Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
19

Ezequias consulta Isaías

Is 37.1-7

191Quando o rei Ezequias ouviu isto, rasgou as suas roupas, cobriu-se de pano de saco e entrou na Casa do Senhor. 2Então ele mandou que Eliaquim, o responsável pelo palácio, Sebna, o escrivão, e os anciãos dos sacerdotes, todos vestidos de pano de saco, fossem falar com o profeta Isaías, filho de Amoz. 3Eles lhe disseram:

— Assim diz Ezequias: “Este dia é dia de angústia, de castigo e de vergonha. Como se costuma dizer, chegou a hora de a criança nascer, mas a mãe não tem forças para dar à luz. 4É bem possível que o Senhor, seu Deus, tenha ouvido todas as palavras de Rabsaqué, a quem o rei da Assíria, seu senhor, enviou para afrontar o Deus vivo, e repreenda as palavras que ouviu. Portanto, ore pelo resto que ficou.”

5Os servos do rei Ezequias foram falar com Isaías, 6que lhes disse:

— Digam ao rei o seguinte: Assim diz o Senhor: “Não tenha medo por causa das palavras que você ouviu, com as quais os servos do rei da Assíria blasfemaram contra mim. 7Eis que porei nele um espírito, e ele, ao ouvir certo rumor, voltará para a sua terra; e lá eu farei com que ele seja morto à espada.”

A carta do rei da Assíria

Is 37.8-13

8Rabsaqué voltou e encontrou o rei da Assíria lutando contra Libna, pois tinha ouvido que o rei já se havia retirado de Laquis. 9Quando o rei ouviu dizer que Tiraca, rei da Etiópia, havia saído para guerrear contra ele, mandou de novo mensageiros a Ezequias, com esta missão:

10— Digam a Ezequias, rei de Judá: “Não deixe que o seu Deus, em quem você confia, o engane, ao dizer: ‘Jerusalém não será entregue nas mãos do rei da Assíria.’ 11Você já ouviu o que os reis da Assíria fizeram com todas as terras, como as destruíram totalmente. E você pensa que poderá escapar? 12Será que os deuses das nações livraram os povos que os meus pais destruíram, Gozã, Harã e Rezefe e os filhos de Éden, que estavam em Telassar? 13Onde está o rei de Hamate, o rei de Arpade e o rei da cidade de Sefarvaim, de Hena e de Iva?”

A oração de Ezequias

Is 37.14-20

14Ezequias recebeu a carta das mãos dos mensageiros e a leu. Então Ezequias subiu à Casa do Senhor e estendeu a carta diante do Senhor. 15E Ezequias orou diante do Senhor, dizendo:

— Ó Senhor, Deus de Israel, que estás entronizado acima dos querubins,

19.15
Êx 25.22
somente tu és o Deus de todos os reinos da terra; tu fizeste os céus e a terra. 16Inclina, ó Senhor, os ouvidos e ouve; abre, Senhor, os olhos e vê; ouve as palavras de Senaqueribe, as quais ele enviou para afrontar o Deus vivo. 17É verdade, Senhor, que os reis da Assíria assolaram todas as nações e suas terras 18e lançaram no fogo os deuses deles, porque não eram deuses, mas objetos de madeira e pedra, feitos por mãos humanas;
19.18
Is 44.9
por isso, os destruíram. 19Agora, ó Senhor, nosso Deus, livra-nos das mãos dele, para que todos os reinos da terra saibam que só tu, ó Senhor, és Deus.

O profeta conforta Ezequias

Is 37.21-35

20Então Isaías, filho de Amoz, mandou dizer a Ezequias:

— Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: “Eu ouvi a oração que você me fez a respeito de Senaqueribe, rei da Assíria.” 21E esta é a palavra que o Senhor falou a respeito dele:

“A virgem, a filha de Sião,

desdenha e zomba de você;

a filha de Jerusalém

meneia a cabeça atrás de você.

22A quem você afrontou

e de quem blasfemou?

