Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
28

Saul consulta a médium de En-Dor

281E aconteceu que, naqueles dias, os filisteus reuniram os seus exércitos para a guerra, para lutar contra Israel. Então Aquis disse a Davi:

— Fique sabendo que você irá comigo para a batalha, você e os seus homens.

2Então Davi disse a Aquis:

— Assim você saberá o quanto este seu servo pode fazer.

Aquis respondeu:

— Por isso, você será meu guarda pessoal para sempre.

3Samuel já havia morrido,

28.3
1Sm 25.1
e todo o Israel o tinha chorado e o tinha sepultado em Ramá, que era a sua cidade. Saul havia desterrado os médiuns e os adivinhos.
28.3
Lv 20.27
Dt 18.10-11

4Os filisteus se reuniram e foram acampar em Suném. Saul reuniu todo o Israel, e eles acamparam em Gilboa. 5Quando Saul viu o acampamento dos filisteus, foi tomado de medo, e muito se estremeceu o seu coração. 6Saul consultou o Senhor, porém o Senhor não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim,

28.6
Nm 27.21
nem por profetas. 7Então Saul disse aos seus servos:

— Procurem uma mulher que seja médium, para que eu me encontre com ela e a consulte.

Os servos responderam:

— Há uma mulher em En-Dor que é médium.

8Saul se disfarçou, vestiu outras roupas e se foi, acompanhado de dois homens. Chegaram de noite à casa da mulher, e Saul lhe disse:

— Peço que você adivinhe para mim pela necromancia e me faça subir aquele que eu lhe disser.

9Mas a mulher respondeu:

— Você sabe muito bem o que Saul fez: eliminou da terra os médiuns e adivinhos. Então por que você está me preparando uma armadilha, que pode me levar à morte?

10Então Saul lhe jurou pelo Senhor, dizendo:

— Tão certo como vive o Senhor, nenhum castigo lhe sobrevirá por isso.

11Então a mulher perguntou:

— Quem você quer que eu faça subir?

Ele respondeu:

— Samuel.

12Quando a mulher viu Samuel, gritou em alta voz e disse a Saul:

— Por que você me enganou? Pois você mesmo é Saul.

13Mas o rei disse à mulher:

— Não tenha medo! O que você está vendo?

A mulher respondeu a Saul:

— Vejo um deus subindo da terra.

14Ele perguntou:

— Como é a sua figura?

Ela respondeu:

— Vem subindo um ancião e está enrolado numa capa.

Então Saul entendeu que se tratava de Samuel. Ele se inclinou com o rosto em terra e se prostrou.

15Samuel perguntou a Saul:

— Por que você foi me perturbar, fazendo-me subir?

Então Saul disse:

— É que estou muito angustiado, porque os filisteus guerreiam contra mim, e Deus se afastou de mim e já não me responde, nem pelo ministério dos profetas, nem por sonhos. Por isso o chamei para que você me revele o que devo fazer.

16Então Samuel disse:

— Por que você pergunta a mim, visto que o Senhor se afastou de você e se tornou seu inimigo? 17Porque o Senhor fez com você o que havia anunciado por meio de mim: rasgou

28.17
1Sm 15.28
das suas mãos o reino e o deu a alguém outro, que é Davi. 18Você não deu ouvidos
28.18
1Sm 15.3-9
à voz do Senhor e não executou o que ele, no furor da sua ira, ordenou contra Amaleque, por isso o Senhor fez isso com você, hoje. 19O Senhor entregará também Israel, com você, nas mãos dos filisteus, e, amanhã, você e os seus filhos estarão comigo. O Senhor também entregará o acampamento de Israel nas mãos dos filisteus.

20De repente, Saul caiu estendido no chão e ficou com muito medo por causa das palavras de Samuel. Faltavam-lhe as forças, porque não tinha comido nada todo aquele dia e toda aquela noite. 21A mulher se aproximou de Saul e, vendo que ele estava muito perturbado, disse a ele:

— Veja, esta sua serva deu ouvidos à sua voz. Eu arrisquei a minha vida e fiz o que o senhor me pediu. 22Então agora é a sua vez de ouvir as palavras desta sua serva: deixe que eu traga um pouco de comida. Coma, para que o senhor tenha forças e possa seguir o seu caminho.

