Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
4

Os oficiais de Salomão

41O rei Salomão reinou sobre todo o Israel. 2E estes eram os seus altos oficiais: Azarias, filho de Zadoque, era o sacerdote; 3Eliorefe e Aías, filhos de Sisa, eram secretários; Josafá, filho de Ailude, era o cronista; 4Benaia, filho de Joiada, era comandante do exército; Zadoque e Abiatar eram sacerdotes; 5Azarias, filho de Natã, era governador-chefe; Zabude, filho de Natã, era ministro e amigo do rei; 6Aisar era o responsável pelo palácio; Adonirão, filho de Abda, era superintendente dos que realizavam trabalhos forçados.

7Salomão tinha doze governadores sobre todo o Israel, que forneciam mantimento ao rei e ao seu palácio; cada um tinha de fornecer durante um mês do ano. 8São estes os seus nomes: Ben-Hur, nas montanhas de Efraim; 9Ben-Dequer, em Macaz, Saalabim, Bete-Semes, Elom e Bete-Hanã; 10Ben-Hesede, em Arubote, Socó e toda a terra de Héfer; 11Ben-Abinadabe, que era casado com Tafate, filha de Salomão, em toda a cordilheira de Dor; 12Baaná, filho de Ailude, em Taanaque, Megido, e toda a Bete-Seã, que fica perto de Zaretã, abaixo de Jezreel, desde Bete-Seã até Abel-Meolá, até além de Jocmeão; 13Ben-Geber, em Ramote-Gileade, nas aldeias de Jair, filho de Manassés, que estão em Gileade e também na região de Argobe, em Basã, sessenta grandes cidades com muralhas e ferrolhos de bronze; 14Ainadabe, filho de Ido, em Maanaim; 15Aimaás, que era casado com Basemate, outra filha de Salomão, em Naftali; 16Baaná, filho de Husai, em Aser e Bealote; 17Josafá, filho de Parua, em Issacar; 18Simei, filho de Elá, em Benjamim; 19Geber, filho de Uri, na terra de Gileade, a terra de Seom, rei dos amorreus, e de Ogue, rei de Basã; e havia só um governador nesta região.

A prosperidade do reino de Salomão

20O povo de Judá e Israel era tão numeroso como a areia que está na praia do mar;

4.20
Gn 22.17
1Rs 3.8
eles comiam, bebiam e se alegravam. 21Salomão dominava sobre todos os reinos desde o Eufrates até a terra
4.21
Gn 15.18
2Cr 9.26
dos filisteus e até a fronteira do Egito. Esses reinos pagavam tributo e serviram Salomão durante todos os dias da sua vida. 22As provisões diárias de Salomão eram três mil quilos da melhor farinha e seis mil quilos de farinha; 23dez bois gordos, vinte bois de pasto e cem carneiros, além dos veados, as gazelas, os corços e aves bem-tratadas. 24Porque Salomão dominava sobre toda a região e sobre todos os reis do lado de cá do Eufrates, desde Tifsa até Gaza, e tinha paz em toda a região ao redor. 25Judá e Israel habitavam seguros, cada um debaixo da sua videira e debaixo da sua figueira,
4.25
Mq 4.4
Zc 3.10
desde Dã até Berseba, durante todos os dias de Salomão.

26Salomão tinha também quatro4.26 Conforme textos antigos e 2Cr 9.25; o texto hebraico diz quarenta mil cavalos em estrebarias, para os seus carros de guerra,

4.26
1Rs 10.26
2Cr 1.14
9.25
e doze mil cavaleiros. 27Os governadores forneciam provisões, cada um no seu mês, ao rei Salomão e a todos os que chegavam à sua mesa; coisa nenhuma deixavam faltar. 28Também levavam a cevada e a palha para os cavalos e os ginetes, para o lugar onde estivesse o rei, segundo lhes havia sido prescrito.

A sabedoria de Salomão

29Deus deu a Salomão sabedoria, entendimento fora do comum e uma inteligência tão vasta como a areia que está na praia do mar. 30A sabedoria de Salomão era maior do que a de todos os homens do Oriente e do que toda a sabedoria dos egípcios. 31Era mais sábio do que todos os homens: mais sábio do que Etã, ezraíta,

4.31
Sl 89
e do que Hemã, Calcol e Darda, filhos de Maol. E a sua fama se espalhou por todas as nações ao redor. 32Compôs três mil provérbios,
4.32
Pv 1.1
10.1
25.1
e os seus cânticos foram mil e cinco. 33Falou sobre todas as plantas, desde o cedro que está no Líbano até o hissopo que brota dos muros; também falou sobre os animais e as aves, os animais que rastejam e os peixes. 34De todos os povos vinha gente para ouvir a sabedoria de Salomão, e também mensageiros de todos os reis da terra que tinham ouvido falar da sua sabedoria.