E contra quem você levantou a voz

e ergueu os olhos com arrogância?

Contra o Santo de Israel.

23Por meio dos seus mensageiros,

você afrontou o Senhor e disse:

‘Com a multidão

dos meus carros de guerra

eu subi ao alto dos montes,

ao mais interior do Líbano.

Cortei os seus altos cedros

e os seus melhores ciprestes;

cheguei aos seus abrigos

mais distantes,

ao seu denso bosque.

24Eu mesmo cavei e bebi

as águas de estrangeiros;

com as plantas de meus pés

sequei todos os rios do Egito.’”

25“Por acaso, você não ouviu

que há muito tempo

eu, o Senhor,

determinei estas coisas,

e que já desde os dias remotos

as tinha planejado?

Agora eu as faço acontecer.

19.25
Is 10.5
45.7

Eu quis que você reduzisse

a montões de ruínas

as cidades fortificadas.

26Por isso, os seus moradores,

debilitados,

andaram cheios de temor

e envergonhados;

tornaram-se como

a erva do campo,

a erva verde,

o capim dos telhados

19.26
Sl 129.6

e o cereal queimado

antes de amadurecer.”

27“Mas eu sei onde você está;

19.27
Pv 5.21
15.3

conheço o seu sair e o seu entrar,

e o seu furor contra mim.

28Por causa do seu furor

contra mim

e porque a sua arrogância subiu

até os meus ouvidos,

19.28
Is 10.12

eis que porei

o meu anzol no seu nariz

e o meu freio na sua boca

e farei você voltar pelo caminho

por onde veio.”

29— E isto será o sinal para você, rei Ezequias: neste ano, se comerá o que nascer espontaneamente e, no segundo ano, o que daí proceder. Mas no terceiro ano semeiem e colham, plantem vinhas e comam os seus frutos. 30Aqueles da casa de Judá que escaparam e ficaram como remanescente tornarão a lançar raízes e a dar frutos.

19.30
Is 27.6
31Porque de Jerusalém sairá o remanescente, e do monte Sião, o que escapou. O zelo do Senhor fará isto.

32— Portanto, assim diz o Senhor a respeito do rei da Assíria:

“Ele não entrará nesta cidade,

nem lançará nela flecha alguma.

Não virá diante dela com escudo,

nem construirá rampas de ataque

contra ela.

33Pelo caminho por onde vier,

por esse voltará;

mas nesta cidade não entrará”,

diz o Senhor.

34“Porque eu defenderei

esta cidade,

19.34
Is 31.5
para a livrar,

por amor de mim

e por amor de meu servo Davi.”

A destruição do exército dos assírios

2Cr 32.21; Is 37.36-38

35Naquela mesma noite, o Anjo do Senhor saiu e matou cento e oitenta e cinco mil homens no arraial dos assírios. De manhã, quando os restantes se levantaram, lá estavam todos aqueles cadáveres. 36Então Senaqueribe, rei da Assíria, levantou acampamento, foi embora, voltou para Nínive e por lá ficou. 37Certo dia, quando ele estava adorando no templo de seu deus Nisroque, os seus filhos Adrameleque e Sarezer o mataram à espada; depois fugiram para a terra de Ararate. E Esar-Hadom, filho de Senaqueribe, reinou em seu lugar.

20

O rei Ezequias é curado

2Cr 32.24; Is 38.1-8

201Por esse tempo, Ezequias adoeceu de uma enfermidade mortal. O profeta Isaías, filho de Amoz, foi visitá-lo e lhe disse:

— Assim diz o Senhor: “Ponha em ordem a sua casa, porque você morrerá; você não vai escapar.”

2Então Ezequias virou o rosto para a parede e orou ao Senhor, dizendo:

3— Ó Senhor, lembra-te de que andei diante de ti com fidelidade, com coração íntegro, e fiz o que era reto aos teus olhos.

20.3
2Rs 18.5-6

E Ezequias chorou amargamente.

