Nova Almeida Atualizada (2017) (NAA)
15

O reinado de Abias, de Judá

2Cr 13.1-22

151No décimo oitavo ano do reinado de Jeroboão, filho de Nebate, Abias começou a reinar sobre Judá. 2Ele reinou três anos em Jerusalém. A mãe dele se chamava Maaca e era filha de Absalão. 3Abias andou em todos os pecados que seu pai havia cometido antes dele, e o seu coração não foi fiel ao Senhor, seu Deus, como havia sido fiel o coração de Davi, seu pai. 4Mas, por amor a Davi, o Senhor, seu Deus, lhe deu uma lâmpada15.4 Forma figurada de falar sobre a preservação da dinastia em Jerusalém,

15.4
1Rs 11.36
levantando seu filho depois dele e dando estabilidade a Jerusalém. 5Porque Davi fez o que era reto aos olhos do Senhor e não se desviou em nada daquilo que o Senhor lhe havia ordenado, em todos os dias da sua vida, a não ser no caso de Urias, o heteu.
15.5
2Sm 11.1-27
6Roboão e Jeroboão estiveram sempre em guerra.

7Quanto aos demais atos de Abias e a tudo o que fez, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Judá? Também houve guerra entre Abias e Jeroboão. 8Abias morreu, e eles o sepultaram na Cidade de Davi. E Asa, seu filho, reinou em seu lugar.

O reinado de Asa, de Judá

2Cr 14.1-8; 15.16—16.14

9No vigésimo ano do reinado de Jeroboão, rei de Israel, Asa começou a reinar sobre Judá. 10Ele reinou quarenta e um anos em Jerusalém. A mãe dele se chamava Maaca, e era filha de Absalão. 11Asa fez o que era reto aos olhos do Senhor, como Davi, seu pai. 12Porque tirou da terra os prostitutos cultuais e removeu todos os ídolos que seus pais fizeram. 13Ele depôs também Maaca, sua mãe, da dignidade de rainha-mãe, porque ela havia feito uma abominável imagem para servir de poste da deusa Aserá. O rei Asa destruiu essa imagem e a queimou no vale do Cedrom. 14Os lugares altos, porém, não foram destruídos. No entanto, o coração de Asa foi fiel ao Senhor durante toda a sua vida. 15Ele trouxe à Casa do Senhor as coisas consagradas por seu pai e as coisas que ele mesmo havia consagrado: prata, ouro e utensílios.

16Asa e Baasa, rei de Israel, estiveram sempre em guerra. 17Porque Baasa, rei de Israel, invadiu Judá e começou a edificar a cidade de Ramá, para impedir a entrada e a saída do território de Asa, rei de Judá. 18Então Asa pegou toda a prata e ouro restantes nos tesouros da Casa do Senhor e os tesouros do palácio real e os entregou aos seus servos. E o rei Asa os enviou a Ben-Hadade, filho de Tabrimom, filho de Heziom, rei da Síria, que morava em Damasco, dizendo:

19— Que haja uma aliança entre mim e você, como houve entre o meu pai e o seu pai. Eis que estou lhe enviando um presente, prata e ouro. Vá e anule a sua aliança com Baasa, rei de Israel, para que ele se retire do meu território.

20Ben-Hadade deu ouvidos ao rei Asa e enviou os capitães dos seus exércitos contra as cidades de Israel. Eles conquistaram Ijom, Dã, Abel-Bete-Maaca e toda a região de Quinerete, com toda a terra de Naftali. 21Quando Baasa soube disso, deixou de edificar Ramá e ficou em Tirza.

22Então o rei Asa fez apregoar por toda a região de Judá que todos, sem exceção, deviam ajudar a trazer de Ramá as pedras e a madeira que Baasa havia usado para edificá-la. Com elas o rei Asa edificou Geba de Benjamim e Mispa.

