Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
25

O reinado de Amazias, de Judá

2Rs 14.1-7

251Amazias tinha vinte e cinco anos de idade quando começou a reinar e reinou vinte e nove anos em Jerusalém. A mãe dele se chamava Jeoadã e era de Jerusalém. 2Amazias fez o que era reto aos olhos do Senhor, mas não com coração íntegro. 3Logo que o reino foi confirmado nas suas mãos, matou os servos que tinham assassinado o rei, seu pai.

25.3
2Rs 12.20
4No entanto, não matou os filhos deles, mas fez segundo está escrito na Lei, no Livro de Moisés, no qual o Senhor deu ordem, dizendo: “Os pais não serão mortos por causa dos filhos, nem os filhos serão mortos por causa dos pais; cada qual será morto pelo seu próprio pecado.”
25.4
Dt 24.16

5Amazias congregou os homens de Judá e os pôs, segundo as suas famílias, sob chefes de mil e chefes de cem, por todo o Judá e Benjamim. Contou os que tinham vinte anos de idade para cima e descobriu que havia trezentos mil homens escolhidos capazes de sair à guerra e manejar lança e escudo. 6Também contratou cem mil homens valentes de Israel por três mil e quatrocentos quilos de prata.

7Porém certo homem de Deus foi falar com Amazias e disse:

— Ó rei, não deixe que o exército de Israel o acompanhe, porque o Senhor não está com Israel, isto é, com nenhum dos filhos de Efraim. 8Porém vá sozinho, entre em ação e seja corajoso. Do contrário, Deus faria com que você caísse diante do inimigo, porque Deus tem poder para dar a vitória ou a derrota.

9Amazias perguntou ao homem de Deus:

— E o que será dos três mil e quatrocentos quilos de prata que paguei às tropas de Israel?

Ao que o homem de Deus respondeu:

— O Senhor pode lhe dar muito mais do que isso!

10Então Amazias dispensou as tropas que tinham vindo de Efraim, dizendo que voltassem para casa. Eles ficaram muito irritados com o povo de Judá e voltaram para casa enfurecidos.

11Amazias tomou coragem e, conduzindo o seu povo, foi até o vale do Sal, onde matou dez mil

25.11
2Rs 14.7
dos filhos de Seir. 12Também os filhos de Judá prenderam vivos dez mil e os levaram até o alto de um penhasco, de onde os precipitaram, de modo que todos foram esmigalhados. 13Porém os homens das tropas que Amazias tinha mandado embora, para que não fossem com ele à guerra, atacaram as cidades de Judá, desde Samaria até Bete-Horom. Mataram três mil e levaram muitos despojos.

14Quando Amazias voltou da matança dos edomitas, trouxe consigo os deuses dos filhos de Seir, tomou-os por seus deuses, adorou-os e lhes queimou incenso. 15Então o Senhor ficou irado com Amazias e enviou-lhe um profeta que lhe disse:

— Por que você está buscando deuses que não puderam livrar do seu ataque o povo deles?

16Enquanto o profeta ainda falava, o rei lhe disse:

— Por acaso pusemos você por conselheiro do rei? Pare com isso! Por que teríamos de matar você?

Então o profeta parou, mas disse:

— Sei que Deus resolveu destruí-lo, porque você fez isso e não deu ouvidos ao meu conselho.

Amazias é derrotado por Jeoás

2Rs 14.8-14

17Então Amazias, rei de Judá, tomou conselho e enviou mensageiros a Jeoás, filho de Jeoacaz, filho de Jeú, rei de Israel, dizendo:

— Venha me enfrentar no campo de batalha.

18Porém Jeoás, rei de Israel, respondeu a Amazias, rei de Judá:

— O espinheiro que está no Líbano mandou dizer ao cedro que lá está: “Dê a sua filha por mulher ao meu filho.” Mas um animal selvagem, que estava no Líbano, passou e pisoteou o espinheiro. 19Você diz: “Eis que derrotei os edomitas”, e o seu coração se encheu de orgulho, para você se gloriar. Agora fique em casa. Por que provocar um mal que trará somente desgraça para você e para Judá?

