Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
30

Ziclague é saqueada pelos amalequitas

301Aconteceu que, ao terceiro dia, quando Davi e os seus homens chegaram a Ziclague, os amalequitas já tinham invadido o Sul e a cidade de Ziclague. Tomaram Ziclague e a incendiaram. 2Levaram cativas as mulheres que lá estavam, mas não mataram ninguém, nem pequenos nem grandes; tão somente os levaram consigo e foram embora. 3Davi e os seus homens chegaram à cidade, e viram que tinha sido queimada, e que as suas mulheres, os seus filhos e as suas filhas haviam sido levados cativos. 4Então Davi e o povo que estava com ele ergueram a voz e choraram, até não terem mais forças para chorar. 5Também as duas mulheres de Davi

30.5
1Sm 25.42-43
tinham sido levadas: Ainoã, a jezreelita, e Abigail, a viúva de Nabal, o carmelita. 6Davi ficou muito angustiado, pois o povo falava de apedrejá-lo, porque todos estavam amargurados, cada um por causa de seus filhos e suas filhas. Mas Davi se reanimou no Senhor, seu Deus.

Davi livra os cativos

7Davi disse a Abiatar,

30.7
1Sm 22.20-23
o sacerdote, filho de Aimeleque:

— Traga aqui a estola sacerdotal.

E Abiatar a trouxe a Davi. 8Então Davi consultou o Senhor,

30.8
1Sm 23.2,4
dizendo:

— Devo perseguir esse bando? Conseguirei alcançá-lo?

O Senhor respondeu:

— Persiga o bando, porque você certamente o alcançará e libertará os cativos.

9Então Davi partiu, ele e os seiscentos homens que com ele estavam, e chegaram ao ribeiro de Besor, onde os retardatários ficaram. 10Davi e quatrocentos homens continuaram a perseguição, mas duzentos ficaram atrás, por não poderem passar o ribeiro de Besor, de tão cansados que estavam.

11Encontraram no campo um homem egípcio e o trouxeram a Davi. Deram-lhe pão, e ele comeu, e deram-lhe água para beber. 12Deram-lhe também um pedaço de pasta de figos secos e dois cachos de passas, e ele comeu. Assim, recobrou as forças, pois havia três dias e três noites que não comia pão, nem bebia água. 13Então Davi lhe perguntou:

— De quem você é e de onde você vem?

O moço egípcio respondeu:

— Sou servo de um amalequita, e meu senhor me deixou aqui, porque adoeci há três dias. 14Nós invadimos o lado sul dos queretitas, o território de Judá e o lado sul de Calebe e pusemos fogo em Ziclague.

15Então Davi lhe perguntou:

— Você poderia me levar até esse bando?

Ele respondeu:

— Jure por Deus que não vai me matar, nem me entregar nas mãos de meu senhor, e eu o levarei até esse bando.

16E ele levou Davi até lá. Eis que os amalequitas estavam espalhados por toda a região, comendo, bebendo e fazendo festa por todo aquele grande despojo que tomaram da terra dos filisteus e da terra de Judá. 17Davi os atacou e lutou contra eles, desde o crepúsculo até a tarde do dia seguinte, e nenhum deles escapou, a não ser quatrocentos moços que montaram em camelos e fugiram. 18Assim, Davi salvou tudo o que os amalequitas tinham levado. Também salvou as suas duas mulheres. 19Não lhes faltou coisa alguma, nem pequena nem grande, nem os filhos, nem as filhas, nem o despojo, nada do que lhes haviam tomado: Davi trouxe tudo de volta. 20Davi também tomou todas as ovelhas e o gado. Então levaram esses animais diante de Davi e disseram:

— Este é o despojo de Davi.

A lei a respeito da divisão da presa

21Quando Davi se aproximou dos duzentos homens que, de tão cansados que estavam, não o puderam seguir e ficaram no ribeiro de Besor, estes saíram ao encontro de Davi e do povo que vinha com ele. Davi se aproximou deles e os saudou cordialmente. 22Então todos os perversos e malignos, dentre os homens que tinham ido com Davi, disseram:

— Uma vez que não foram conosco, não lhes daremos nada do despojo que salvamos. Que cada um leve a sua mulher e os seus filhos e se vá embora.

23Porém Davi disse:

— Meus irmãos, não façam isto com o que o Senhor nos deu. Ele nos guardou e entregou em nossas mãos o bando que vinha contra nós. 24E quem lhes daria ouvidos nisso? Porque a mesma parte que cabe aos que foram à batalha será também a parte dos que ficaram com a bagagem; receberão partes iguais.

30.24
Nm 31.27

25E assim, desde aquele dia em diante, isso foi estabelecido por estatuto e direito em Israel, até o dia de hoje.

26Quando Davi chegou a Ziclague, enviou parte do despojo aos anciãos de Judá, seus amigos, dizendo:

— Este é um presente para vocês, tirado do despojo dos inimigos do Senhor.

27Ele enviou esse presente aos anciãos de Betel, de Ramote do Neguebe, de Jatir, 28de Aroer, de Sifmote, de Estemoa, 29de Racal, das cidades dos jerameelitas e dos queneus, 30de Horma, de Borasã, de Atace, 31de Hebrom e de todos os lugares em que Davi tinha passado, ele e os seus homens.

31

A derrota de Israel e a morte de Saul

1Cr 10.1-7

311Os filisteus lutaram contra Israel. E os homens de Israel, fugindo da presença dos filisteus, caíram mortos no monte Gilboa. 2Os filisteus seguiram de perto Saul e seus filhos e mataram Jônatas, Abinadabe e Malquisua, filhos de Saul. 3A batalha se intensificou contra Saul. Os flecheiros o avistaram e ele foi ferido gravemente.31.3 Outra tradução possível: “e ele ficou com muito medo” 4Então Saul disse ao seu escudeiro:

— Arranque a sua espada e atravesse-me com ela, para que não venham esses incircuncisos, me atravessem com a espada e zombem de mim.

Mas o seu escudeiro não quis fazer isso, porque estava com muito medo. Então Saul pegou a sua própria espada e se lançou sobre ela. 5Quando o escudeiro viu que Saul estava morto, também se lançou sobre a sua espada e morreu com ele. 6E assim morreram juntamente naquele dia Saul, os seus três filhos, o seu escudeiro e todos os seus soldados. 7Quando os homens de Israel que estavam no outro lado do vale e no outro lado do Jordão viram que o exército de Israel fugiu e que Saul e seus filhos estavam mortos, abandonaram as cidades e fugiram. E vieram os filisteus e habitaram nelas.

O sepultamento de Saul

1Cr 10.8-12

8E aconteceu que no dia seguinte, quando os filisteus foram tirar os despojos dos mortos, encontraram Saul e os seus três filhos caídos no monte Gilboa. 9Cortaram a cabeça de Saul e o despojaram das suas armas. Enviaram mensageiros pela terra dos filisteus, ao redor, para levar as boas-novas ao templo dos seus ídolos e ao povo. 10Puseram as armas de Saul no templo de Astarote, e o seu corpo afixaram na muralha de Bete-Seã.

11Quando os moradores de Jabes-Gileade ouviram o que os filisteus haviam feito com Saul, 12todos os homens valentes se levantaram, caminharam toda a noite, tiraram o corpo de Saul e os corpos de seus filhos da muralha de Bete-Seã e os levaram a Jabes, onde os queimaram. 13Depois pegaram os ossos deles e os sepultaram debaixo de um arvoredo, em Jabes. E jejuaram sete dias.