Almeida Revista e Corrigida (2009) (ARC)
7

O sacerdócio de Melquisedeque era figura do sacerdócio eterno de Cristo

71Porque este Melquisedeque, que era rei de

7.1
Gn 14.18
Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou; 2a quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça e depois também rei de Salém, que é rei de paz; 3sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas, sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre.

4Considerai, pois, quão grande era este,

7.4
Gn 14.20
a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos. 5E os que dentre os filhos
7.5
Nm 18.21,26
de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham descendido de Abraão. 6Mas aquele cuja genealogia não é contada entre eles tomou dízimos de Abraão
7.6
Gn 14.19
Rm 4.13
Gl 3.16
e abençoou o que tinha as promessas. 7Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior. 8E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem; ali, porém,
7.8
Hb 5.6
6.20
aquele de quem se testifica que vive. 9E, para assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos. 10Porque ainda ele estava nos lombos de seu pai, quando Melquisedeque lhe saiu ao encontro.

11De sorte que,

7.11
Gl 2.21
Hb 7.18-19
8.7
se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão? 12Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei. 13Porque aquele de quem essas coisas se dizem pertence a outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar, 14visto ser manifesto que
7.14
Is 11.1
Mt 1.3
Lc 3.33
nosso Senhor procedeu de Judá, e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio. 15E muito mais manifesto é ainda se, à semelhança de Melquisedeque, se levantar outro sacerdote, 16que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal, mas segundo a virtude da vida incorruptível. 17Porque dele assim se testifica: Tu és sacerdote eternamente,
7.17
Sl 110.4
Hb 5.6,10
segundo a ordem de Melquisedeque. 18Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza
7.18
Rm 8.3
Gl 4.9
e inutilidade 19(pois a lei
7.19
At 13.39
Rm 3.20-21,28
nenhuma coisa aperfeiçoou), e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus.

20E, visto como não é sem prestar juramento (porque certamente aqueles, sem juramento, foram feitos sacerdotes, 21mas este, com juramento, por aquele que lhe disse: Jurou o Senhor

7.21
Sl 110.4
e não se arrependerá: Tu és sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedeque.); 22de tanto melhor concerto Jesus
7.22
Hb 8.6
9.15
12.24
foi feito fiador.

23E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque, pela morte, foram impedidos de permanecer; 24mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo. 25Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus,

7.25
Rm 8.34
1Tm 2.5
1Jo 2.1
vivendo sempre para interceder por eles.

26Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente,

7.26
Ef 1.20
4.10
imaculado, separado dos pecadores e feito mais sublime do que os céus, 27que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios,
7.27
Lv 9.7
16.6,11,15
Rm 6.10
primeiramente, por seus próprios pecados e, depois, pelos do povo; porque isso fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo. 28Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens fracos,
7.28
Hb 2.10
5.9
mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, perfeito para sempre.

8

O antigo pacto era um símbolo transitório. Cristo é mediador de um pacto melhor e eterno

81Ora, a suma do que temos dito é que temos um sumo sacerdote tal, que está assentado nos céus à destra do trono

8.1
Ef 1.20
Cl 3.1
Hb 1.3
da Majestade, 2ministro do santuário
8.2
Hb 9.8,11-12,24
e do verdadeiro tabernáculo, o qual o Senhor fundou, e não o homem. 3Porque todo sumo sacerdote é constituído para
8.3
Hb 5.1
Ef 5.2
Hb 9.4
oferecer dons e sacrifícios; pelo que era necessário que este também tivesse alguma coisa que oferecer. 4Ora, se ele estivesse na terra, nem tampouco sacerdote seria, havendo ainda sacerdotes que oferecem dons segundo a lei, 5os quais servem de exemplar e sombra das coisas celestiais,
8.5
Cl 2.17
Nm 8.4
At 7.44
como Moisés divinamente foi avisado, estando para acabar o tabernáculo; porque foi dito: Olha, faze tudo conforme o modelo que, no monte, se te mostrou. 6Mas agora alcançou ele
8.6
2Co 3.6,8-9
ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de um melhor concerto, que está confirmado em melhores promessas. 7Porque, se aquele primeiro fora
8.7
Hb 7.11,18
irrepreensível, nunca se teria buscado lugar para o segundo. 8Porque, repreendendo-os, lhes diz:
8.8
Jr 31.31-34
Eis que virão dias, diz o Senhor, em que com a casa de Israel e com a casa de Judá estabelecerei um novo concerto, 9não segundo o concerto que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; como não permaneceram naquele meu concerto, eu para eles não atentei, diz o Senhor. 10Porque este é o concerto que, depois daqueles dias, farei
8.10
Hb 10.16
Zc 8.8
com a casa de Israel, diz o Senhor: porei as minhas leis no seu entendimento e em seu coração as escreverei; e eu lhes serei por Deus, e eles me serão por povo. 11E não ensinará cada um ao seu próximo,
8.11
Is 54.13
Jo 6.45
1Jo 2.27
nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece o Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles até ao maior. 12Porque serei misericordioso para com as suas iniquidades e de seus pecados
8.12
Rm 11.27
Hb 10.17
e de suas prevaricações não me lembrarei mais. 13Dizendo novo concerto,
8.13
2Co 5.17
envelheceu o primeiro. Ora, o que foi tornado velho e se envelhece perto está de acabar.

