou? Não sou aquele que vocês esperam.
13.25
Jo 1.20
Mas depois de mim vem aquele
13.25
Mt 3.11
Mc 1.7
Lc 3.16
Jo 1.27
de cujos pés não sou digno de desamarrar as sandálias.”

26— Irmãos, descendência de Abraão e todos vocês que temem a Deus, a nós foi enviada a palavra desta salvação. 27Pois os moradores e as autoridades de Jerusalém, não conhecendo Jesus nem as palavras dos profetas que são lidas todos os sábados, cumpriram as profecias, quando condenaram Jesus. 28E, embora não achassem nenhuma causa de morte, pediram a Pilatos que ele fosse morto.

13.28
Mt 27.22-23
Mc 15.13-14
Lc 23.21-23
Jo 19.15
29Depois de cumprirem tudo o que estava escrito a respeito dele, tirando-o do madeiro, puseram-no em um túmulo.
13.29
Mt 27.57-61
Mc 15.42-47
Lc 23.50-56
Jo 19.38-42
30Mas Deus o ressuscitou dentre os mortos, 31e durante muitos dias ele foi visto pelos que o tinham acompanhado
13.31
At 1.3
da Galileia para Jerusalém, os quais são agora as suas testemunhas diante do povo. 32E nós anunciamos a vocês o evangelho da promessa feita aos nossos pais, 33como Deus a cumpriu plenamente a nós, seus filhos, ressuscitando Jesus, como também está escrito no Salmo número dois:

“Você é meu Filho;

hoje eu gerei você.”

13.33
Sl 2.7

34— E quanto ao fato de que o ressuscitaria dentre os mortos para que jamais voltasse à corrupção, Deus o expressou desta maneira:

“E cumprirei a favor de vocês

as santas e fiéis promessas

feitas a Davi.”

13.34
Is 55.3

35— Por isso, também diz em outro Salmo:

“Não permitirás

que o teu Santo veja corrupção.”

13.35
Sl 16.10

36— Porque tendo Davi, no seu tempo, servido conforme o plano de Deus, morreu, foi sepultado ao lado de seus pais e viu corrupção.

13.36
1Rs 2.10
37Porém aquele a quem Deus ressuscitou não viu corrupção.
13.37
At 2.24
38Portanto, meus irmãos, saibam que é por meio de Jesus que a remissão dos pecados é anunciada a vocês;
13.38
Lc 24.47
39e, por meio dele, todo o que crê é justificado de todas as coisas das quais vocês não puderam ser justificados pela lei de Moisés.
13.39
Rm 3.28
40Portanto, tenham cuidado para que não lhes aconteça o que os profetas disseram:

41“Vejam, ó desprezadores!

Fiquem maravilhados

e desapareçam,

porque, no tempo de vocês,

eu realizo obra tal

que vocês não acreditarão

se alguém lhes contar.”

13.41
Hc 1.5

42Quando Paulo e Barnabé estavam saindo, as pessoas pediram que, no sábado seguinte, lhes falassem estas mesmas palavras. 43Terminada a reunião na sinagoga, muitos dos judeus e dos prosélitos piedosos seguiram Paulo e Barnabé, e estes, falando com eles, os persuadiam a continuar firmes na graça de Deus.

13.43
At 11.23

44No sábado seguinte, quase toda a cidade se reuniu para ouvir a palavra do Senhor. 45Mas os judeus, vendo as multidões, ficaram com muita inveja e, blasfemando, contradiziam o que Paulo falava. 46Então Paulo e Barnabé, falando ousadamente, disseram:

— Era necessário pregar a palavra de Deus primeiro a vocês.

13.46
At 3.26
Rm 1.16
Mas, como vocês a rejeitam e se julgam indignos da vida eterna, eis que nos voltamos para os gentios. 47Porque o Senhor assim nos determinou:

“Eu coloquei você

como luz dos gentios,

a fim de que você

seja para salvação

até os confins da terra.”

13.47
Is 42.6
49.6

48Os gentios, ouvindo isto, se alegravam e glorificavam a palavra do Senhor. E creram todos os que haviam sido destinados para a vida eterna.

13.48
Rm 8.28-29
Ef 1.4-5
49E a palavra do Senhor se espalhou por toda aquela região. 50Mas os judeus instigaram as mulheres piedosas de alta posição e os principais da cidade e levantaram perseguição contra Paulo e Barnabé, expulsando-os do seu território. 51E estes, sacudindo contra eles o pó dos pés,
13.51
Mt 10.14
Mc 6.11
Lc 9.5
10.11
foram para Icônio. 52Os discípulos, porém, estavam cheios de alegria e do Espírito Santo.

