Almeida Revista e Corrigida (2009) (ARC)
125

A segurança daquele que confia em Deus

125, título ou Cântico gradualCântico dos degraus

1251Os que confiam no Senhor serão como o monte Sião, que não se abala, mas permanece para sempre. 2Como estão os montes à roda de Jerusalém, assim o Senhor está em volta do seu povo, desde agora e para sempre. 3Porque o cetro da impiedade não permanecerá

125.3
Is 14.5
sobre a sorte dos justos, para que o justo não estenda as mãos à iniquidade.

4Faze bem, ó Senhor, aos bons e aos que são retos de coração. 5Quanto àqueles que se desviam para os seus caminhos tortuosos, levá-los-á o Senhor com os que praticam

125.5
Gl 6.16
a maldade; paz haverá sobre Israel.

126

Deus é louvado porque retirou do cativeiro o seu povo

126, título ou Cântico gradualCântico dos degraus

1261Quando o Senhor 126.1 Hebr. tornou o cativeiro de Siãotrouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, estávamos como os que sonham. 2Então, a nossa boca se encheu de riso, e a nossa língua, de cânticos; então, se dizia entre as nações: Grandes coisas fez o Senhor a estes. 3Grandes coisas fez o Senhor por nós, e, por isso, estamos alegres.

4Faze-nos regressar outra vez do cativeiro, Senhor, como as correntes do Sul. 5Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria. 6Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.

127

Segurança, prosperidade e fecundidade vêm somente de Deus

127, título ou Cântico gradualCântico dos degraus, de Salomão

1271Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. 2Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono.

3Eis que

127.3
Gn 33.5
48.4
Dt 28.4
Js 24.3-4
os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre, o seu galardão. 4Como flechas na mão do valente, assim são os filhos da mocidade. 5Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, quando falarem com os seus inimigos à porta.