5

Salomão faz aliança com Hirão

2Cr 2.1-16

51Também Hirão, rei de Tiro, enviou os seus servos a Salomão, porque ouviu que Salomão havia sido ungido rei em lugar de seu pai. Acontece que Hirão sempre tinha sido amigo de Davi. 2Então Salomão enviou mensageiros a Hirão, dizendo:

3— Você sabe que Davi, meu pai, não pôde edificar um templo ao nome do Senhor, seu Deus, por causa das guerras em que se viu envolvido, até que o Senhor pôs os seus inimigos debaixo dos pés dele. 4Porém a mim o Senhor, meu Deus, tem dado descanso de todos os lados; não há nem inimigo, nem adversidade alguma. 5Por isso tenho a intenção de edificar um templo ao nome do Senhor, meu Deus, como o Senhor falou a Davi, meu pai, dizendo: “O seu filho,

5.5
2Sm 7.12-13
1Cr 17.11-12
que porei em seu lugar no seu trono, esse edificará uma casa ao meu nome.” 6Agora ordene que cortem cedros do Líbano para mim. Os meus servos estarão com os seus servos, e eu lhe pagarei o salário destes segundo o que você determinar. Porque você bem sabe que entre o meu povo não há quem saiba cortar a madeira como os sidônios.

7Quando Hirão ouviu as palavras de Salomão, ficou muito contente e disse:

— Bendito seja hoje o Senhor, que deu a Davi um filho sábio para reinar sobre este grande povo.

8Hirão enviou mensageiros a Salomão, dizendo:

— Ouvi a mensagem que você me enviou. Farei tudo o que você deseja no que se refere às madeiras de cedro e de cipreste. 9Os meus servos as levarão desde o Líbano até o mar, e eu farei com que sejam conduzidas em jangadas pelo mar até o lugar que você disser. Ali elas serão desamarradas e você as receberá. E você também fará a minha vontade, dando provisões à minha casa.

10Assim, Hirão deu a Salomão madeira de cedro e madeira de cipreste, segundo este queria. 11Salomão deu a Hirão duas mil toneladas de trigo, para sustento da sua casa, e quatrocentos mil litros de azeite de oliva puro; e o fazia de ano em ano. 12O Senhor deu sabedoria a Salomão, como lhe havia prometido.

5.12
1Rs 3.12
Havia paz entre Hirão e Salomão, e eles fizeram uma aliança entre si.

Preparativos para edificar o templo

2Cr 2.17-18

13O rei Salomão formou uma leva de trabalhadores forçados dentre todo o Israel,

5.13
1Rs 9.15
num total de trinta mil homens. 14Ele os enviava ao Líbano alternadamente, dez mil por mês; um mês estavam no Líbano, e dois meses, cada um em sua casa. E Adonirão dirigia a leva.
5.14
1Rs 4.6
15Salomão tinha também setenta mil que levavam as cargas e oitenta mil que talhavam pedra nas montanhas, 16além dos chefes-oficiais de Salomão, em número de três mil e trezentos, que dirigiam a obra e davam ordens ao povo que a executava. 17O rei mandou que trouxessem pedras grandes, pedras preciosas e pedras lavradas para os alicerces do templo. 18Os edificadores de Salomão, e os de Hirão, e os giblitas cortaram as pedras e prepararam a madeira e as pedras para edificar o templo.

Salomão edifica o templo

2Cr 3.1-9

61No ano quatrocentos e oitenta, depois que os filhos de Israel saíram do Egito, Salomão, no quarto ano do seu reinado sobre Israel, no mês de zive, que é o segundo mês, começou a edificar a Casa do Senhor. 2O templo que o rei Salomão edificou ao Senhor tinha vinte e sete metros de comprimento, nove de largura e treze e meio de altura. 3O pórtico à entrada do templo media nove metros no sentido da largura do Lugar Santo, contra quatro e meio de fundo. 4Para o templo, fez janelas de ripas fixas superpostas. 5Contra a parede do templo, tanto do santuário como do Santo dos Santos, edificou andares ao redor e fez câmaras laterais ao redor. 6O andar de baixo tinha dois metros e vinte e cinco de largura, o do meio, dois metros e setenta, e o terceiro, três metros e dez. Pela parte de fora do templo ele fez reentrâncias para que as vigas não fossem introduzidas nas paredes.

