Almeida Revista e Corrigida (2009) (ARC)
17

A queda de Babilônia: A visão da grande prostituta assentada sobre a besta

171E veio um dos sete anjos

17.1
Ap 14.1
16.19
18.3,16,19
21.9
Na 3.4
Jr 51.13
que tinham as sete taças e falou comigo, dizendo-me: Vem, mostrar-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada sobre muitas águas, 2com a qual se prostituíram os reis da terra;
17.2
Jr 51.7
e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho da sua prostituição. 3E levou-me em espírito a um deserto,
17.3
Ap 12.6,14
12.3
13.1
17.9,12
e vi uma mulher assentada sobre uma besta de cor escarlate, que estava cheia de nomes de blasfêmia e tinha sete cabeças e dez chifres. 4E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata,
17.4
Ap 18.12,16
14.8
Dn 11.38
Jr 51.7
adornada com ouro, e pedras preciosas, e pérolas, e tinha na mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição. 5E, na sua testa, estava escrito o nome: Mistério,
17.5
2Ts 2.7
Ap 11.8
14.8
16.19
18.2,10,21
19.2
a Grande Babilônia, a Mãe das Prostituições e Abominações da Terra. 6E vi que a mulher
17.6
Ap 18.24
13.15
16.6
6.9-10
12.11
estava embriagada do sangue dos santos e do sangue das testemunhas de Jesus. E, vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração. 7E o anjo me disse: Por que te admiras? Eu te direi o mistério da mulher e da besta que a traz, a qual tem sete cabeças e dez chifres. 8A besta que viste foi e não é, e há de subir do abismo,
17.8
Ap 11.7
13.1,3,8,10
e irá à perdição. E os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão vendo a besta que era e não é, mas que virá. 9Aqui há sentido, que tem sabedoria.
17.9
Ap 13.1,18
As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada. 10E são também sete reis: cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo. 11E a besta, que era e não é, é ela também o oitavo, e é dos sete,
17.11
Ap 17.8
e vai à perdição. 12E os dez chifres
17.12
Dn 7.20
Zc 1.18-19,21
Ap 13.1
que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão o poder como reis por uma hora, juntamente com a besta. 13Estes têm um mesmo intento e entregarão o seu poder e autoridade à besta. 14Estes combaterão
17.14
Ap 14.4
16.14
19.16,19
Dt 10.17
1Tm 6.15
Jr 50.44-45
contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão os que estão com ele, chamados, eleitos e fiéis. 15E disse-me:
17.15
Ap 17.1
13.7
Is 8.7
As águas que viste, onde se assenta a prostituta, são povos, e multidões, e nações, e línguas. 16E os dez chifres que viste na besta
17.16
Jr 50.41-42
Ap 16.12
18.8,16
Ez 16.37,44
são os que aborrecerão a prostituta, e a porão desolada e nua, e comerão a sua carne, e a queimarão no fogo. 17Porque Deus tem posto em seu coração
17.17
2Ts 2.11
Ap 10.7
que cumpram o seu intento, e tenham uma mesma ideia, e que deem à besta o seu reino, até que se cumpram as palavras de Deus. 18E a mulher que viste é a grande cidade
17.18
Ap 16.19
12.4
que reina sobre os reis da terra.

18

A queda de Babilônia: Lamentações sobre a terra

181E, depois destas

18.1
Ap 17.1
Ez 43.2
coisas, vi descer do céu outro anjo, que tinha grande poder, e a terra foi iluminada com a sua glória. 2E clamou fortemente com grande voz, dizendo: Caiu! Caiu a grande Babilônia
18.2
Is 13.19,21
14.23
21.8
34.11,14
Jr 51.8
Ap 14.8
Jr 50.39
51.37
Mc 5.2-3
e se tornou morada de demônios, e abrigo de todo espírito imundo, e refúgio de toda ave imunda e aborrecível! 3Porque todas as nações
18.3
Ap 14.8
17.2
18.11,15
Is 47.15
beberam do vinho da ira da sua prostituição. Os reis da terra se prostituíram com ela. E os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias.

