Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
3

A quarta visão: o sumo sacerdote Josué

31Deus me mostrou o sumo sacerdote Josué,

3.1
Ed 5.2
o qual estava diante do Anjo do Senhor, e Satanás estava à mão direita dele, para se lhe opor.
3.1
Ap 12.10
2Mas o Senhor disse a Satanás: O Senhor te repreende,
3.2
Jd 9
ó Satanás; sim, o Senhor, que escolheu a Jerusalém, te repreende; não é este um tição tirado do fogo? 3Ora, Josué, trajado de vestes sujas, estava diante do Anjo. 4Tomou este a palavra e disse aos que estavam diante dele: Tirai-lhe as vestes sujas. A Josué disse: Eis que tenho feito que passe de ti a tua iniquidade e te vestirei de finos trajes. 5E disse eu: ponham-lhe um turbante limpo sobre a cabeça. Puseram-lhe, pois, sobre a cabeça um turbante limpo e o vestiram com trajes próprios; e o Anjo do Senhor estava ali, 6protestou a Josué e disse: 7Assim diz o Senhor dos Exércitos: Se andares nos meus caminhos e observares os meus preceitos, também tu julgarás a minha casa e guardarás os meus átrios, e te darei livre acesso entre estes que aqui se encontram. 8Ouve, pois, Josué, sumo sacerdote, tu e os teus companheiros que se assentam diante de ti, porque são homens de presságio; eis que eu farei vir o meu servo, o Renovo.
3.8
Jr 23.5
33.15
Zc 6.12
9Porque eis aqui a pedra que pus diante de Josué; sobre esta pedra única estão sete olhos; eis que eu lavrarei a sua escultura, diz o Senhor dos Exércitos, e tirarei a iniquidade desta terra, num só dia. 10Naquele dia, diz o Senhor dos Exércitos, cada um de vós convidará ao seu próximo para debaixo da vide
3.10
Mq 4.4
e para debaixo da figueira.

4

A quinta visão: o candelabro de ouro entre duas oliveiras

41Tornou o anjo que falava comigo e me despertou, como a um homem que é despertado do seu sono, 2e me perguntou: Que vês? Respondi: olho, e eis um candelabro todo de ouro e um vaso de azeite em cima com as suas sete lâmpadas e sete tubos, um para cada uma das lâmpadas que estão em cima do candelabro. 3Junto a este, duas oliveiras,

4.3
Ap 11.4
uma à direita do vaso de azeite, e a outra à sua esquerda. 4Então, perguntei ao anjo que falava comigo: meu senhor, que é isto? 5Respondeu-me o anjo que falava comigo: Não sabes tu que é isto? Respondi: não, meu senhor. 6Prosseguiu ele e me disse: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel:
4.6
Ed 5.2
Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos. 7Quem és tu, ó grande monte? Diante de Zorobabel serás uma campina; porque ele colocará a pedra de remate, em meio a aclamações: Haja graça e graça para ela!

8Novamente, me veio a palavra do Senhor, dizendo: 9As mãos de Zorobabel lançaram os fundamentos desta casa, elas mesmas a acabarão, para que saibais que o Senhor dos Exércitos é quem me enviou a vós outros. 10Pois quem despreza o dia dos humildes começos, esse alegrar-se-á vendo o prumo na mão de Zorobabel. Aqueles sete olhos são os olhos do Senhor,

4.10
Ap 5.6
que percorrem toda a terra.

11Prossegui e lhe perguntei: que são as duas oliveiras

4.11
Ap 11.4
à direita e à esquerda do candelabro? 12Tornando a falar-lhe, perguntei: que são aqueles dois raminhos de oliveira que estão junto aos dois tubos de ouro, que vertem de si azeite dourado? 13Ele me respondeu: Não sabes que é isto? Eu disse: não, meu senhor. 14Então, ele disse: São os dois ungidos, que assistem junto ao Senhor de toda a terra.

5

A sexta visão: o rolo voante

51Tornei a levantar os olhos e vi, e eis um rolo voante. 2Perguntou-me o anjo: Que vês? Eu respondi: vejo um rolo voante, que tem vinte côvados de comprimento e dez de largura. 3Então, me disse: Esta é a maldição que sai pela face de toda a terra, porque qualquer que furtar será expulso segundo a maldição, e qualquer que jurar falsamente será expulso também segundo a mesma. 4Fá-la-ei sair, diz o Senhor dos Exércitos, e a farei entrar na casa do ladrão e na casa do que jurar falsamente pelo meu nome; nela, pernoitará e consumirá a sua madeira e as suas pedras.

A sétima visão: a mulher e o efa

5Saiu o anjo que falava comigo e me disse: Levanta, agora, os olhos e vê que é isto que sai. 6Eu perguntei: que é isto? Ele me respondeu: É um efa que sai. Disse ainda: Isto é a iniquidade em toda a terra. 7Eis que foi levantada a tampa de chumbo, e uma mulher estava sentada dentro do efa. 8Prosseguiu o anjo: Isto é a impiedade. E a lançou para o fundo do efa, sobre cuja boca pôs o peso de chumbo. 9Levantei os olhos e vi, e eis que saíram duas mulheres; havia vento em suas asas, que eram como de cegonha; e levantaram o efa entre a terra e o céu. 10Então, perguntei ao anjo que falava comigo: para onde levam elas o efa? 11Respondeu-me: Para edificarem àquela mulher uma casa na terra de Sinar, e, estando esta acabada, ela será posta ali em seu próprio lugar.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]