Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
79

O povo pede castigo contra os inimigos

Salmo de Asafe

791Ó Deus, as nações invadiram

79.1
2Rs 25.8-10
2Cr 36.17-19
Jr 52.12-14
a tua herança,

profanaram o teu santo templo,

reduziram Jerusalém a um montão de ruínas.

2Deram os cadáveres dos teus servos

por cibo às aves dos céus

e a carne dos teus santos, às feras da terra.

3Derramaram como água o sangue deles

ao redor de Jerusalém,

e não houve quem lhes desse sepultura.

4Tornamo-nos o opróbrio dos nossos vizinhos,

o escárnio e a zombaria dos que nos rodeiam.

5Até quando, Senhor? Será para sempre a tua ira?

Arderá como fogo o teu zelo?

6Derrama o teu furor sobre as nações

que te não conhecem

e sobre os reinos

que não invocam o teu nome.

7Porque eles devoraram a Jacó

e lhe assolaram as moradas.

8Não recordes contra nós as iniquidades de nossos pais;

apressem-se ao nosso encontro as tuas misericórdias,

pois estamos sobremodo abatidos.

9Assiste-nos, ó Deus e Salvador nosso,

pela glória do teu nome;

livra-nos e perdoa-nos os pecados,

por amor do teu nome.

10Por que diriam as nações:

Onde está o seu Deus?

Seja, à nossa vista, manifesta entre as nações a vingança do sangue

que dos teus servos é derramado.

11Chegue à tua presença o gemido do cativo;

consoante a grandeza do teu poder,

preserva os sentenciados à morte.

12Retribui, Senhor, aos nossos vizinhos, sete vezes tanto,

o opróbrio com que te vituperaram.

13Quanto a nós, teu povo e ovelhas do teu pasto,

para sempre te daremos graças;

de geração em geração proclamaremos os teus louvores.

80

Pedindo restaurações

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Os lírios”. Testemunho de Asafe. Salmo

801Dá ouvidos, ó pastor de Israel,

tu que conduzes a José como um rebanho;

tu que estás entronizado acima dos querubins,

80.1
Êx 25.22

mostra o teu esplendor.

2Perante Efraim, Benjamim e Manassés,

desperta o teu poder e vem salvar-nos.

3Restaura-nos, ó Deus;

faze resplandecer o teu rosto, e seremos salvos.

4Ó Senhor, Deus dos Exércitos,

até quando estarás indignado contra a oração do teu povo?

5Dás-lhe a comer pão de lágrimas

e a beber copioso pranto.

6Constituis-nos em contendas para os nossos vizinhos,

e os nossos inimigos zombam de nós a valer.

7Restaura-nos, ó Deus dos Exércitos;

faze resplandecer o teu rosto, e seremos salvos.

8Trouxeste uma videira do Egito,

expulsaste as nações e a plantaste.

9Dispuseste-lhe o terreno,

ela deitou profundas raízes e encheu a terra.

10Com a sombra dela os montes se cobriram,

e, com os seus sarmentos, os cedros de Deus.

11Estendeu ela a sua ramagem até ao mar

e os seus rebentos, até ao rio.

12Por que lhe derribaste as cercas,

de sorte que a vindimam todos os que passam pelo caminho?

13O javali da selva a devasta,

e nela se repastam os animais que pululam no campo.

14Ó Deus dos Exércitos, volta-te, nós te rogamos,

olha do céu, e vê, e visita esta vinha;

15protege o que a tua mão direita plantou,

o sarmento que para ti fortaleceste.

16Está queimada, está decepada.

Pereçam os nossos inimigos pela repreensão do teu rosto.

17Seja a tua mão sobre o povo da tua destra,

sobre o filho do homem que fortaleceste para ti.

18E assim não nos apartaremos de ti;

vivifica-nos, e invocaremos o teu nome.

19Restaura-nos, ó Senhor, Deus dos Exércitos,

faze resplandecer o teu rosto, e seremos salvos.

81

Exortação a louvor e obediência

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Os lagares”. Salmo de Asafe

811Cantai de júbilo a Deus, força nossa;

celebrai o Deus de Jacó.

2Salmodiai e fazei soar o tamboril,

a suave harpa com o saltério.

3Tocai a trombeta

81.3
Nm 10.10
na Festa da Lua Nova,

na lua cheia, dia da nossa festa.

4É preceito para Israel,

é prescrição do Deus de Jacó.

5Ele o ordenou, como lei, a José,

ao sair contra a terra do Egito.

Ouço uma linguagem que eu não conhecera.

6Livrei os seus ombros do peso,

e suas mãos foram livres dos cestos.

7Clamaste na angústia, e te livrei;

do recôndito do trovão eu te respondi

e te experimentei junto às águas de Meribá.

81.7
Êx 17.7
Nm 20.13

8Ouve, povo meu, quero exortar-te.

Ó Israel, se me escutasses!

9Não haja no meio de ti deus alheio,

81.9
Êx 20.2-3
Dt 5.6-7

nem te prostres ante deus estranho.

10Eu sou o Senhor, teu Deus,

que te tirei da terra do Egito.

Abre bem a boca, e ta encherei.

11Mas o meu povo não me quis escutar a voz,

e Israel não me atendeu.

12Assim, deixei-o andar na teimosia do seu coração;

siga os seus próprios conselhos.

13Ah! Se o meu povo me escutasse,

se Israel andasse nos meus caminhos!

14Eu, de pronto, lhe abateria o inimigo

e deitaria mão contra os seus adversários.

15Os que aborrecem ao Senhor se lhe submeteriam,

e isto duraria para sempre.

16Eu o sustentaria com o trigo mais fino

e o saciaria com o mel que escorre da rocha.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]