Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
4

A quinta visão: o candelabro de ouro entre duas oliveiras

41Tornou o anjo que falava comigo e me despertou, como a um homem que é despertado do seu sono, 2e me perguntou: Que vês? Respondi: olho, e eis um candelabro todo de ouro e um vaso de azeite em cima com as suas sete lâmpadas e sete tubos, um para cada uma das lâmpadas que estão em cima do candelabro. 3Junto a este, duas oliveiras,

4.3
Ap 11.4
uma à direita do vaso de azeite, e a outra à sua esquerda. 4Então, perguntei ao anjo que falava comigo: meu senhor, que é isto? 5Respondeu-me o anjo que falava comigo: Não sabes tu que é isto? Respondi: não, meu senhor. 6Prosseguiu ele e me disse: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel:
4.6
Ed 5.2
Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos. 7Quem és tu, ó grande monte? Diante de Zorobabel serás uma campina; porque ele colocará a pedra de remate, em meio a aclamações: Haja graça e graça para ela!

8Novamente, me veio a palavra do Senhor, dizendo: 9As mãos de Zorobabel lançaram os fundamentos desta casa, elas mesmas a acabarão, para que saibais que o Senhor dos Exércitos é quem me enviou a vós outros. 10Pois quem despreza o dia dos humildes começos, esse alegrar-se-á vendo o prumo na mão de Zorobabel. Aqueles sete olhos são os olhos do Senhor,

4.10
Ap 5.6
que percorrem toda a terra.

11Prossegui e lhe perguntei: que são as duas oliveiras

4.11
Ap 11.4
à direita e à esquerda do candelabro? 12Tornando a falar-lhe, perguntei: que são aqueles dois raminhos de oliveira que estão junto aos dois tubos de ouro, que vertem de si azeite dourado? 13Ele me respondeu: Não sabes que é isto? Eu disse: não, meu senhor. 14Então, ele disse: São os dois ungidos, que assistem junto ao Senhor de toda a terra.