20Mas Amazias não quis atendê-lo, porque isto vinha de Deus, para entregá-los nas mãos dos inimigos, porque buscaram os deuses dos edomitas. 21Então Jeoás, rei de Israel, avançou contra Amazias, rei de Judá, e eles se enfrentaram em Bete-Semes, que está em Judá. 22Judá foi derrotado por Israel, e os soldados tiveram de fugir para as suas casas. 23Jeoás, rei de Israel, prendeu Amazias, rei de Judá, filho de Joás, filho de Jeoacaz, em Bete-Semes. Levou-o a Jerusalém, onde derrubou uma parte da muralha da cidade, desde o Portão de Efraim até o Portão da Esquina, numa extensão de mais ou menos duzentos metros. 24Pegou todo o ouro e a prata, e todos os utensílios que havia na Casa de Deus, com Obede-Edom, e os tesouros do palácio real, bem como alguns reféns; e voltou para Samaria.

A morte de Amazias

2Rs 14.17-20

25Amazias, filho de Joás, rei de Judá, viveu quinze anos depois da morte de Jeoás, filho de Jeoacaz, rei de Israel. 26Quanto aos demais atos de Amazias, tanto os primeiros como os últimos, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Judá e de Israel? 27Depois que Amazias deixou de seguir o Senhor, conspiraram contra ele em Jerusalém, e ele fugiu para Laquis; porém enviaram homens atrás dele até Laquis e o mataram. 28Trouxeram-no sobre cavalos e o sepultaram junto a seus pais, na Cidade de Davi.

26

O reinado de Uzias, de Judá

2Rs 14.21-22; 15.1-4

261Todo o povo de Judá tomou Uzias, que tinha dezesseis anos de idade, e o constituiu rei em lugar de Amazias, seu pai. 2Depois da morte de seu pai, Uzias reconstruiu Elate e a restituiu a Judá.

3Uzias tinha dezesseis anos de idade quando começou a reinar e reinou cinquenta e dois anos em Jerusalém. A mãe dele se chamava Jecolias e era de Jerusalém. 4Ele fez o que era reto aos olhos do Senhor, segundo tudo o que Amazias, seu pai, havia feito. 5Propôs-se buscar a Deus nos dias de Zacarias, que era sábio nas visões de Deus. Enquanto Uzias buscou o Senhor, Deus o fez prosperar.

6Ele foi e guerreou contra os filisteus. Destruiu as muralhas de Gate, de Jabné e de Asdode. Construiu cidades no território de Asdode e entre os filisteus. 7Deus o ajudou contra os filisteus, contra os árabes que moravam em Gur-Baal e contra os meunitas. 8Os amonitas pagavam tributo a Uzias, que chegou a ser tão poderoso que a sua fama se espalhou até a entrada do Egito.

9Uzias construiu torres em Jerusalém, junto ao Portão da Esquina, junto ao Portão do Vale e junto ao Portão do Ângulo e as fortificou. 10Também construiu torres no deserto e cavou muitas cisternas, porque tinha muito gado, tanto na Sefelá como nas campinas. Tinha lavradores e vinhateiros, nos montes e nos campos férteis, porque era amigo da agricultura.

11Uzias tinha um exército de homens preparados para a guerra, que saíam para a batalha em tropas, segundo a lista feita pelo escrivão Jeiel e pelo oficial Maaseias, sob a direção de Hananias, um dos oficiais do rei. 12O número total dos chefes das famílias, homens valentes, era de dois mil e seiscentos. 13Debaixo das suas ordens, havia um exército guerreiro de trezentos e sete mil e quinhentos homens, que faziam a guerra com grande poder, para ajudar o rei contra os seus inimigos. 14Uzias preparou para todo o exército escudos, lanças, capacetes, couraças e arcos e até fundas para atirar pedras. 15Em Jerusalém ele fabricou máquinas, inventadas por homens peritos, que foram colocadas nas torres e nos cantos das muralhas, para atirarem flechas e grandes pedras. A fama de Uzias se espalhou até muito longe, porque ele foi maravilhosamente ajudado, até se tornar muito poderoso.