23Porém ele recusou, dizendo:

— Não vou comer.

Mas os seus servos e a mulher insistiram, e então ele concordou. Levantou-se do chão e sentou-se na cama. 24A mulher tinha em casa um bezerro gordo, que ela se apressou em matar. Pegou também farinha, amassou-a e fez alguns pães sem fermento. 25E trouxe a comida a Saul e aos seus servos, e eles comeram. Depois, se levantaram e foram embora naquela mesma noite.

29

Os filisteus desconfiam de Davi

291Os filisteus reuniram todos os seus exércitos em Afeca, enquanto os israelitas acamparam junto à fonte que está em Jezreel. 2Os governantes dos filisteus se foram para lá com centenas e com milhares. Davi e os seus homens iam com Aquis, na retaguarda. 3Então os chefes dos filisteus perguntaram:

— O que estes hebreus estão fazendo aqui?

Aquis respondeu:

— Não é este Davi, o servo de Saul, rei de Israel, que está comigo há muitos dias ou anos? E desde que desertou e passou para o meu lado até o dia de hoje não encontrei nada de errado nele.

4Porém os comandantes dos filisteus se indignaram contra Aquis e lhe disseram:

— Mande este homem embora, para que volte ao lugar que você lhe designou. Ele não deve entrar conosco na batalha, para que não se torne nosso adversário no combate. Pois de que outro modo se reconciliaria com o seu senhor? Não seria, por acaso, com as cabeças destes homens? 5Não é este aquele Davi, de quem cantavam nas danças, dizendo:

“Saul matou os seus milhares,

porém Davi, os seus dez milhares”?

29.5
1Sm 18.7
21.11

6Então Aquis chamou Davi e lhe disse:

— Tão certo como vive o Senhor, você é um homem correto, e me parece bem que você tome parte comigo nesta campanha. Porque não encontrei nenhum mal em você, desde o dia em que você veio para junto de mim até o dia de hoje. Mas os governantes não se agradaram de você. 7Portanto, agora volte e vá em paz, para que você não desagrade aos governantes dos filisteus.

8Então Davi disse a Aquis:

— Mas o que foi que eu fiz? Ou o que você encontrou de errado neste seu servo, desde o dia em que entrei para o seu serviço até hoje, para que eu não possa lutar contra os inimigos do rei, meu senhor?

9Aquis respondeu:

— Eu sei que aos meus olhos você é bom como um anjo de Deus. Mas os comandantes dos filisteus disseram: “Ele não deve ir conosco à batalha.” 10Portanto, levante-se amanhã de madrugada com os seus servos, que vieram com você. E ao se levantarem, logo que amanhecer, vão embora daqui.

11Então Davi se levantou de madrugada, ele e os seus homens, para voltar à terra dos filisteus. E os filisteus foram para Jezreel.

30

Ziclague é saqueada pelos amalequitas

301Aconteceu que, ao terceiro dia, quando Davi e os seus homens chegaram a Ziclague, os amalequitas já tinham invadido o Sul e a cidade de Ziclague. Tomaram Ziclague e a incendiaram. 2Levaram cativas as mulheres que lá estavam, mas não mataram ninguém, nem pequenos nem grandes; tão somente os levaram consigo e foram embora. 3Davi e os seus homens chegaram à cidade, e viram que tinha sido queimada, e que as suas mulheres, os seus filhos e as suas filhas haviam sido levados cativos. 4Então Davi e o povo que estava com ele ergueram a voz e choraram, até não terem mais forças para chorar. 5Também as duas mulheres de Davi

30.5
1Sm 25.42-43
tinham sido levadas: Ainoã, a jezreelita, e Abigail, a viúva de Nabal, o carmelita. 6Davi ficou muito angustiado, pois o povo falava de apedrejá-lo, porque todos estavam amargurados, cada um por causa de seus filhos e suas filhas. Mas Davi se reanimou no Senhor, seu Deus.

