Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
13

Amnom e Tamar

131Passado algum tempo, aconteceu o seguinte. Absalão, filho de Davi, tinha uma irmã muito bonita, cujo nome era Tamar. Amnom, filho de Davi, apaixonou-se por ela. 2Amnom ficou angustiado por causa de Tamar, sua irmã,

13.2
2Sm 3.2-3
1Cr 3.9
a ponto de adoecer, pois, sendo ela virgem, parecia impossível para ele fazer alguma coisa com ela. 3Mas Amnom tinha um amigo que se chamava Jonadabe, filho de Simeia, irmão de Davi. Jonadabe era um homem muito esperto. 4E ele disse a Amnom:

— Por que você está emagrecendo tanto dia após dia, ó filho do rei? Por que não me conta o que está acontecendo?

Então Amnom disse:

— Estou apaixonado por Tamar, irmã de Absalão, meu irmão por parte de pai.

5Jonadabe respondeu:

— Deite-se na sua cama e finja que está doente. Quando o seu pai vier visitá-lo, diga-lhe: “Por favor, permita que a minha irmã Tamar venha e me dê de comer. Que ela prepare a comida diante de mim, para que eu coma de sua mão.”

6E assim Amnom deitou-se e fingiu que estava doente. Quando o rei foi visitá-lo, Amnom lhe disse:

— Por favor, permita que a minha irmã Tamar venha e prepare dois bolos diante de mim, para que eu coma de sua mão.

7Então Davi mandou dizer a Tamar em seu palácio:

— Por favor, vá à casa de seu irmão Amnom e prepare alguma comida para ele.

8Tamar foi à casa de Amnom, seu irmão, e ele estava deitado. Ela pegou a massa e a amassou, fez bolos diante dele e os assou. 9Pegou a assadeira e tirou os bolos diante dele, mas ele não quis comer. Amnom disse:

— Mandem que todos saiam da minha presença.

E todos saíram. 10E Amnom disse a Tamar:

— Traga a comida ao meu quarto, e comerei da sua mão.

Tamar pegou os bolos que havia feito e os levou a Amnom, seu irmão, no quarto. 11Quando ela oferecia os bolos para que ele comesse, Amnom agarrou-a e lhe disse:

— Venha, deite-se comigo, minha irmã.

12Porém ela respondeu:

— Não, meu irmão, não me force, porque não se faz uma coisa dessas em Israel.

13.12
Lv 20.17
Não faça essa loucura! 13Porque, aonde iria eu com a minha vergonha? E você seria como um dos loucos de Israel. Agora, por favor, fale com o rei; ele não impedirá que eu case com você.

14Mas Amnom não quis dar ouvidos ao que Tamar dizia; pelo contrário, sendo mais forte do que ela, forçou-a e teve relações com ela.

15Depois Amnom sentiu por ela grande aversão, e maior era a aversão que sentiu por ela do que o amor com que a tinha amado. Então disse:

— Levante-se e saia daqui!

16Mas Tamar respondeu:

— Não, meu irmão! Porque mandar-me embora seria um mal maior do que o outro que você me fez.

Porém ele não a quis ouvir. 17Chamou o moço que o servia e lhe disse:

— Ponha esta mulher para fora e tranque a porta.

18Tamar vestia uma túnica talar de mangas compridas, porque assim se vestiam as filhas do rei que ainda eram virgens. O servo a pôs para fora e trancou a porta. 19Então Tamar colocou cinza sobre a cabeça, rasgou a túnica talar de mangas compridas que vestia, pôs as mãos sobre a cabeça e saiu, andando e clamando. 20Absalão, seu irmão, lhe disse:

— Foi o seu irmão Amnom que esteve com você? Agora, minha irmã, fique calada; ele é seu irmão. Que o seu coração não fique angustiado por causa disso.

E assim Tamar, desolada, ficou na casa de Absalão, seu irmão. 21Quando o rei Davi soube de tudo isso, ficou furioso. 22Porém Absalão não falou com Amnom nem mal nem bem, porque odiava Amnom, por ter este violentado Tamar, sua irmã.

