Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
65

Ações de graças pelas bênçãos das searas

Ao mestre de canto. De Davi. Cântico

651A ti, ó Deus, confiança e louvor em Sião!

E a ti se pagará o voto.

2Ó tu que escutas a oração,

a ti virão todos os homens,

3por causa de suas iniquidades.

Se prevalecem as nossas transgressões,

tu no-las perdoas.

4Bem-aventurado aquele a quem escolhes

e aproximas de ti, para que assista nos teus átrios;

ficaremos satisfeitos com a bondade de tua casa —

o teu santo templo.

5Com tremendos feitos nos respondes em tua justiça,

ó Deus, Salvador nosso,

esperança de todos os confins da terra

e dos mares longínquos;

6que por tua força consolidas os montes,

cingido de poder;

7que aplacas o rugir dos mares,

o ruído das suas ondas

e o tumulto das gentes.

8Os que habitam nos confins da terra temem os teus sinais;

os que vêm do Oriente e do Ocidente,

tu os fazes exultar de júbilo.

9Tu visitas a terra e a regas;

tu a enriqueces copiosamente;

os ribeiros de Deus são abundantes de água;

preparas o cereal,

porque para isso a dispões,

10regando-lhe os sulcos, aplanando-lhe as leivas.

Tu a amoleces com chuviscos

e lhe abençoas a produção.

11Coroas o ano da tua bondade;

as tuas pegadas destilam fartura,

12destilam sobre as pastagens do deserto,

e de júbilo se revestem os outeiros.

13Os campos cobrem-se de rebanhos,

e os vales vestem-se de espigas;

exultam de alegria e cantam.

66

Ofertas de gratidão

Ao mestre de canto. Cântico. Salmo

661Aclamai a Deus, toda a terra.

2Salmodiai a glória do seu nome,

dai glória ao seu louvor.

3Dizei a Deus: Que tremendos são os teus feitos!

Pela grandeza do teu poder,

a ti se mostram submissos os teus inimigos.

4Prostra-se toda a terra perante ti,

canta salmos a ti;

salmodia o teu nome.

5Vinde e vede as obras de Deus:

tremendos feitos para com os filhos dos homens!

6Converteu o mar em terra seca;

66.6
Êx 14.21

atravessaram o rio a pé;

66.6
Js 3.14-17

ali, nos alegramos nele.

7Ele, em seu poder, governa eternamente;

os seus olhos vigiam as nações;

não se exaltem os rebeldes.

8Bendizei, ó povos, o nosso Deus;

fazei ouvir a voz do seu louvor;

9o que preserva com vida a nossa alma

e não permite que nos resvalem os pés.

10Pois tu, ó Deus, nos provaste;

acrisolaste-nos como se acrisola a prata.

11Tu nos deixaste cair na armadilha;

oprimiste as nossas costas;

12fizeste que os homens cavalgassem sobre a nossa cabeça;

passamos pelo fogo e pela água;

porém, afinal, nos trouxeste para um lugar espaçoso.

13Entrarei na tua casa com holocaustos;

pagar-te-ei os meus votos,

14que proferiram os meus lábios,

e que, no dia da angústia, prometeu a minha boca.

15Oferecer-te-ei holocaustos de vítimas cevadas,

com aroma de carneiros;

imolarei novilhos com cabritos.

16Vinde, ouvi, todos vós que temeis a Deus,

e vos contarei o que tem ele feito por minha alma.

17A ele clamei com a boca, com a língua o exaltei.

18Se eu no coração contemplara a vaidade,

o Senhor não me teria ouvido.

19Entretanto, Deus me tem ouvido

e me tem atendido a voz da oração.

20Bendito seja Deus, que não me rejeita a oração,

nem aparta de mim a sua graça.

67

As nações rendem graças

Ao mestre de canto. Para instrumentos de cordas. Salmo. Cântico

671Seja Deus gracioso para conosco, e nos abençoe,

e faça resplandecer sobre nós o rosto;

2para que se conheça na terra o teu caminho

e, em todas as nações, a tua salvação.

3Louvem-te os povos, ó Deus;

louvem-te os povos todos.

4Alegrem-se e exultem as gentes,

pois julgas os povos com equidade

e guias na terra as nações.

5Louvem-te os povos, ó Deus;

louvem-te os povos todos.

6A terra deu o seu fruto,

e Deus, o nosso Deus, nos abençoa.

7Abençoe-nos Deus,

e todos os confins da terra o temerão.