Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
61

Oração pelo rei

Ao mestre de canto. Com instrumentos de cordas. De Davi

611Ouve, ó Deus, a minha súplica;

atende à minha oração.

2Desde os confins da terra clamo por ti,

no abatimento do meu coração.

Leva-me para a rocha que é alta demais para mim;

3pois tu me tens sido refúgio

e torre forte contra o inimigo.

4Assista eu no teu tabernáculo, para sempre;

no esconderijo das tuas asas, eu me abrigo.

5Pois ouviste, ó Deus, os meus votos

e me deste a herança dos que temem o teu nome.

6Dias sobre dias acrescentas ao rei;

duram os seus anos gerações após gerações.

7Permaneça para sempre diante de Deus;

concede-lhe que a bondade e a fidelidade o preservem.

8Assim, salmodiarei o teu nome para sempre,

para cumprir, dia após dia, os meus votos.

62

Exortação à confiança

Ao mestre de canto. Segundo a melodia de Jedutum. De Davi

621Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa;

dele vem a minha salvação.

2Só ele é a minha rocha, e a minha salvação,

e o meu alto refúgio; não serei muito abalado.

3Até quando acometereis vós a um homem,

todos vós, para o derribardes,

como se fosse uma parede pendida

ou um muro prestes a cair?

4Só pensam em derribá-lo da sua dignidade;

na mentira se comprazem;

de boca bendizem,

porém no interior maldizem.

5Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa,

porque dele vem a minha esperança.

6Só ele é a minha rocha, e a minha salvação,

e o meu alto refúgio; não serei jamais abalado.

7De Deus dependem a minha salvação e a minha glória;

estão em Deus a minha forte rocha e o meu refúgio.

8Confiai nele, ó povo, em todo tempo;

derramai perante ele o vosso coração;

Deus é o nosso refúgio.

9Somente vaidade são os homens plebeus;

falsidade, os de fina estirpe;

pesados em balança,

eles juntos são mais leves que a vaidade.

10Não confieis naquilo que extorquis,

nem vos vanglorieis na rapina;

se as vossas riquezas prosperam,

não ponhais nelas o coração.

11Uma vez falou Deus,

duas vezes ouvi isto:

Que o poder pertence a Deus,

12e a ti, Senhor, pertence a graça,

pois a cada um retribuis

62.12
Jó 34.11
Jr 17.10
Mt 16.27
Rm 2.6
Ap 2.23

segundo as suas obras.

63

Buscando a Deus

Salmo de Davi, quando no deserto

63, título
2Sm 15.23,28
de Judá

631Ó Deus, tu és o meu Deus forte; eu te busco ansiosamente;

a minha alma tem sede de ti;

meu corpo te almeja,

como terra árida, exausta, sem água.

2Assim, eu te contemplo no santuário,

para ver a tua força e a tua glória.

3Porque a tua graça é melhor do que a vida;

os meus lábios te louvam.

4Assim, cumpre-me bendizer-te enquanto eu viver;

em teu nome, levanto as mãos.

5Como de banha e de gordura farta-se a minha alma;

e, com júbilo nos lábios, a minha boca te louva,

6no meu leito, quando de ti me recordo

e em ti medito, durante a vigília da noite.

7Porque tu me tens sido auxílio;

à sombra das tuas asas, eu canto jubiloso.

8A minha alma apega-se a ti;

a tua destra me ampara.

9Porém os que me procuram a vida para a destruir

abismar-se-ão nas profundezas da terra.

10Serão entregues ao poder da espada

e virão a ser pasto dos chacais.

11O rei, porém, se alegra em Deus;

quem por ele jura gloriar-se-á,

pois se tapará a boca dos que proferem mentira.