4Antes que Isaías tivesse saído do pátio central, a palavra do Senhor veio a ele, dizendo:

5— Volte e diga a Ezequias, príncipe do meu povo: Assim diz o Senhor, o Deus de Davi, seu pai: “Ouvi a sua oração e vi as suas lágrimas. Eis que eu vou curá-lo e, ao terceiro dia, você subirá à Casa do Senhor. 6Acrescentarei quinze anos à sua vida e livrarei das mãos do rei da Assíria tanto você quanto esta cidade. Defenderei esta cidade por amor de mim e por amor a Davi, meu servo.”

7Isaías disse mais:

— Peguem uma pasta de figos.

Eles a pegaram e a puseram sobre a úlcera. E Ezequias recuperou a saúde. 8Ezequias perguntou a Isaías:

— Qual será o sinal de que o Senhor me curará e de que, ao terceiro dia, subirei à Casa do Senhor?

9Isaías respondeu:

— Este é o sinal

20.9
Is 7.11,14
37.30
que você receberá do Senhor para indicar que ele cumprirá o que prometeu: você quer que a sombra se adiante dez graus ou que retroceda dez graus?

10Ezequias respondeu:

— É fácil a sombra adiantar dez graus. Mas que não seja assim; pelo contrário, que ela retroceda dez graus.

11Então o profeta Isaías clamou ao Senhor e ele fez retroceder dez graus a sombra lançada pelo sol declinante no relógio de Acaz.

Os mensageiros da Babilônia

Is 39.1-8

12Nesse tempo, Merodaque-Baladã, filho de Baladã, rei da Babilônia, enviou cartas e um presente a Ezequias, porque soube que ele havia estado doente. 13Ezequias recebeu bem os mensageiros e lhes mostrou toda a casa do seu tesouro, a prata, o ouro, as especiarias, os óleos finos, o seu arsenal e tudo o que havia nos seus tesouros. Não houve nada em seu palácio nem em todo o seu domínio que Ezequias não lhes mostrasse. 14Então o profeta Isaías foi falar com o rei Ezequias e lhe disse:

— Que foi que aqueles homens disseram e de onde vieram?

Ezequias respondeu:

— Vieram de uma terra distante, da Babilônia.

15Isaías perguntou:

— O que eles viram no seu palácio?

Ezequias respondeu:

— Viram tudo o que há em meu palácio. Não houve nada nos meus tesouros que eu não lhes mostrasse.

16Então Isaías disse a Ezequias:

— Ouça a palavra do Senhor: 17“Eis que virão dias em que tudo o que houver no seu palácio, isto é, tudo o que os seus pais ajuntaram até o dia de hoje, será levado para a Babilônia; não ficará coisa alguma, diz o Senhor. 18Alguns dos seus próprios filhos,

20.18
2Rs 24.15
Dn 1.1-7
gerados por você, serão levados, para que sejam eunucos no palácio do rei da Babilônia.”

19Então Ezequias disse a Isaías:

— Boa é a palavra do Senhor que você falou.

Pois ele pensava assim: “Enquanto eu viver haverá paz e segurança.”

A morte de Ezequias

2Cr 32.32-33

20Quanto aos demais atos de Ezequias, a todo o seu poder, como fez o tanque e o aqueduto e trouxe água para dentro da cidade, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Judá? 21Ezequias morreu, e Manassés, seu filho, reinou em seu lugar.