9

Os sacrifícios do santuário, por causa de suas imperfeições, deviam repetir-se, mas o de Cristo é único, porque é perfeito

91Ora, também o primeiro tinha ordenanças de culto divino

9.1
Êx 25.8
e um santuário terrestre. 2Porque um tabernáculo estava preparado,
9.2
Êx 26.1,35
25.23,30-31
Lv 24.5-6
o primeiro, em que havia o candeeiro, e a mesa, e os pães da proposição; ao que se chama o Santuário. 3Mas, depois do segundo véu,
9.3
Êx 26.31,33
estava o tabernáculo que se chama o Santo dos Santos, 4que tinha o incensário de ouro e a arca do concerto,
9.4
Êx 16.33-34
25.10
26.33
coberta de ouro toda em redor, em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas do concerto; 5e sobre a arca,
9.5
Êx 25.18,22
Lv 16.2
os querubins da glória, que faziam sombra no propiciatório; das quais coisas não falaremos agora particularmente.

6Ora, estando essas coisas assim preparadas, a todo o tempo entravam os sacerdotes no primeiro tabernáculo,

9.6
Nm 28.3
Dn 8.11
cumprindo os serviços; 7mas, no segundo, só o sumo sacerdote,
9.7
Êx 30.10
Hb 5.3
7.27
uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo; 8dando nisso a entender o Espírito Santo
9.8
Hb 10.19-20
Jo 14.6
que ainda o caminho do Santuário não estava 9.8 ou manifestodescoberto, enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo, 9que é uma 9.9 Gr. parábolaalegoria para o tempo presente, em que se oferecem dons e sacrifícios que, quanto à consciência,
9.9
Gl 3.21
Hb 7.18-19
não podem aperfeiçoar aquele que faz o serviço, 10consistindo somente em manjares,
9.10
Lv 11.2
Cl 2.16
Nm 19.7
e bebidas, e várias abluções e justificações da carne, impostas até ao tempo da 9.10 ou reformacorreção.

11Mas, vindo Cristo,

9.11
Hb 3.1
8.2
o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação, 12nem por sangue de bodes
9.12
At 20.28
Ef 1.7
Cl 1.14
e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção. 13Porque, se o sangue dos touros e bodes
9.13
Lv 16.14,16
Nm 19.2,17
e a cinza de uma novilha, esparzida sobre os imundos, os santificam, quanto à purificação da carne, 14quanto mais
9.14
1Pe 1.19
Jo 1.7
Ap 1.5
o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará a vossa consciência das obras mortas, para
9.14
Lc 1.74
Rm 6.13,22
1Pe 4.2
servirdes ao Deus vivo?

15E, por isso, é Mediador de um novo 9.15 ou pactotestamento,

9.15
1Tm 2.5
Rm 3.25
1Pe 3.18
para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna. 16Porque, onde há testamento, necessário é que intervenha a morte do testador. 17Porque um testamento
9.17
Gl 3.15
tem força onde houve morte; ou terá ele algum valor enquanto o testador vive? 18Pelo que também
9.18
Êx 24.6
o primeiro não foi consagrado sem sangue; 19porque, havendo Moisés anunciado a todo o povo todos os mandamentos segundo a lei,
9.19
Êx 24.5-6,8
Lv 14.4,6-7,49,51
tomou o sangue dos bezerros e dos bodes, com água, lã purpúrea e hissopo, e aspergiu tanto o mesmo livro como todo o povo, 20dizendo:
9.20
Êx 24.4
Mt 26.28
Este é o sangue do testamento que Deus vos tem mandado. 21E semelhantemente aspergiu com sangue
9.21
Êx 29.12,36
Lv 8.15,19
o tabernáculo e todos os vasos do ministério. 22E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue;
9.22
Lv 17.11
e sem derramamento de sangue não há remissão.

23De sorte que era bem necessário que as figuras

9.23
Hb 8.5
das coisas que estão no céu assim se purificassem; mas as próprias coisas celestiais, com sacrifícios melhores do que estes. 24Porque
9.24
Hb 6.20
Rm 8.33
1Jo 2.1
Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer, por nós, perante a face de Deus; 25nem também para a si mesmo se oferecer muitas vezes,
9.25
Hb 9.7
como o sumo sacerdote cada ano entra no Santuário com sangue alheio. 26Doutra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo;
9.26
1Pe 3.18
1Co 10.11
Gl 4.4
mas, agora, na consumação dos séculos, uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo. 27E, como aos homens está
9.27
Gn 3.19
Ec 3.20
2Co 5.10
ordenado morrerem uma vez, vindo, depois disso, o juízo, 28assim também Cristo,
9.28
Rm 6.10
1Pe 2.24
1Jo 3.5
oferecendo-se uma vez, para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para a salvação.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]