23Quanto aos demais atos de Asa, a todo o seu poder, a tudo o que fez e às cidades que edificou, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Judá? Porém, no tempo da sua velhice, foi atacado por uma doença nos pés. 24Asa morreu e foi sepultado na Cidade de Davi, seu pai. E Josafá, seu filho, reinou em seu lugar.

O reinado de Nadabe, de Israel

25Nadabe, filho de Jeroboão, começou a reinar sobre Israel no segundo ano do reinado de Asa, rei de Judá, e reinou sobre Israel dois anos. 26Fez o que era mau aos olhos do Senhor e andou nos caminhos de seu pai e no pecado que seu pai levou Israel a cometer.

27Baasa, filho de Aías, da casa de Issacar, conspirou contra ele e o matou em Gibetom, que era dos filisteus, quando Nadabe e todo o Israel cercavam Gibetom. 28No terceiro ano do reinado de Asa, rei de Judá, Baasa matou Nadabe e passou a reinar em seu lugar. 29Logo que começou a reinar, matou toda a descendência de Jeroboão. Não deixou ninguém com vida; exterminou todos, segundo a palavra do Senhor, anunciada por meio do seu servo Aías, de Siló,

15.29
1Rs 14.9-16
30por causa dos pecados que Jeroboão havia cometido e pelos que havia levado Israel a cometer, por causa da provocação com que havia irritado o Senhor, Deus de Israel.

31Quanto aos demais atos de Nadabe e a tudo o que fez, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Israel? 32Asa e Baasa, rei de Israel, estiveram sempre em guerra.

O reinado de Baasa, de Israel

33No terceiro ano do reinado de Asa, rei de Judá, Baasa, filho de Aías, começou a reinar sobre todo o Israel, em Tirza, e reinou vinte e quatro anos. 34Fez o que era mau aos olhos do Senhor e andou no caminho de Jeroboão e no seu pecado, o qual havia feito Israel cometer.

16

A profecia de Jeú contra Baasa

161Então a palavra do Senhor veio a Jeú, filho de Hanani, contra Baasa, dizendo:

2— Eu o levantei do pó e fiz com que você se tornasse chefe sobre o meu povo de Israel, mas você tem andado no caminho de Jeroboão e tem feito o meu povo de Israel pecar, irritando-me com os seus pecados. 3Por isso, Baasa, vou exterminar você e os seus descendentes e vou fazer com a sua casa o que fiz com a casa de Jeroboão, filho de Nebate.

16.3
1Rs 15.29
4Se alguém da casa de Baasa morrer na cidade, os cães o comerão; e se alguém morrer no campo, as aves do céu o comerão.
16.4
1Rs 14.11

5Quanto aos demais atos de Baasa, ao que fez e ao seu poder, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Israel? 6Baasa morreu e foi sepultado em Tirza. E Elá, seu filho, reinou em seu lugar.

7Assim, por meio do profeta Jeú, filho de Hanani, a palavra do Senhor veio contra Baasa e contra a sua descendência, por todo o mal que ele havia feito aos olhos do Senhor, irritando-o com as suas obras e fazendo-se igual à casa de Jeroboão, e também porque matou a casa de Jeroboão.

O reinado de Elá, de Israel. A conspiração de Zinri

8No vigésimo sexto ano do reinado de Asa, rei de Judá, Elá, filho de Baasa, começou a reinar sobre Israel em Tirza; e reinou dois anos. 9Zinri, seu servo, comandante da metade dos carros de guerra, conspirou contra ele. Elá estava em Tirza, bebendo e embriagando-se na casa de Arsa, seu encarregado em Tirza. 10Zinri entrou na casa, atacou Elá e o matou, no vigésimo sétimo ano do reinado de Asa, rei de Judá. E Zinri reinou em lugar de Elá.

