Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
8

O sétimo selo. Os sete anjos com as suas trombetas

81Quando o Cordeiro abriu o sétimo selo, houve silêncio no céu cerca de meia hora. 2Então, vi os sete anjos que se acham em pé diante de Deus, e lhes foram dadas sete trombetas.

3Veio outro anjo e ficou de pé junto ao altar,

8.3
Êx 30.1
com um incensário de ouro, e foi-lhe dado muito incenso para oferecê-lo com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro que se acha diante do trono; 4e da mão do anjo subiu à presença de Deus a fumaça do incenso, com as orações dos santos. 5E o anjo tomou o incensário, encheu-o do fogo
8.5
Lv 16.12
do altar e o atirou à terra.
8.5
Ez 10.2
E houve trovões,
8.5
Ap 11.19
16.18
vozes, relâmpagos e terremoto. 6Então, os sete anjos que tinham as sete trombetas prepararam-se para tocar.

A primeira trombeta

7O primeiro anjo tocou a trombeta, e houve saraiva e fogo

8.7
Êx 9.23-25
de mistura com sangue, e foram atirados à terra. Foi, então, queimada a terça parte da terra, e das árvores, e também toda erva verde.

A segunda trombeta

8O segundo anjo tocou a trombeta, e uma como que grande montanha ardendo em chamas foi atirada ao mar, cuja terça parte se tornou em sangue, 9e morreu a terça parte da criação que tinha vida, existente no mar, e foi destruída a terça parte das embarcações.

A terceira trombeta

10O terceiro anjo tocou a trombeta, e caiu do céu sobre a terça parte dos rios, e sobre as fontes das águas uma grande estrela,

8.10
Is 14.12
ardendo como tocha. 11O nome da estrela é Absinto; e a terça parte das águas se tornou em absinto, e muitos dos homens morreram por causa dessas águas, porque se tornaram amargosas.

A quarta trombeta

12O quarto anjo tocou a trombeta, e foi ferida a terça parte do sol,

8.12
Is 13.10
Ez 32.7
Jl 2.10
da lua e das estrelas, para que a terça parte deles escurecesse e, na sua terça parte, não brilhasse, tanto o dia como também a noite. 13Então, vi e ouvi uma águia que, voando pelo meio do céu, dizia em grande voz: Ai! Ai! Ai dos que moram na terra, por causa das restantes vozes da trombeta dos três anjos que ainda têm de tocar!

9

A quinta trombeta

91O quinto anjo tocou a trombeta, e vi uma estrela caída do céu na terra. E foi-lhe dada a chave do poço do abismo. 2Ela abriu o poço do abismo, e subiu fumaça do poço como fumaça de grande fornalha, e, com a fumaceira saída do poço, escureceu-se o sol e o ar. 3Também da fumaça saíram gafanhotos para a terra; e foi-lhes dado poder como o que têm os escorpiões da terra,

9.2-3
Êx 10.12-15
4e foi-lhes dito que não causassem dano à erva da terra, nem a qualquer coisa verde, nem a árvore alguma e tão somente aos homens que não têm o selo
9.4
Ez 9.4
de Deus sobre a fronte. 5Foi-lhes também dado, não que os matassem, e sim que os atormentassem durante cinco meses. E o seu tormento era como tormento de escorpião quando fere alguém. 6Naqueles dias, os homens buscarão a morte
9.6
Jó 3.21
e não a acharão; também terão ardente desejo de morrer, mas a morte fugirá deles.

7O aspecto dos gafanhotos era semelhante a cavalos

9.7
Jl 2.4
preparados para a peleja; na sua cabeça havia como que coroas parecendo de ouro; e o seu rosto era como rosto de homem; 8tinham também cabelos, como cabelos de mulher; os seus dentes, como dentes de leão;
9.8
Jl 1.6
9tinham couraças, como couraças de ferro; o barulho que as suas asas faziam era como o barulho de carros
9.9
Jl 2.5
de muitos cavalos, quando correm à peleja; 10tinham ainda cauda, como escorpiões, e ferrão; na cauda tinham poder para causar dano aos homens, por cinco meses; 11e tinham sobre eles, como seu rei, o anjo do abismo, cujo nome em hebraico é Abadom, e em grego, Apoliom.