4E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela,

18.4
Is 48.20
52.11
Jr 50.8
51.6,45
2Cr 6.17
povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados e para que não incorras nas suas pragas. 5Porque os seus pecados se acumularam até ao céu,
18.5
Gn 18.20-21
Jr 51.9
Jn 1.2
Ap 16.19
e Deus se lembrou das iniquidades dela. 6Tornai-lhe a dar como ela vos tem dado
18.6
Sl 137.8
Jr 50.15,29
51.24,49
2Tm 4.14
Ap 13.10
14.10
16.19
e retribuí-lhe em dobro conforme as suas obras; no cálice em que vos deu de beber, dai-lhe a ela em dobro. 7Quanto ela se glorificou
18.7
Ez 28.2
Is 47.7-8
Sf 2.15
e em delícias esteve, foi-lhe outro tanto de tormento e pranto, porque diz em seu coração: Estou assentada como rainha, não sou viúva e não verei o pranto. 8Portanto, num dia virão as suas pragas:
18.8
Is 47.9
Ap 11.17
17.16
Jr 50.34
a morte, e o pranto, e a fome; e será queimada no fogo, porque é forte o Senhor Deus, que a julga.

9E os reis da terra,

18.9
Ez 26.16-17
Ap 17.2
18.18
19.3
Jr 50.46
que se prostituíram com ela e viveram em delícias, a chorarão e sobre ela prantearão, quando virem a fumaça do seu incêndio. 10Estarão de longe pelo temor do seu tormento, dizendo: Ai!
18.10
Is 21.9
Ap 14.8
18.17,19
Ai daquela grande Babilônia, aquela forte cidade! Pois numa hora veio o seu juízo. 11E sobre ela choram e lamentam os mercadores
18.11
Ez 27.27,36
Ap 18.3
da terra, porque ninguém mais compra as suas mercadorias: 12mercadorias de ouro,
18.12
Ap 17.4
e de prata, e de pedras preciosas, e de pérolas, e de linho fino, e de púrpura, e de seda, e de escarlata; e toda madeira odorífera, e todo vaso de marfim, e todo vaso de madeira preciosíssima, de bronze e de ferro, e de mármore; 13e cinamomo, e cardamomo, e perfume, e mirra, e incenso, e vinho, e azeite, e flor de farinha, e trigo, e cavalgaduras, e ovelhas; e mercadorias de cavalos, e de carros, e de corpos
18.13
Ez 27.13
e de almas de homens. 14E o fruto do desejo da tua alma foi-se de ti, e todas as coisas gostosas e excelentes se foram de ti, e não mais as acharás. 15Os mercadores
18.15
Ap 18.3,11
destas coisas, que com elas se enriqueceram, estarão de longe, pelo temor do seu tormento, chorando, e lamentando, 16e dizendo: Ai! Ai daquela grande cidade,
18.16
Ap 17.4
que estava vestida de linho fino, de púrpura, de escarlata, adornada com ouro e pedras preciosas e pérolas!
18.16
Ap 18.10
Is 23.14
Ez 27.29
Porque numa hora foram assoladas tantas riquezas. 17E todo piloto, e todo o que navega em naus, e todo marinheiro, e todos os que negociam no mar se puseram de longe. 18E, vendo a fumaça do seu incêndio, clamaram,
18.18
Ez 27.30-31
Ap 13.4
dizendo: Que cidade é semelhante a esta grande cidade? 19E lançaram pó sobre a cabeça
18.19
Js 7.6
1Sm 4.12
Jó 2.12
Ez 27.30
Ap 18.8
e clamaram, chorando, e lamentando, e dizendo: Ai! Ai daquela grande cidade, na qual todos os que tinham naus no mar se enriqueceram em razão da sua opulência! Porque numa hora foi assolada. 20Alegra-te sobre
18.20
Is 44.23
49.13
Jr 51.48
Lc 11.49-50
Ap 19.2
ela, ó céu, e vós, santos apóstolos e profetas, porque Deus julgou a vossa causa quanto a ela.

21E um forte anjo levantou uma pedra como uma grande mó e lançou-a no mar, dizendo:

18.21
Jr 51.64
Ap 12.8
16.20
Com igual ímpeto será lançada Babilônia, aquela grande cidade, e não será jamais achada. 22E em ti não se ouvirá mais
18.22
Is 24.8
Jr 7.34
16.9
25.10
Ez 26.13
a voz de harpistas, e de músicos, e de flauteiros, e de trombeteiros, e nenhum artífice de arte alguma se achará mais em ti; e ruído de mó em ti se não ouvirá mais; 23e luz de candeia não mais luzirá em ti,
18.23
Jr 7.34
16.9
25.10
33.11
Is 23.8
2Rs 9.22
Na 3.4
Ap 17.2,5
e voz de esposo e de esposa não mais em ti se ouvirá; porque os teus mercadores eram os grandes da terra; porque todas as nações foram enganadas pelas tuas feitiçarias. 24E nela se achou
18.24
Ap 17.6
Jr 51.49
o sangue dos profetas, e dos santos, e de todos os que foram mortos na terra.