Davi livra os cativos

7Davi disse a Abiatar,

30.7
1Sm 22.20-23
o sacerdote, filho de Aimeleque:

— Traga aqui a estola sacerdotal.

E Abiatar a trouxe a Davi. 8Então Davi consultou o Senhor,

30.8
1Sm 23.2,4
dizendo:

— Devo perseguir esse bando? Conseguirei alcançá-lo?

O Senhor respondeu:

— Persiga o bando, porque você certamente o alcançará e libertará os cativos.

9Então Davi partiu, ele e os seiscentos homens que com ele estavam, e chegaram ao ribeiro de Besor, onde os retardatários ficaram. 10Davi e quatrocentos homens continuaram a perseguição, mas duzentos ficaram atrás, por não poderem passar o ribeiro de Besor, de tão cansados que estavam.

11Encontraram no campo um homem egípcio e o trouxeram a Davi. Deram-lhe pão, e ele comeu, e deram-lhe água para beber. 12Deram-lhe também um pedaço de pasta de figos secos e dois cachos de passas, e ele comeu. Assim, recobrou as forças, pois havia três dias e três noites que não comia pão, nem bebia água. 13Então Davi lhe perguntou:

— De quem você é e de onde você vem?

O moço egípcio respondeu:

— Sou servo de um amalequita, e meu senhor me deixou aqui, porque adoeci há três dias. 14Nós invadimos o lado sul dos queretitas, o território de Judá e o lado sul de Calebe e pusemos fogo em Ziclague.

15Então Davi lhe perguntou:

— Você poderia me levar até esse bando?

Ele respondeu:

— Jure por Deus que não vai me matar, nem me entregar nas mãos de meu senhor, e eu o levarei até esse bando.

16E ele levou Davi até lá. Eis que os amalequitas estavam espalhados por toda a região, comendo, bebendo e fazendo festa por todo aquele grande despojo que tomaram da terra dos filisteus e da terra de Judá. 17Davi os atacou e lutou contra eles, desde o crepúsculo até a tarde do dia seguinte, e nenhum deles escapou, a não ser quatrocentos moços que montaram em camelos e fugiram. 18Assim, Davi salvou tudo o que os amalequitas tinham levado. Também salvou as suas duas mulheres. 19Não lhes faltou coisa alguma, nem pequena nem grande, nem os filhos, nem as filhas, nem o despojo, nada do que lhes haviam tomado: Davi trouxe tudo de volta. 20Davi também tomou todas as ovelhas e o gado. Então levaram esses animais diante de Davi e disseram:

— Este é o despojo de Davi.

A lei a respeito da divisão da presa

21Quando Davi se aproximou dos duzentos homens que, de tão cansados que estavam, não o puderam seguir e ficaram no ribeiro de Besor, estes saíram ao encontro de Davi e do povo que vinha com ele. Davi se aproximou deles e os saudou cordialmente. 22Então todos os perversos e malignos, dentre os homens que tinham ido com Davi, disseram:

— Uma vez que não foram conosco, não lhes daremos nada do despojo que salvamos. Que cada um leve a sua mulher e os seus filhos e se vá embora.

23Porém Davi disse:

— Meus irmãos, não façam isto com o que o Senhor nos deu. Ele nos guardou e entregou em nossas mãos o bando que vinha contra nós. 24E quem lhes daria ouvidos nisso? Porque a mesma parte que cabe aos que foram à batalha será também a parte dos que ficaram com a bagagem; receberão partes iguais.

30.24
Nm 31.27

25E assim, desde aquele dia em diante, isso foi estabelecido por estatuto e direito em Israel, até o dia de hoje.

26Quando Davi chegou a Ziclague, enviou parte do despojo aos anciãos de Judá, seus amigos, dizendo:

— Este é um presente para vocês, tirado do despojo dos inimigos do Senhor.

27Ele enviou esse presente aos anciãos de Betel, de Ramote do Neguebe, de Jatir, 28de Aroer, de Sifmote, de Estemoa, 29de Racal, das cidades dos jerameelitas e dos queneus, 30de Horma, de Borasã, de Atace, 31de Hebrom e de todos os lugares em que Davi tinha passado, ele e os seus homens.