12O primeiro ai passou. Eis que, depois destas coisas, vêm ainda dois ais.

A sexta trombeta

13O sexto anjo tocou a trombeta, e ouvi uma voz procedente dos quatro ângulos do altar de ouro

9.13
Êx 30.1-3
que se encontra na presença de Deus, 14dizendo ao sexto anjo, o mesmo que tem a trombeta: Solta os quatro anjos que se encontram atados junto ao grande rio Eufrates. 15Foram, então, soltos os quatro anjos que se achavam preparados para a hora, o dia, o mês e o ano, para que matassem a terça parte dos homens. 16O número dos exércitos da cavalaria era de vinte mil vezes dez milhares; eu ouvi o seu número. 17Assim, nesta visão, contemplei que os cavalos e os seus cavaleiros tinham couraças cor de fogo, de jacinto e de enxofre. A cabeça dos cavalos era como cabeça de leão, e de sua boca saía fogo, fumaça e enxofre. 18Por meio destes três flagelos, a saber, pelo fogo, pela fumaça e pelo enxofre que saíam da sua boca, foi morta a terça parte dos homens; 19pois a força dos cavalos estava na sua boca e na sua cauda, porquanto a sua cauda se parecia com serpentes, e tinha cabeça, e com ela causavam dano.

20Os outros homens, aqueles que não foram mortos por esses flagelos, não se arrependeram das obras das suas mãos, deixando de adorar os demônios e os ídolos

9.20
Sl 115.4-7
135.15-17
Dn 5.4
de ouro, de prata, de cobre, de pedra e de pau, que nem podem ver, nem ouvir, nem andar; 21nem ainda se arrependeram dos seus assassínios, nem das suas feitiçarias, nem da sua prostituição, nem dos seus furtos.

10

Os anjos e os sete trovões. João e o livrinho

101Vi outro anjo forte descendo do céu, envolto em nuvem, com o arco-íris por cima de sua cabeça; o rosto era como o sol, e as pernas, como colunas de fogo; 2e tinha na mão um livrinho aberto. Pôs o pé direito sobre o mar e o esquerdo, sobre a terra, 3e bradou em grande voz, como ruge um leão, e, quando bradou, desferiram os sete trovões as suas próprias vozes. 4Logo que falaram os sete trovões, eu ia escrever, mas ouvi uma voz do céu, dizendo: Guarda em segredo as coisas que os sete trovões falaram e não as escrevas. 5Então, o anjo que vi em pé sobre o mar e sobre a terra levantou a mão direita para o céu 6e jurou por aquele que vive pelos séculos dos séculos, o mesmo que criou o céu, a terra, o mar e tudo quanto neles existe: Já não haverá demora,

10.5-6
Dn 12.7
7mas, nos dias da voz do sétimo anjo, quando ele estiver para tocar a trombeta, cumprir-se-á, então, o mistério de Deus, segundo ele anunciou aos seus servos, os profetas.

8A voz que ouvi, vinda do céu, estava de novo falando comigo e dizendo: Vai e toma o livro que se acha aberto na mão do anjo em pé sobre o mar e sobre a terra. 9Fui, pois, ao anjo, dizendo-lhe que me desse o livrinho.

10.9
Ez 2.8-9
Ele, então, me falou: Toma-o e devora-o; certamente, ele será amargo ao teu estômago, mas, na tua boca, doce como mel. 10Tomei o livrinho da mão do anjo e o devorei,
10.10
Ez 3.1-3
e, na minha boca, era doce como mel; quando, porém, o comi, o meu estômago ficou amargo. 11Então, me disseram: É necessário que ainda profetizes a respeito de muitos povos, nações, línguas e reis.