11Logo que começou a reinar e se assentou no trono, Zinri matou todos os descendentes de Baasa; não lhe deixou nenhum do sexo masculino, nem dos parentes, nem dos seus amigos. 12Assim, Zinri exterminou todos os descendentes de Baasa, segundo a palavra do Senhor, anunciada por meio do profeta Jeú, contra Baasa,

16.12
1Rs 16.3
13por todos os pecados que Baasa e o seu filho Elá cometeram, e pelos pecados que fizeram Israel cometer, irritando o Senhor, Deus de Israel, com os seus ídolos.

14Quanto aos demais atos de Elá e a tudo o que ele fez, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Israel?

O reinado de Zinri, de Israel

15No vigésimo sétimo ano do reinado de Asa, rei de Judá, Zinri reinou sete dias em Tirza. O povo estava acampado contra Gibetom, cidade que pertencia aos filisteus. 16O povo que estava acampado ouviu dizer: “Zinri conspirou contra o rei e o matou.” Por isso, naquele mesmo dia, no arraial, todo o Israel constituiu rei sobre Israel a Onri, comandante do exército. 17Onri saiu de Gibetom, estando todo o Israel com ele, e sitiou Tirza. 18Quando Zinri viu que a cidade havia sido tomada, foi para a fortaleza do palácio real, pôs fogo no palácio ao redor de si e ali morreu. 19Isso aconteceu por causa dos pecados que havia cometido, fazendo o que era mau aos olhos do Senhor, andando no caminho de Jeroboão e no pecado que havia cometido, e fazendo Israel pecar.

20Quanto aos demais atos de Zinri e à conspiração que fez, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Israel?

O reinado de Onri, de Israel

21Então o povo de Israel se dividiu em dois partidos: metade do povo seguia Tibni, filho de Ginate, para o fazer rei, e a outra metade seguia Onri. 22Mas o povo que seguia Onri prevaleceu contra o que seguia Tibni, filho de Ginate. Tibni morreu, e Onri passou a reinar. 23No trigésimo primeiro ano do reinado de Asa, rei de Judá, Onri começou a reinar sobre Israel e reinou doze anos. Em Tirza, reinou seis anos. 24De Semer ele comprou o monte de Samaria por sessenta e oito quilos de prata e o fortificou. E à cidade que edificou sobre o monte chamou de Samaria, nome oriundo de Semer, dono do monte.

25Onri fez o que era mau aos olhos do Senhor; fez pior do que todos os reis que vieram antes dele. 26Andou em todos os caminhos de Jeroboão, filho de Nebate, bem como nos pecados que este levou Israel a cometer, irritando o Senhor, Deus de Israel, com os seus ídolos.

27Quanto aos demais atos de Onri, ao que fez e ao poder que manifestou, não está tudo escrito no Livro da História dos Reis de Israel? 28Onri morreu e foi sepultado em Samaria. E Acabe, seu filho, reinou em seu lugar.

O reinado de Acabe, de Israel. Seu casamento com Jezabel

29Acabe, filho de Onri, começou a reinar sobre Israel no trigésimo oitavo ano do reinado de Asa, rei de Judá. E Acabe, filho de Onri, reinou sobre Israel, em Samaria, vinte e dois anos. 30Acabe, filho de Onri, fez o que era mau aos olhos do Senhor, mais do que todos os reis que vieram antes dele. 31Como se fosse pouca coisa andar nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, Acabe foi mais longe e tomou por mulher Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios; e foi, serviu Baal e o adorou. 32Levantou um altar a Baal, no templo de Baal que tinha edificado em Samaria. 33Acabe fez também um poste da deusa Aserá, de maneira que cometeu mais abominações para irritar o Senhor, Deus de Israel, do que todos os reis de Israel que vieram antes dele.

