Almeida Revista e Corrigida (2009) (ARC)
55

Davi queixa-se da malícia dos seus inimigos, persevera em oração e lança a sua carga sobre o Senhor

Masquil de Davi para o cantor-mor, sobre Neguinote

551Inclina, ó Deus, os teus ouvidos à minha oração e não te escondas da minha súplica. 2Atende-me e ouve-me; lamento-me e

55.2
Is 38.14
rujo, 3por causa do clamor do inimigo e da opressão do ímpio; pois lançam sobre mim iniquidade e com furor me aborrecem. 4O meu coração está dorido dentro de mim, e terrores de morte sobre mim caíram. 5Temor e tremor me sobrevêm; e o horror me cobriu. 6Pelo que disse: Ah! Quem me dera asas como de pomba! Voaria e estaria em descanso. 7Eis que fugiria para longe e pernoitaria no deserto. (Selá) 8Apressar-me-ia a escapar da fúria do vento e da tempestade.

955.9 Hebr. Devora-osDespedaça,

55.9
Jr 6.7
Senhor, e divide a sua língua, pois tenho visto violência e contenda na cidade. 10De dia e de noite andam ao redor dela, sobre os seus muros; iniquidade e malícia estão no meio dela. 11Maldade lá dentro; astúcia e engano não se apartam das suas ruas.

12Pois não era um inimigo que me afrontava; então, eu o teria suportado; nem era o que me aborrecia que se engrandecia contra mim, porque dele me teria escondido, 13mas eras tu, homem meu igual, meu guia e meu íntimo amigo. 14Praticávamos juntos suavemente,

55.14
Sl 42.5
e íamos com a multidão à Casa de Deus. 15A morte os assalte, e vivos 55.15 Hebr. desçam ao Sheolos engula a terra; porque maldade nas suas habitações e no seu próprio interior.

16Mas eu invocarei a Deus, e o Senhor me salvará. 17De tarde,

55.17
Dn 6.10
Lc 18.1
e de manhã, e ao meio-dia, orarei; e clamarei, e ele ouvirá a minha voz. 18Livrou em paz a minha alma da guerra que me moviam; pois eram muitos contra mim. 19Deus ouvirá; e os afligirá aquele que preside desde a antiguidade (Selá), porque não há neles nenhuma mudança, e tampouco temem a Deus. 20
55.20
At 12.1
Puseram suas mãos nos que tinham paz com ele; romperam a sua aliança. 21A sua boca era mais macia do que a manteiga, mas no seu coração, guerra; as suas palavras eram mais brandas do que o azeite; todavia, eram espadas nuas.

22Lança

55.22
Mt 6.25
o teu cuidado sobre o Senhor, e ele te susterá; nunca permitirá que o justo seja abalado. 23Mas tu, ó Deus, os farás descer ao poço da perdição; homens de sangue e de fraude não viverão metade dos seus dias; mas eu em ti confiarei.

56

Davi roga a Deus que o livre dos seus inimigos e confia em que ele lho conceda

Mictão de Davi para o cantor-mor, sobre Jonate-Elém-Recoquim, quando os filisteus o prenderam em Gate

561Tem misericórdia de mim, ó Deus, porque o homem procura devorar-me; e me oprime, pelejando todo o dia. 2Os que me andam espiando procuram devorar-me todo o dia; pois são muitos os que pelejam contra mim, ó Altíssimo. 3No dia em que eu temer, hei de confiar em ti. 4Em Deus louvarei a sua palavra; em Deus pus a minha confiança e não temerei;

56.4
Is 31.3
Hb 13.6
que me pode fazer a carne? 5Todos os dias torcem as minhas palavras; todos os seus pensamentos são contra mim para o mal. 6Ajuntam-se, escondem-se, espiam os meus passos, como aguardando a minha morte. 7Porventura, escaparão eles por meio da sua iniquidade? Ó Deus, derriba os povos na tua ira!

8Tu contaste as minhas 56.8 ou peregrinaçõesvagueações;

56.8
Ml 3.16
põe as minhas lágrimas no teu odre; não estão elas no teu livro? 9Quando eu a ti clamar, então, retrocederão os meus inimigos; isto sei eu, porque Deus está comigo. 10Em Deus louvarei a sua palavra; no Senhor louvarei a sua palavra. 11Em Deus tenho posto a minha confiança; não temerei o que me possa fazer o homem.

12Os teus votos estão sobre mim, ó Deus; eu te renderei ações de graças; 13pois tu livraste a minha alma da morte, como também os meus pés de tropeçarem, para que eu ande diante de Deus na luz dos viventes.

57

Davi acha socorro contra os seus inimigos e louva a Deus

Mictão de Davi para o cantor-mor, sobre Al-Tachete, quando fugia de diante de Saul na caverna

571Tem misericórdia de mim, ó Deus, tem misericórdia de mim, porque a minha alma confia em ti; e à sombra das tuas asas me abrigo, até que passem

57.1
Is 26.20
as calamidades. 2Clamarei ao Deus Altíssimo, ao Deus que por mim tudo executa. 3Ele dos céus enviará seu auxílio e me salvará do desprezo daquele que procurava devorar-me (Selá). Deus enviará a sua misericórdia e a sua verdade.

4A minha alma está entre leões, e eu estou entre aqueles que estão abrasados, filhos dos homens, cujos dentes são lanças e flechas, e cuja língua é espada afiada.

5Sê exaltado, ó Deus, sobre os céus; seja a tua glória sobre toda a terra.

6Armaram uma rede aos meus passos, e a minha alma ficou abatida; cavaram uma cova diante de mim, mas foram eles que nela caíram. (Selá)

7Preparado está o meu coração, ó Deus, preparado está o meu coração; cantarei e salmodiarei. 8Desperta, glória minha! Desperta, alaúde e harpa! Eu mesmo despertarei ao romper da alva. 9Louvar-te-ei, Senhor, entre os povos; cantar-te-ei entre as nações. 10Pois a tua misericórdia é grande até aos céus, e a tua verdade até às nuvens.

11Sê exaltado, ó Deus, sobre os céus; e seja a tua glória sobre toda a terra.