21

O reinado de Manassés, de Judá

2Cr 33.1-20

211Manassés tinha doze anos de idade quando começou a reinar e reinou cinquenta e cinco anos em Jerusalém. A mãe dele se chamava Hefzibá. 2Fez o que era mau

21.2
Jr 15.4
aos olhos do Senhor, segundo as coisas abomináveis das nações que o Senhor havia expulsado de diante dos filhos de Israel. 3Pois reconstruiu os lugares altos que Ezequias, seu pai, havia destruído, levantou altares a Baal, fez um poste da deusa Aserá como o que Acabe, rei de Israel, havia feito, prostrou-se diante de todo o exército dos céus e o serviu. 4Edificou altares na Casa do Senhor, a respeito da qual o Senhor tinha dito: “Em Jerusalém porei o meu nome.”
21.4
2Sm 7.13
5Também edificou altares a todo o exército dos céus nos dois átrios da Casa do Senhor. 6E queimou o seu filho em sacrifício, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro e tratava com médiuns e feiticeiros. Fazia continuamente o que era mau aos olhos do Senhor, para o provocar à ira. 7Também pegou a imagem de escultura da deusa Aserá que ele tinha feito e a colocou no templo a respeito do qual o Senhor tinha dito a Davi e a seu filho Salomão: “Neste templo
21.7
1Rs 9.3-5
2Cr 7.12-18
e em Jerusalém, que escolhi de todas as tribos de Israel, porei o meu nome para sempre. 8E não farei com que os pés de Israel andem errantes, longe da terra que dei aos seus pais, desde que eles tenham o cuidado de fazer segundo tudo o que lhes tenho mandado e conforme toda a Lei que Moisés, meu servo, lhes ordenou.” 9Eles, porém, não ouviram. Manassés de tal modo os levou a andar errantes, que fizeram pior do que as nações que o Senhor tinha destruído de diante dos filhos de Israel.

10Então o Senhor falou por meio de seus servos, os profetas, dizendo:

11— Visto que Manassés, rei de Judá, cometeu estas abominações, fazendo pior do que tudo o que os amorreus fizeram antes dele, e também levou Judá a pecar com os ídolos dele, 12assim diz o Senhor, Deus de Israel: Eis que trarei uma desgraça tão grande sobre Jerusalém e Judá, que todo aquele que ouvir a respeito dela ficará com os dois ouvidos tinindo.

21.12
1Sm 3.11
Jr 19.3
13Estenderei sobre Jerusalém o cordel de Samaria e o prumo da casa de Acabe.
21.13
Is 34.11
Eliminarei Jerusalém, como quem elimina a sujeira de um prato, limpando e virando-o de boca para baixo. 14Abandonarei o remanescente da minha herança e o entregarei nas mãos de seus inimigos; servirá de presa e despojo para todos os seus inimigos. 15Porque fizeram o que era mau aos meus olhos e me provocaram à ira, desde o dia em que os pais deles saíram do Egito até o dia de hoje. 16Além disso, Manassés derramou muitíssimo sangue inocente, até encher Jerusalém de um extremo ao outro, sem falar do seu pecado, com que levou Judá a pecar, praticando o que era mau aos olhos do Senhor.

17Quanto aos demais atos de Manassés, a tudo o que fez e ao seu pecado, que cometeu, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Judá? 18Manassés morreu e foi sepultado no jardim da sua própria casa, no jardim de Uzá. E Amom, seu filho, reinou em seu lugar.

O reinado de Amom, de Judá

2Cr 33.21-25

19Amom tinha vinte e dois anos de idade quando começou a reinar e reinou dois anos em Jerusalém. A mãe dele se chamava Mesulemete e era filha de Haruz, de Jotbá.

20Amom fez o que era mau aos olhos do Senhor, como Manassés, seu pai, havia feito. 21Andou em todo o caminho em que o pai dele tinha andado, serviu os ídolos a que seu pai havia servido e os adorou. 22Assim, ele abandonou o Senhor, Deus de seus pais, e não andou no caminho do Senhor.

23Os servos do rei Amom conspiraram contra ele e o mataram em sua própria casa. 24Porém o povo daquela terra matou todos os que conspiraram contra o rei Amom e proclamou Josias, filho de Amom, rei em seu lugar.

25Quanto aos demais atos de Amom e a tudo o que fez, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Judá? 26Amom foi sepultado em seu túmulo, no jardim de Uzá. E Josias, seu filho, reinou em seu lugar.