34Em seus dias, Hiel, o betelita, edificou Jericó. Quando ele lançou os alicerces da cidade, morreu Abirão, seu filho primogênito; e, quando colocou os portões, morreu Segube, seu filho mais novo, segundo a palavra do Senhor, anunciada por meio de Josué,

16.34
Js 6.26
filho de Num.

17

Elias prediz grande seca e é sustentado por corvos

171Então Elias,

17.1
Tg 5.17
o tesbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe:

— Tão certo como vive o Senhor, Deus de Israel, a quem eu sirvo, não haverá orvalho nem chuva nos próximos anos, a não ser quando eu disser.

2Então a palavra do Senhor veio a Elias, dizendo:

3— Saia daqui, vá para o leste e esconda-se junto ao ribeiro de Querite, nas imediações do Jordão. 4Você beberá a água do ribeiro; e eu ordenei aos corvos que sustentem você naquele lugar.

5Elias foi e fez segundo a palavra do Senhor. Retirou-se e ficou morando junto ao ribeiro de Querite, nas imediações do Jordão. 6Os corvos lhe traziam pão e carne pela manhã, bem como pão e carne ao anoitecer; e ele bebia a água do ribeiro. 7Mas, passados alguns dias, o ribeiro secou, porque não chovia sobre a terra.

Elias e a viúva de Sarepta

8Então a palavra do Senhor veio a Elias, dizendo:

9— Levante-se e vá a Sarepta, que pertence a Sidom, e fique por lá. Ali ordenei a uma viúva

17.9
Lc 4.25-26
que dê comida para você.

10Então ele se levantou e foi a Sarepta. Chegando ao portão da cidade, encontrou uma viúva que estava apanhando lenha. Ele a chamou e lhe disse:

— Por favor, traga-me um pouco de água numa vasilha para que eu possa beber.

11Quando ela já estava indo buscar a água, Elias a chamou e lhe disse:

— Traga-me também um bocado de pão, por favor.

12Porém ela respondeu:

— Tão certo como vive o Senhor, seu Deus, não tenho nenhum pão assado. Tenho apenas um punhado de farinha numa panela e um pouco de azeite num jarro. E, como você pode ver, apanhei dois pedaços de lenha e vou preparar esse resto de comida para mim e para o meu filho. Vamos comer e depois morreremos de fome.

13Elias disse a ela:

— Não tenha medo. Vá e faça o que você disse. Mas primeiro faça um pãozinho com o que você tem e traga-o para mim. Depois, prepare o resto para você e para o seu filho. 14Porque assim diz o Senhor, Deus de Israel: “A farinha da panela não acabará, e o azeite do jarro não faltará, até o dia em que o Senhor fizer chover sobre a terra.”

15A viúva foi e fez segundo a palavra de Elias. Assim, comeram ele, ela e a sua casa durante muitos dias. 16A farinha da panela não acabou, e o azeite do jarro não faltou, segundo a palavra do Senhor, anunciada por meio de Elias.

17Depois disto, o filho da mulher, dona da casa, adoeceu. E a doença dele se agravou tanto, que ele morreu. 18Então a mulher disse a Elias:

— O que foi que eu fiz a você, homem de Deus? Você veio aqui para trazer à memória a minha iniquidade e matar o meu filho?

19Elias respondeu:

— Dê-me o seu filho.

Ele o tomou dos braços dela e o levou para cima, ao quarto, onde ele mesmo se hospedava, e o deitou em sua cama. 20Então clamou ao Senhor e disse:

— Ó Senhor, meu Deus, por que afligiste também esta viúva, com quem me hospedo, matando o filho dela?

21E, estendendo-se três vezes sobre o menino, clamou ao Senhor e disse:

— Ó Senhor, meu Deus, peço-te que restituas a vida a este menino!

22O Senhor atendeu à voz de Elias, a vida foi restituída ao menino, e ele reviveu. 23Elias tomou o menino e o levou do quarto até a casa; entregou-o à mãe dele e disse:

— Veja! O seu filho está vivo.

24Então a mulher disse a Elias:

— Agora eu sei que você é um homem de Deus e que a palavra do Senhor na sua boca é verdade.