23Passados dois anos, Absalão tosquiava as suas ovelhas em Baal-Hazor, perto de Efraim, e convidou todos os filhos do rei para irem até lá. 24Absalão foi falar com o rei e disse:

— Eis que este seu servo está fazendo a tosquia das ovelhas. Peço que o rei e os seus servidores acompanhem este seu servo.

25O rei, porém, disse a Absalão:

— Não, meu filho, não vamos todos juntos, para não sermos pesados a você.

Absalão insistiu, mas o rei não quis ir; contudo, o abençoou. 26Então Absalão disse:

— Se o rei não quer ir, pelo menos deixe que meu irmão Amnom nos acompanhe.

Porém o rei lhe disse:

— Por que ele iria com você?

27Absalão insistiu, e o rei deixou que Amnom e todos os filhos do rei fossem com ele. 28Absalão deu ordem aos seus moços, dizendo:

— Fiquem atentos! Quando o coração de Amnom estiver alegre de vinho, e eu der uma ordem para matá-lo, então matem-no. Não tenham medo, pois sou eu quem está ordenando. Sejam fortes e valentes.

29E os moços de Absalão fizeram com Amnom como Absalão lhes havia ordenado. Então todos os filhos do rei se levantaram, cada um montou a sua mula, e fugiram.

30Estavam eles ainda a caminho, quando chegou a Davi esta notícia: “Absalão matou todos os filhos do rei, e nenhum deles escapou.” 31Então o rei se levantou, rasgou as suas roupas e se lançou por terra. E todos os seus servos que estavam presentes rasgaram também as suas roupas. 32Mas Jonadabe,

13.32
2Sm 13.3
filho de Simeia, irmão de Davi, tomou a palavra e disse:

— Não pense o meu senhor que mataram todos os jovens, filhos do rei, porque somente Amnom morreu. Absalão tinha resolvido fazer isso, desde o dia em que a sua irmã Tamar foi violentada por Amnom. 33Portanto, que o rei, meu senhor, não ponha na cabeça essa ideia de que todos os filhos do rei morreram, porque só Amnom morreu.

34Enquanto isso, Absalão fugiu. O moço que estava de guarda, levantando os olhos, viu que vinha muito povo pelo caminho por detrás dele, pelo lado do monte. 35Então Jonadabe disse ao rei:

— Eis aí vêm os filhos do rei! Como este seu servo falou, assim aconteceu.

36Mal tinha ele acabado de falar, chegaram os filhos do rei e, levantando a voz, choraram. Também o rei e todos os seus servos choraram amargamente.

37Absalão, porém, fugiu e foi ficar com Talmai,

13.37
2Sm 3.3
filho de Amiúde, rei de Gesur. E Davi pranteava por seu filho todos os dias. 38Assim, Absalão fugiu, indo para Gesur, onde ficou três anos. 39Então o rei Davi cessou de perseguir Absalão, porque já tinha se consolado a respeito de Amnom, que era morto.

14

Absalão volta para Jerusalém

141Joabe, filho de Zeruia, vendo que o coração do rei começava a inclinar-se para Absalão, 2mandou trazer de Tecoa uma mulher sábia e lhe disse:

— Finja que está muito triste, vista as suas roupas de luto, não se unja com óleo e faça de conta que é uma mulher que há muito tempo está de luto por algum morto. 3Apresente-se ao rei e diga-lhe tais e tais palavras.

E Joabe lhe pôs as palavras na boca. 4A mulher tecoíta apresentou-se ao rei, e, inclinando-se, prostrou-se com o rosto em terra e disse:

— Ajude-me, ó rei!

5Então o rei perguntou:

— Em que posso ajudá-la?