14

Paulo e Barnabé em Icônio

141Em Icônio, Paulo e Barnabé entraram juntos na sinagoga judaica e falaram de tal modo, que veio a crer grande multidão, tanto de judeus como de gregos. 2Mas os judeus que não tinham crido incitaram e irritaram os ânimos dos gentios contra os irmãos. 3Entretanto, Paulo e Barnabé ficaram bastante tempo em Icônio, falando ousadamente no Senhor, o qual confirmava a palavra da sua graça, concedendo que, por mão deles, se fizessem sinais e prodígios. 4Mas o povo da cidade se dividiu: uns eram pelos judeus; outros, pelos apóstolos. 5Então surgiu um movimento entre os gentios e os judeus, com o apoio das suas autoridades, para os maltratar e apedrejar. 6Quando Paulo e Barnabé souberam disso, fugiram para Listra e Derbe, cidades da Licaônia, e para as regiões vizinhas, 7onde anunciaram o evangelho.

A cura de um paralítico em Listra

8Em Listra, costumava estar sentado certo homem aleijado, paralítico desde o seu nascimento, e que nunca tinha conseguido andar. 9Esse homem ouviu Paulo falar. Quando Paulo fixou nele os olhos e viu que ele tinha fé para ser curado, 10disse a ele em voz alta:

— Levante-se direito sobre os pés!

O homem saltou e começou a andar. 11Quando as multidões viram o que Paulo tinha feito, gritaram em língua licaônica:

— Os deuses, em forma de homens, desceram até nós.

12A Barnabé chamavam Júpiter, e a Paulo, Mercúrio,14.12 Na religião dos romanos, Júpiter era o chefe dos deuses, e Mercúrio era o mensageiro deles porque este era o principal portador da palavra. 13O sacerdote de Júpiter, cujo templo estava em frente da cidade, trazendo touros e grinaldas para junto dos portões da cidade, queria oferecer um sacrifício juntamente com a multidão. 14Porém, ouvindo isto, os apóstolos Barnabé e Paulo, rasgando as suas roupas, saltaram para o meio da multidão, gritando:

15— Senhores, por que estão fazendo isto? Nós também somos seres humanos como vocês,

14.15
At 10.26
sujeitos aos mesmos sentimentos, e anunciamos o evangelho a vocês para que se convertam destas coisas vãs ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há.
14.15
Êx 20.11
Sl 146.6
16Nas gerações passadas, Deus permitiu que todos os povos andassem nos seus próprios caminhos.
14.16
At 17.30
17Contudo, não deixou de dar testemunho de si mesmo,
14.17
Rm 1.20
fazendo o bem, dando a vocês chuvas do céu e estações frutíferas, enchendo o coração de vocês de fartura e de alegria.

18Dizendo isto, foi ainda com dificuldade que impediram a multidão de lhes oferecer sacrifícios.

Paulo é apedrejado

19Entretanto, chegaram judeus de Antioquia e Icônio e, instigando as multidões, apedrejaram Paulo e o arrastaram para fora da cidade, dando-o por morto. 20Mas, quando os discípulos o rodearam, ele se levantou e entrou na cidade. No dia seguinte, foi com Barnabé para Derbe.

A volta para Antioquia da Síria

21E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, Paulo e Barnabé voltaram para Listra, Icônio e Antioquia,14.21 Cidade da Pisídia 22fortalecendo o ânimo dos discípulos, exortando-os a permanecerem firmes na fé

14.22
At 11.23
13.43
e mostrando que, através de muitas tribulações, nos importa entrar no Reino de Deus.
14.22
Jo 16.33
1Ts 3.3
2Tm 3.12
23E, promovendo-lhes, em cada igreja, a eleição de presbíteros,
14.23
Tt 1.5
depois de orar com jejuns, os encomendaram ao Senhor, em quem haviam crido.

24Atravessando a Pisídia, Paulo e Barnabé se dirigiram à Panfília. 25E, tendo anunciado a palavra em Perge, foram para Atália 26e dali navegaram para Antioquia,14.26 Capital da Síria onde tinham sido recomendados

14.26
At 13.3
à graça de Deus para a obra que agora tinham terminado. 27Quando chegaram a Antioquia, reuniram a igreja e relataram tudo o que Deus havia feito com eles e como tinha aberto aos gentios a porta da fé. 28E permaneceram muito tempo com os discípulos.