Almeida Revista e Corrigida (2009) (ARC)
1

Prefácio e saudação

11Pedro, apóstolo de Jesus Cristo, aos estrangeiros dispersos no Ponto,

1.1
Jo 7.35
At 2.5,9-10
Tg 1.1
Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia, 2eleitos segundo a presciência
1.2
Ef 1.4
Rm 8.29
11.2
2Ts 2.12
de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo: graça e paz vos sejam multiplicadas.

Ação de graças pela esperança da salvação

3Bendito seja

1.3
2Co 1.3
Tt 3.5
o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, 4para uma herança incorruptível, incontaminável
1.4
1Pe 5.4
2Tm 4.8
e que se não pode murchar, guardada nos céus para vós 5que, mediante a fé, estais guardados
1.5
Jo 10.28-29
Jd 1
na virtude de Deus, para a salvação já prestes para se revelar no último tempo, 6em que vós grandemente vos alegrais,
1.6
Mt 5.12
Rm 12.12
2Co 6.10
ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações, 7para que a prova da vossa fé,
1.7
Tg 1.3,12
Jó 23.10
Pv 17.3
muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo; 8ao qual, não o havendo visto, amais;
1.8
1Jo 4.20
Jo 20.20
2Co 5.7
no qual, não o vendo agora, mas crendo, vos alegrais com gozo inefável e glorioso, 9alcançando o fim da vossa fé,
1.9
Rm 6.22
a salvação da alma.

10Da qual salvação

1.10
Gn 49.10
Dn 2.44
Ag 2.7
inquiriram e trataram diligentemente os profetas que profetizaram da graça que vos foi dada, 11indagando que tempo ou que ocasião de tempo
1.11
1Pe 3.19
2Pe 1.21
Is 53.3
o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava, anteriormente testificando 1.11 ou as paixõesos sofrimentos que a Cristo haviam de vir e a glória que se lhes havia de seguir. 12Aos quais foi revelado
1.12
Dn 9.24
Hb 11.13,39-40
At 2.4
que, não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que, agora, vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho, para as quais coisas os anjos desejam bem atentar.

Exortação à santidade

13Portanto,

1.13
Lc 12.35
Ef 6.14
cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo, 14como filhos obedientes,
1.14
Rm 12.2
At 17.30
1Ts 4.5
não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; 15mas, como
1.15
Lc 1.74-75
2Co 7.1
1Ts 4.3
é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, 16porquanto escrito está:
1.16
Lv 11.44
19.2
20.7
Sede santos, porque eu sou santo. 17E, se invocais por Pai aquele que,
1.17
Dt 10.17
At 10.34
Rm 2.11
sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação, 18sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro,
1.18
1Co 6.20
Ez 20.18
1Pe 4.3
que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, 19mas com o precioso
1.19
At 20.28
Ef 1.17
Hb 9.12,14
sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, 20o qual, na verdade,
1.20
Rm 3.25
Ef 3.9,11
Cl 1.26
em outro tempo, foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado, nestes últimos tempos, por amor de vós; 21e por ele credes em Deus, que o ressuscitou dos mortos e lhe deu
1.21
At 2.24,33
Mt 28.18
glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus.

22Purificando a vossa alma

1.22
At 15.9
Rm 12.9-10
1Ts 4.9
na obediência à verdade, para 1.22 ou caridadeamor fraternal, não fingido, amai-vos ardentemente uns aos outros, com um coração puro; 23sendo de novo gerados,
1.23
Jo 1.3
3.5
Tg 1.18
1Jo 3.9
não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva e que permanece para sempre. 24Porque toda carne
1.24
Is 40.6
Tg 1.10
é como erva, e toda a glória do homem, como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; 25mas a palavra
1.25
Is 40.8
Lc 16.17
Jo 1.1,14
do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada.

2

21Deixando, pois, toda

2.1
Ef 4.22
Cl 3.8
Hb 12.1
malícia, e todo engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações, 2desejai
2.2
Mt 18.3
Mc 10.15
Rm 6.4
afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que, por ele, vades crescendo, 3se é que já provastes
2.3
Sl 34.8
Hb 6.5
que o Senhor é benigno. 4E, chegando-vos para ele, a pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens,
2.4
Mt 21.42
At 4.11
mas para com Deus eleita e preciosa, 5vós também,
2.5
Ef 2.21
Hb 3.6
Is 61.6
como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo. 6Pelo que também na Escritura se contém:
2.6
Is 28.16
Rm 9.33
Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; e quem nela crer não será 2.6 ou envergonhadoconfundido. 7E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes,
2.7
Mt 21.42
At 4.11
a pedra que os edificadores reprovaram, essa foi a principal da esquina; 8e uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, para aqueles que tropeçam
2.8
Is 8.14
Lc 2.34
Rm 9.33
na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados.

9Mas vós sois a geração eleita, o

2.9
Dt 10.15
Êx 19.5-6
Ap 1.6
sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; 10vós que, em outro tempo, não éreis
2.10
Os 1.9-10
Rm 9.25
povo, mas, agora, sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.