Ela respondeu:

— Ai de mim! Sou viúva; o meu marido morreu. 6Esta sua serva tinha dois filhos, que brigaram entre si no campo. Como não houve quem os apartasse, um deles matou o outro. 7Eis que toda a parentela se levantou contra esta sua serva, e estão dizendo: “Entregue-nos aquele que matou o seu irmão, para que o matemos, em vingança da vida que ele tirou

14.7
Nm 35.19
e para que destruamos também o herdeiro.” Assim, querem apagar a última brasa que me restou, não deixando a meu marido nome, nem sobrevivente na terra.

8O rei disse à mulher:

— Vá para a sua casa, e eu darei ordens a seu respeito.

9Mas a mulher tecoíta disse ao rei:

— Ó rei, meu senhor, que a culpa caia sobre mim e sobre a casa de meu pai. O rei e o seu trono sejam inocentes.

10Então o rei disse:

— Se alguém falar contra você, traga-o aqui, e ele nunca mais a incomodará.

11A mulher acrescentou:

— Que o rei se lembre do Senhor, seu Deus, para que os vingadores do sangue não se multipliquem e exterminem o meu filho.

Davi respondeu:

— Tão certo como vive o Senhor, não há de cair no chão nem um só dos cabelos de seu filho.

12Então a mulher disse:

— Permita que esta sua serva fale uma palavra ao rei, meu senhor.

Ele disse:

— Fale.

13E a mulher prosseguiu:

— Por que o senhor, meu rei, imaginou tal coisa contra o povo de Deus? Pois, ao pronunciar tal juízo, o rei condena a si mesmo, visto que não quer fazer voltar o seu desterrado. 14Porque todos temos de morrer; somos como água derramada na terra que já não se pode juntar.

14.14
Sl 58.7
Porque Deus não tira a vida, mas encontra meios para que o banido não permaneça afastado de sua presença. 15Se vim, agora, falar esta palavra ao rei, meu senhor, é porque o povo me atemorizou. Porque esta sua serva dizia: “Vou falar com o rei, porque talvez ele fará segundo a palavra desta sua serva. 16Porque o rei atenderá, para livrar a sua serva da mão do homem que quer destruir tanto a mim como a meu filho da herança de Deus.” 17Dizia mais esta sua serva: “Seja, agora, a palavra do rei, meu senhor, para a minha tranquilidade, porque, como um anjo de Deus,
14.17
1Sm 29.9
2Sm 19.27
assim é o rei, meu senhor, para discernir entre o bem e o mal.” Que o Senhor, seu Deus, esteja com o rei, meu senhor.

18Então o rei disse à mulher:

— Não me encubra nada do que vou lhe perguntar.

A mulher respondeu:

— Pois fale o rei, meu senhor.

19O rei perguntou:

— Não é verdade que a mão de Joabe está com você em tudo isto?

Ela respondeu:

— Juro pela sua vida, ó rei, meu senhor, que ninguém poderá se desviar, nem para a direita nem para a esquerda, de tudo o que o rei, meu senhor, tem dito. Sim, foi o seu servo Joabe quem me deu ordem e foi ele quem ditou a esta sua serva todas estas palavras. 20Foi para mudar o aspecto deste caso que o seu servo Joabe fez isto. Porém o meu senhor é tão sábio como um anjo de Deus, para entender tudo o que se passa na terra.

21Então o rei disse a Joabe:

— Atendi ao seu pedido.

14.21
2Sm 14.11
Vá e traga o jovem Absalão.

22Joabe se inclinou, prostrou-se em terra, abençoou o rei e disse:

— Hoje reconheço que obtive favor aos seus olhos, ó rei, meu senhor, porque o rei fez segundo a palavra do seu servo.

23Então Joabe se levantou, foi a Gesur e trouxe Absalão a Jerusalém.

14.23
2Sm 13.38
24Mas o rei disse:

— Que ele volte para a sua casa e não veja a minha face.

Assim Absalão voltou para a sua casa e não viu a face do rei.

A beleza de Absalão

25Em todo o Israel não havia homem tão celebrado por sua beleza como Absalão. Desde a planta do pé até o alto da cabeça, não havia nele defeito algum. 26Quando cortava o cabelo — e isto se fazia no fim de cada ano, porque o cabelo lhe ficava pesado demais —, seu peso era de mais de dois quilos, segundo o peso real. 27Também nasceram a Absalão três filhos e uma filha. A filha se chamava Tamar e era uma mulher muito bonita.