Uzias é atacado de lepra

2Rs 15.5-7

16Mas, depois que Uzias se tornou poderoso, o coração dele se exaltou para a sua própria ruína. Ele cometeu uma transgressão contra o Senhor, seu Deus, pois entrou no templo do Senhor para queimar incenso no altar do incenso. 17Porém o sacerdote Azarias entrou atrás dele, acompanhado de oitenta sacerdotes do Senhor, homens da maior firmeza. 18Eles enfrentaram o rei Uzias e lhe disseram:

— Não compete a você, Uzias, queimar incenso

26.18
Êx 30.7-8
Nm 3.10
diante do Senhor, mas aos sacerdotes, filhos de Arão, que são consagrados para esse serviço. Saia do santuário, porque você cometeu uma transgressão e isso não lhe trará honra da parte do Senhor Deus.

19Então Uzias se indignou. Ele tinha o incensário na mão para queimar incenso. No momento em que ele se indignou contra os sacerdotes, a lepra lhe saiu na testa, ali mesmo, na presença dos sacerdotes, na Casa do Senhor, junto ao altar do incenso. 20Quando o sumo sacerdote Azarias e todos os sacerdotes se voltaram para ele, eis que ele estava leproso na testa. Então apressadamente o tiraram dali, e até ele mesmo se apressou em sair, visto que o Senhor o havia ferido.

21Assim, o rei Uzias ficou leproso até o dia da sua morte. E, por ser leproso, morou numa casa separada,

26.21
Lv 13.46
porque foi excluído da Casa do Senhor. E Jotão, seu filho, tinha a seu encargo o palácio real, governando o povo da terra.

22Quanto aos demais atos de Uzias, tanto os primeiros como os últimos, o profeta Isaías, filho de Amoz, os escreveu. 23Uzias

26.23
Is 6.1
morreu e foi sepultado no túmulo de seus pais, num cemitério que pertencia aos reis. Porque disseram: “Ele era leproso.” E Jotão, seu filho, reinou em seu lugar.

27

O reinado de Jotão, de Judá

2Rs 15.32-38

271Jotão tinha vinte e cinco anos de idade quando começou a reinar e reinou dezesseis anos em Jerusalém. A mãe dele se chamava Jerusa e era filha de Zadoque. 2Fez o que era reto aos olhos do Senhor, segundo tudo o que Uzias, seu pai, havia feito, exceto que não entrou no templo do Senhor. E o povo continuava na prática do mal.

3Ele edificou o Portão de Cima da Casa do Senhor e também edificou muitas obras sobre a Muralha de Ofel. 4Também construiu cidades na região montanhosa de Judá e castelos e torres nos bosques. 5Ele também guerreou contra o rei dos filhos de Amom e o derrotou, de modo que os filhos de Amom, naquele ano, lhe deram três mil e quatrocentos quilos de prata, mil toneladas de trigo e mil toneladas de cevada. E eles lhe trouxeram isto também no segundo e no terceiro ano. 6Assim, Jotão se tornou cada vez mais poderoso, porque dirigia os seus caminhos segundo a vontade do Senhor, seu Deus.

7Quanto aos demais atos de Jotão, todas as suas guerras e empreendimentos, eis que está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Israel e de Judá. 8Tinha vinte e cinco anos de idade quando começou a reinar e reinou dezesseis anos em Jerusalém. 9Jotão morreu e foi sepultado na Cidade de Davi. E Acaz, seu filho, reinou em seu lugar.