Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
12

A nova vida

121Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. 2E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

O devido uso de dons espirituais

3Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um. 4Porque assim como num só corpo temos muitos membros, mas nem todos os membros têm a mesma função, 5assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros, 6tendo, porém, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada: se profecia, seja segundo a proporção da fé; 7se ministério, dediquemo-nos ao ministério; ou o que ensina esmere-se no fazê-lo; 8ou o que exorta faça-o com dedicação; o que contribui, com liberalidade; o que preside, com diligência; quem exerce misericórdia, com alegria.

12.1-8
1Co 12.1-31

As virtudes recomendadas

9O amor seja sem hipocrisia. Detestai o mal, apegando-vos ao bem. 10Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. 11No zelo, não sejais remissos; sede fervorosos de espírito, servindo ao Senhor; 12regozijai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, na oração, perseverantes; 13compartilhai as necessidades dos santos; praticai a hospitalidade; 14abençoai os que vos perseguem,

12.14
Lc 6.28
abençoai e não amaldiçoeis. 15Alegrai-vos com os que se alegram e chorai com os que choram. 16Tende o mesmo sentimento uns para com os outros; em lugar de serdes orgulhosos, condescendei com o que é humilde; não sejais sábios
12.16
Pv 3.7
aos vossos próprios olhos. 17Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens; 18se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens; 19não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira;12.19 ira; de Deus, subentendido porque está escrito:

A mim me pertence a vingança; eu é que retribuirei, diz o Senhor.

12.19
Dt 32.35

20Pelo contrário, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça.
12.20
Pv 25.21-22
21Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.
13

Da obediência às autoridades

131Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas. 2De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação. 3Porque os magistrados não são para temor, quando se faz o bem, e sim quando se faz o mal. Queres tu não temer a autoridade? Faze o bem e terás louvor dela, 4visto que a autoridade é ministro de Deus para teu bem. Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivo que ela traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal. 5É necessário que lhe estejais sujeitos, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência. 6Por esse motivo, também pagais tributos, porque são ministros de Deus, atendendo, constantemente, a este serviço. 7Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra.

13.6-7
Mt 22.21
Mc 12.17
Lc 20.25

O amor ao próximo é o cumprimento da lei

8A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei. 9Pois isto:

Não adulterarás,

13.9
Êx 20.14
Dt 5.18
não matarás,
13.9
Êx 20.13
Dt 5.17
não furtarás,
13.9
Êx 20.15
Dt 5.19
não cobiçarás,
13.9
Êx 20.17
Dt 5.21
e, se há qualquer outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
13.9
Lv 19.18

10O amor não pratica o mal contra o próximo; de sorte que o cumprimento da lei é o amor.

O dia está próximo

11E digo isto a vós outros que conheceis o tempo: já é hora de vos despertardes do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto do que quando no princípio cremos. 12Vai alta a noite, e vem chegando o dia. Deixemos, pois, as obras das trevas e revistamo-nos das armas da luz. 13Andemos dignamente, como em pleno dia, não em orgias e bebedices, não em impudicícias e dissoluções, não em contendas e ciúmes; 14mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e nada disponhais para a carne no tocante às suas concupiscências.

14

A tolerância para com os fracos na fé

141Acolhei ao que é débil na fé, não, porém, para discutir opiniões. 2Um crê que de tudo pode comer, mas o débil come legumes; 3quem come não despreze o que não come; e o que não come não julgue o que come, porque Deus o acolheu. 4Quem és tu que julgas o servo alheio? Para o seu próprio senhor está em pé ou cai; mas estará em pé, porque o Senhor é poderoso para o suster.

5Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. Cada um tenha opinião bem-definida em sua própria mente. 6Quem distingue entre dia e dia para o Senhor o faz; e quem come para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e quem não come para o Senhor não come e dá graças a Deus. 7Porque nenhum de nós vive para si mesmo, nem morre para si. 8Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. Quer, pois, vivamos ou morramos, somos do Senhor. 9Foi precisamente para esse fim que Cristo morreu e ressurgiu: para ser Senhor tanto de mortos como de vivos. 10Tu, porém, por que julgas teu irmão? E tu, por que desprezas o teu? Pois todos compareceremos

14.10
2Co 5.10
perante o tribunal de Deus. 11Como está escrito:

Por minha vida, diz o Senhor, diante de mim se dobrará todo joelho, e toda língua dará louvores a Deus.

14.11
Is 45.23

12Assim, pois, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus.

A liberdade e a caridade

13Não nos julguemos mais uns aos outros; pelo contrário, tomai o propósito de não pordes tropeço ou escândalo ao vosso irmão. 14Eu sei e estou persuadido, no Senhor Jesus, de que nenhuma coisa é de si mesma impura, salvo para aquele que assim a considera; para esse é impura. 15Se, por causa de comida, o teu irmão se entristece, já não andas segundo o amor fraternal. Por causa da tua comida, não faças perecer aquele a favor de quem Cristo morreu. 16Não seja, pois, vituperado o vosso bem. 17Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo. 18Aquele que deste modo serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens. 19Assim, pois, seguimos as coisas da paz e também as da edificação de uns para com os outros. 20Não destruas a obra de Deus por causa da comida. Todas as coisas, na verdade, são limpas, mas é mau para o homem o comer com escândalo. 21É bom não comer carne, nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa com que teu irmão venha a tropeçar [ou se ofender ou se enfraquecer]. 22A fé que tens, tem-na para ti mesmo perante Deus. Bem-aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova. 23Mas aquele que tem dúvidas é condenado se comer, porque o que faz não provém de fé; e tudo o que não provém de fé é pecado.