Absalão é admitido à presença de Davi

28Absalão ficou dois anos em Jerusalém sem ver a face do rei. 29Então mandou chamar Joabe, para o enviar ao rei, mas Joabe não quis vir. Mandou chamá-lo segunda vez, mas Joabe ainda não quis vir. 30Então Absalão disse aos seus servos:

— Vejam, Joabe tem um pedaço de campo pegado ao meu, e tem cevada nele. Vão lá e ponham fogo.

E os servos de Absalão meteram fogo nesse pedaço de campo. 31Então Joabe se levantou, foi à casa de Absalão e lhe disse:

— Por que os seus servos meteram fogo no pedaço de campo que é meu?

32Absalão respondeu:

— Mandei chamá-lo, dizendo: “Venha cá”, para que o envie ao rei, para dizer-lhe o seguinte: “Para que vim de Gesur? Melhor seria ter ficado lá.” Agora quero ver o rei. Se há em mim alguma culpa, que ele me mate.

33Então Joabe foi ao rei e lhe entregou a mensagem de Absalão. O rei chamou Absalão, e este se apresentou diante dele e inclinou-se sobre o rosto em terra. E o rei o beijou.

15

A revolta de Absalão e a fuga de Davi

151Depois disso, Absalão arranjou uma carruagem, cavalos e cinquenta homens que corressem na sua frente. 2Ele se levantava cedo e ficava à beira do caminho que levava ao portão da cidade. Quando passava um homem que tinha alguma demanda que devia ser submetida ao rei para julgamento, Absalão o chamava a si e lhe dizia: “De que cidade você é?” Quando ele respondia: “Este seu servo é de tal tribo de Israel”, 3Absalão lhe dizia: “Olhe, a sua causa é boa e justa, mas você não tem quem o ouça da parte do rei.” 4Absalão dizia mais: “Ah! Quem me dera ser juiz na terra,

15.4
Jz 9.1-5,29
para que viesse a mim todo homem que tivesse demanda ou questão, para que eu lhe fizesse justiça!”

5Também, quando alguém se aproximava para inclinar-se diante dele, ele estendia as mãos, abraçava-o e o beijava. 6Absalão agia desta maneira com todo o Israel que vinha ao rei para pedir justiça e, assim, conquistava o coração dos homens de Israel.

7Ao fim de quatro anos, Absalão disse ao rei:

— Deixe-me ir a Hebrom cumprir o voto que fiz ao Senhor. 8Porque, quando estava morando em Gesur, na Síria, este seu servo fez um voto, dizendo: “Se o Senhor me trouxer de volta a Jerusalém, prestarei culto ao Senhor.”

9Então o rei disse:

— Vá em paz.

E Absalão levantou-se e foi para Hebrom. 10Absalão enviou emissários secretos por todas as tribos de Israel, dizendo:

— Quando ouvirem o som das trombetas, digam: “Absalão é rei em Hebrom!”

11De Jerusalém foram com Absalão duzentos homens convidados, porém iam na sua simplicidade, porque nada sabiam daquele plano. 12Enquanto oferecia os seus sacrifícios, Absalão também mandou chamar Aitofel, o gilonita, do conselho de Davi, da sua cidade de Gilo. Assim a conspiração tornou-se poderosa, e o povo que tomava o partido de Absalão crescia em número.

15.12
Sl 3.1

13Então um mensageiro veio a Davi, dizendo:

— Todo o povo de Israel está seguindo Absalão.

14Diante disto, Davi disse a todos os servos que estavam com ele em Jerusalém:

— Levantem-se, e vamos fugir, porque não poderemos nos salvar de Absalão. Saiam o mais depressa possível, para que ele não nos alcance, lance sobre nós a ruína e passe a cidade a fio de espada.