A boa conduta no meio dos pagãos. Submissão às autoridades

11Amados, peço-vos,

2.11
2Cr 29.15
Hb 11.13
como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais, que combatem contra a alma, 12tendo o vosso viver
2.12
Rm 12.17
2Co 8.21
Fp 2.15
honesto entre os gentios, para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no Dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem. 13Sujeitai-vos, pois,
2.13
Mt 22.21
Rm 13.1
a toda ordenação humana por amor do Senhor; quer ao rei, como superior; 14quer aos governadores, como por ele enviados para castigo dos malfeitores
2.14
Rm 13.3-4
e para louvor dos que fazem o bem. 15Porque assim é a vontade de Deus, que, fazendo o bem,
2.15
Tt 2.8
tapeis a boca à ignorância dos homens loucos; 16como livres
2.16
Gl 5.1,13
1Co 7.22
e não tendo a liberdade por cobertura da malícia, mas como servos de Deus. 17Honrai a todos.
2.17
Fp 2.3
Hb 13.1
Rm 12.10
Amai a fraternidade. Temei a Deus. Honrai o rei.

Os deveres dos servos cristãos

18Vós, servos,

2.18
Ef 6.5
Cl 3.22
1Tm 6.1
sujeitai-vos com todo o temor ao senhor, não somente ao bom e humano, mas também ao mau; 19porque é coisa agradável que alguém, por causa da consciência para com Deus,
2.19
Mt 5.10
Rm 13.5
sofra agravos, padecendo injustamente. 20Porque que glória será essa,
2.20
1Pe 3.14
4.14-15
se, pecando, sois esbofeteados e sofreis? Mas, se fazendo o bem, sois afligidos e o sofreis, isso é agradável a Deus. 21Porque para isto sois
2.21
Mt 16.24
At 14.22
1Ts 3.3
chamados, pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas, 22o qual não cometeu
2.22
Is 53.4
Lc 23.41
Jo 8.46
pecado, nem na sua boca se achou engano, 23o qual,
2.23
Is 53.7
Mt 27.39
quando o injuriavam, não injuriava e, quando padecia, não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente, 24levando ele mesmo em seu corpo
2.24
Is 53.4-5
Mt 8.17
Hb 9.28
os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados. 25Porque éreis como
2.25
Is 53.6
Ez 34.6,23
ovelhas desgarradas; mas, agora, tendes voltado ao Pastor e 2.25 ou superintendenteBispo da vossa alma.

3

Os deveres das mulheres e dos maridos cristãos

31Semelhantemente, vós, mulheres,

3.1
1Co 14.34
Ef 5.22
Cl 3.18
sede sujeitas ao vosso próprio marido, para que também, se algum não obedece à palavra, pelo procedimento de sua mulher seja ganho sem palavra, 2considerando
3.2
1Pe 2.12
a vossa vida casta, em temor. 3O enfeite delas não seja
3.3
1Tm 2.9
Tt 2.3
o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de joias de ouro, na compostura de vestes, 4mas o homem
3.4
Rm 2.29
7.22
2Co 4.16
encoberto no coração, no incorruptível trajo de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus. 5Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em Deus e estavam sujeitas ao seu próprio marido, 6como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor,
3.6
Gn 18.12
da qual vós sois filhas, fazendo o bem e não temendo nenhum espanto.

7Igualmente vós,

3.7
1Co 7.3
Ef 5.25
Cl 3.19
maridos, coabitai com ela com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus coerdeiros da graça da vida;
3.7
Mt 5.23-24
18.19
para que não sejam impedidas as vossas orações.

O amor fraternal. A paciência na aflição, segundo o exemplo de Cristo

8E, finalmente, sede todos de

3.8
Rm 12.16
15.5
Fp 3.16
um mesmo sentimento, compassivos, amando os irmãos, entranhavelmente misericordiosos e afáveis, 9não tornando mal por mal
3.9
Pv 17.13
20.22
Mt 5.39
ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo, sabendo que para isto fostes chamados, para que, por herança, alcanceis a bênção. 10Porque quem quer amar
3.10
Tg 1.26
Ap 14.5
a vida e ver os dias bons, refreie a sua língua do mal, e os seus lábios não falem engano; 11aparte-se do
3.11
Is 1.16-17
3Jo 11
Rm 12.18
mal e faça o bem; busque a paz e siga-a. 12Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos,
3.12
Jo 9.31
Tg 5.16
e os seus ouvidos, atentos às suas orações; mas o rosto do Senhor é contra os que fazem males.

13E qual é aquele que vos fará mal,

3.13
Pv 16.7
Rm 8.28
se fordes zelosos do bem? 14Mas também, se padecerdes por amor da justiça,
3.14
Mt 5.10
Tg 1.12
Is 8.12-13
sois bem-aventurados. E não temais com medo deles, nem vos turbeis; 15antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração;
3.15
At 4.8
Cl 4.6
2Tm 2.25
e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós, 16tendo uma boa
3.16
Hb 13.18
Tt 2.8
consciência, para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, fiquem confundidos os que blasfemam do vosso bom procedimento em Cristo, 17porque melhor é que padeçais fazendo o bem (se a vontade de Deus assim o quer) do que fazendo o mal. 18Porque também Cristo padeceu uma vez
3.18
Rm 5.6
Hb 9.26,28
2Co 13.4
pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito, 19no qual também foi
3.19
Is 42.7
49.9
61.1
e pregou aos espíritos em prisão, 20os quais em outro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava
3.20
Gn 6.3,5,13
7.7
Hb 11.7
nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água, 21que também, como uma verdadeira figura, agora vos salva,
3.21
Ef 5.26
Tt 3.5
Rm 10.10
batismo, não do despojamento da imundícia da carne, mas da 3.21 Gr. interrogaçãoindagação de uma boa consciência para com Deus, pela ressurreição de Jesus Cristo; 22o qual está à destra
3.22
Sl 110.1
Rm 8.34,38
Ef 1.20-21
Cl 3.1
1Co 15.24
de Deus, tendo subido ao céu, havendo-se-lhe sujeitado os anjos, e as autoridades, e as potências.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]