7O templo foi construído com pedras já preparadas nas pedreiras, de maneira que, durante a construção, não se ouviu nenhum barulho de martelo, machado ou qualquer outro instrumento de ferro. 8A porta da câmara do andar térreo ficava no lado sul do templo, e por uma escada se subia ao segundo andar e, deste, ao terceiro. 9Assim Salomão construiu o templo e o rematou, cobrindo-o com um tabuado de cedro. 10Os andares que edificou em volta do templo tinham dois metros e vinte e cinco de altura cada um, e estavam ligados ao templo por meio de vigas de cedro.

11Então a palavra do Senhor veio a Salomão, dizendo:

12— Quanto a este templo que você está edificando, se você andar nos meus estatutos, e executar os meus juízos, e guardar todos os meus mandamentos, andando neles, cumprirei para com você a minha palavra, a qual falei a Davi, seu pai.

6.12
1Rs 2.4
13E habitarei no meio dos filhos de Israel e não abandonarei o meu povo.
6.13
Dt 31.6

O Santo dos Santos

14Assim Salomão construiu o templo e o rematou. 15Também revestiu as paredes do templo por dentro com tábuas de cedro. Desde o soalho até o teto, cobriu as paredes com madeira por dentro; e cobriu o piso do templo com tábuas de cipreste. 16Revestiu também os nove metros dos fundos do templo com tábuas de cedro, desde o chão até o teto; e esse interior ele constituiu em santuário, a saber, o Santo dos Santos.

6.16
Êx 26.33-34
17O Santo Lugar do templo media dezoito metros de comprimento. 18O cedro do templo por dentro era enfeitado com entalhes de frutos e flores abertas. Tudo era cedro; não se via nenhuma pedra. 19No mais interior do templo, preparou o Santo dos Santos para nele colocar a arca da aliança do Senhor. 20O Santo dos Santos tinha nove metros de comprimento, nove de largura e nove de altura; cobriu-o de ouro puro. Cobriu também de ouro o altar de cedro. 21Por dentro, Salomão revestiu o templo de ouro puro; e fez passar correntes de ouro por dentro do Santo dos Santos, que também havia revestido de ouro. 22Assim revestiu de ouro todo o interior do templo, e também todo o altar
6.22
Êx 30.1-3
que estava diante do Santo dos Santos.

Os dois querubins

2Cr 3.10-13

23No Santo dos Santos, Salomão fez dois querubins

6.23
Êx 25.18-20
de madeira de oliveira, cada um com quatro metros e meio de altura. 24Cada asa de um querubim media dois metros e vinte e cinco. Portanto, de uma a outra extremidade de suas asas havia quatro metros e meio. 25Assim, o outro querubim também era de quatro metros e meio; ambos os querubins tinham a mesma medida e a mesma forma. 26A altura de um querubim era de quatro metros e meio; e essa era também a altura do outro. 27Ele pôs os querubins no mais interior do templo. Os querubins estavam de asas estendidas, de maneira que a asa de um tocava numa parede, e a asa do outro tocava na outra parede; e as suas asas no meio da sala tocavam uma na outra. 28E cobriu de ouro os querubins.

Ornamentação das paredes e das portas

29Em todas as paredes ao redor do templo, tanto na parte mais interior como na parte exterior, Salomão mandou esculpir entalhes de querubins, palmeiras e flores abertas. 30Também revestiu de ouro o soalho, tanto na parte mais interior do templo como na parte exterior. 31Para a entrada do Santo dos Santos, fez uma porta dupla de madeira de oliveira; a verga com as ombreiras formavam uma porta pentagonal. 32Assim, fabricou de madeira de oliveira duas portas e mandou esculpir nelas entalhes de querubins, de palmeiras e de flores abertas; a estas, como as palmeiras e os querubins, revestiu de ouro. 33Para a entrada do Santo Lugar, fez batentes de madeira de oliveira; entrada quadrilateral, 34cujas duas portas eram de madeira de cipreste; e as duas tábuas de cada porta eram dobradiças. 35E mandou esculpir nelas entalhes de querubins, de palmeiras e de flores abertas e revestiu esses entalhes de ouro.

36Também edificou o átrio interior de três ordens de pedras cortadas e de uma ordem de vigas de cedro.

37No quarto ano, no mês de zive, foi lançado o fundamento da Casa do Senhor. 38E, no décimo primeiro ano, no mês de bul, que é o oitavo mês, o templo foi concluído com todas as suas dependências, tal como devia ser. Salomão levou sete anos para edificá-lo.