15Então os servos do rei lhe disseram:

— Eis aqui os seus servos, dispostos a fazer tudo o que o rei, nosso senhor, determinar.

16O rei saiu, e todos os de sua casa o seguiram. Deixou, porém, dez concubinas para cuidarem do palácio. 17Quando o rei e todo o povo estavam saindo da cidade, pararam na última casa. 18Todos os seus servos passaram por ele. Também toda a guarda real e todos os geteus, seiscentos homens que o seguiram de Gate, passaram diante do rei.

A lealdade de Itai

19Então o rei disse a Itai, o geteu:

— Por que também você está indo conosco? Volte e fique com quem vier a ser o rei, porque você é estrangeiro e desterrado de sua pátria. 20Você chegou ontem, e por que hoje eu já o levaria conosco a vaguear, quando eu mesmo não sei para onde vou? Volte e leve consigo os seus companheiros. E que a misericórdia e a fidelidade o acompanhem.

15.20
2Sm 2.6

21Porém Itai respondeu ao rei:

— Tão certo como vive o Senhor Deus, e como vive o rei, meu senhor, no lugar em que estiver o rei, meu senhor, seja para morte seja para vida, lá estará também este seu servo.

15.21
Rt 1.16-17

22Então Davi disse a Itai:

— Vá e passe adiante.

E assim passaram adiante Itai, o geteu, todos os seus homens e todas as crianças que estavam com ele. 23Toda a terra chorava em alta voz. E todo o povo e também o rei passaram o ribeiro de Cedrom, seguindo o caminho do deserto.

Zadoque, Abiatar e Husai voltam para Jerusalém

24Eis que Zadoque também estava ali,

15.24
2Sm 8.17
20.25
e com ele todos os levitas que levavam a arca da aliança de Deus. Puseram ali a arca de Deus, até que todo o povo acabou de sair da cidade. 25Então o rei disse a Zadoque:

— Leve a arca de Deus de volta para a cidade. Se eu encontrar favor aos olhos do Senhor, ele me fará voltar para lá e me deixará ver tanto a arca como a sua habitação. 26Se ele, porém, disser: “Não tenho prazer em você”, eis-me aqui; faça de mim o que achar melhor.

15.26
1Sm 3.18
2Sm 10.12

27O rei disse mais a Zadoque, o sacerdote:

— Ó vidente, volte em paz para a cidade com o seu filho Aimaás e com Abiatar e o filho dele, Jônatas. 28Vejam: vou ficar esperando nos vaus do deserto até que me venham notícias de vocês.

29Então Zadoque e Abiatar levaram a arca de Deus de volta para Jerusalém e lá ficaram.

30Davi seguiu pela encosta do monte das Oliveiras, subindo e chorando; tinha a cabeça coberta e caminhava descalço. Todo o povo que ia com ele, de cabeça coberta, subiu chorando. 31Então contaram a Davi que Aitofel estava entre os que conspiravam com Absalão.

15.31
2Sm 15.12
Por isso Davi orou, dizendo:

— Ó Senhor, peço-te que transformes em loucura o conselho de Aitofel.

32Quando Davi chegou ao alto do monte, onde se costuma adorar a Deus, eis que Husai, o arquita, veio encontrar-se com ele, de manto rasgado e com terra sobre a cabeça. 33Davi lhe disse:

— Se você for comigo, será um peso para mim. 34Mas, se voltar para a cidade e disser a Absalão: “Eu serei, ó rei, seu servo; como no passado fui servo de seu pai, assim agora serei seu servo”, você poderá me ajudar a frustrar o conselho de Aitofel. 35Os sacerdotes Zadoque e Abiatar estarão lá com você. Conte a esses sacerdotes tudo o que você ouvir no palácio real. 36Lá estão também os filhos deles, Aimaás, filho de Zadoque, e Jônatas, filho de Abiatar. Por meio deles vocês podem me mandar notícias de todas as coisas que ouvirem.

37Então Husai, amigo de Davi, foi para a cidade, e Absalão entrou em Jerusalém.