19

A queda de Babilônia: Alegria e triunfo nos céus

191E, depois destas coisas, ouvi no céu como que uma grande voz de uma grande multidão, que dizia: Aleluia!

19.1
Ap 11.15
4.11
7.10,12
12.10
Salvação, e glória, e honra, e poder pertencem ao Senhor, nosso Deus, 2porque verdadeiros e justos são os seus juízos,
19.2
Ap 15.3
16.10
18.20
Dt 32.43
pois julgou a grande prostituta, que havia corrompido a terra com a sua prostituição, e das mãos dela vingou o sangue dos seus servos. 3E outra vez disseram: Aleluia!
19.3
Is 34.10
Ap 14.11
18.9,18
E a fumaça dela sobe para todo o sempre. 4E os vinte e quatro
19.4
Ap 4.4,6
5.14
1Cr 16.36
Ne 5.13
8.6
anciãos e os quatro 19.4 ou criaturas viventesanimais prostraram-se e adoraram a Deus, assentado no trono, dizendo: Amém! Aleluia! 5E saiu uma voz do trono, que dizia:
19.5
Sl 134.1
135.1
Ap 11.18
20.12
Louvai o nosso Deus, vós, todos os seus servos, e vós que o temeis, tanto pequenos como grandes. 6E ouvi como que
19.6
Ez 1.24
43.2
Ap 14.2
11.15
12.10
21.22
a voz de uma grande multidão, e como que a voz de muitas águas, e como que a voz de grandes trovões, que dizia: Aleluia! Pois o Senhor, Deus Todo-Poderoso, reina. 7Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória,
19.7
Mt 22.2
25.10
2Co 11.2
Ef 5.32
Ap 21.2,9
porque vindas são as bodas do Cordeiro, e a sua esposa se aprontou. 8E foi-lhe dado
19.8
Sl 45.14-15
132.9
Ez 16.10
Ap 3.18
que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos.

9E disse-me: Escreve:

19.9
Mt 22.2-3
Lc 14.15-16
Ap 21.5
22.6
Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus. 10E eu lancei-me a seus pés para o adorar,
19.10
At 10.28
14.14-15
Ap 22.8-9
12.17
1Jo 5.10
mas ele disse-me: Olha, não faças tal; sou teu conservo e de teus irmãos que têm o testemunho de Jesus; adora a Deus; porque o testemunho de Jesus é o espírito de profecia.

Vitórias de Cristo sobre a besta e sobre o falso profeta

11E vi o céu aberto,

19.11
Ap 15.5
6.2
3.14
11.4
e eis um cavalo branco. O que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça. 12E os seus olhos eram
19.12
Ap 1.14
6.2
2.17
como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito que ninguém sabia, senão ele mesmo. 13E estava vestido de uma
19.13
Is 63.2-3
Jo 1.1
1Jo 5.7
veste salpicada de sangue, e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus. 14E seguiam-no os exércitos que há no céu em cavalos brancos
19.14
Ap 4.4
14.20
Mt 28.3
Is 11.4
e vestidos de linho fino, branco e puro. 15E
19.15
Ap 1.16
2.27
12.5
14.19-20
19.21
Sl 2.9
Is 63.3
da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as 19.15 Gr. apascentaráregerá com vara de ferro e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso. 16E na veste
19.16
Ap 19.12
17.14
Dn 2.47
1Tm 6.15
e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos Reis e Senhor dos Senhores.

17E vi um anjo que estava no sol, e clamou com grande voz,

19.17
Ap 19.21
Ez 39.17
dizendo a todas as aves que voavam pelo meio do céu: Vinde e ajuntai-vos à ceia do grande Deus, 18para que comais
19.18
Ez 39.18,20
a carne dos reis, e a carne dos tribunos, e a carne dos fortes, e a carne dos cavalos e dos que sobre eles se assentam, e a carne de todos os homens, livres e servos, pequenos e grandes.

19E vi a besta,

19.19
Ap 16.16
17.13-14
e os reis da terra, e os seus exércitos reunidos, para fazerem guerra àquele que estava assentado sobre o cavalo e ao seu exército. 20E a besta foi presa
19.20
Ap 16.13-14
13.12,15
20.10
14.10
Dn 7.11
e, com ela, o falso profeta, que, diante dela, fizera os sinais com que enganou os que receberam o sinal da besta e adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no ardente lago de fogo e de enxofre. 21E os demais foram mortos
19.21
Ap 19.15,17-18
17.16
com a espada que saía da boca do que estava assentado sobre o cavalo, e todas as aves se fartaram das suas carnes.