Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
59

Súplica em prol de libertação

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Não destruas”. Hino de Davi, quando Saul mandou que lhe sitiassem a casa,

59, título
1Sm 19.11
para o matar

591Livra-me, Deus meu, dos meus inimigos;

põe-me acima do alcance dos meus adversários.

2Livra-me dos que praticam a iniquidade

e salva-me dos homens sanguinários,

3pois que armam ciladas à minha alma;

contra mim se reúnem os fortes,

sem transgressão minha, ó Senhor, ou pecado meu.

4Sem culpa minha, eles se apressam e investem;

desperta, vem ao meu encontro e vê.

5Tu, Senhor, Deus dos Exércitos, és o Deus de Israel;

desperta, pois, e vem de encontro a todas as nações;

não te compadeças de nenhum dos que traiçoeiramente praticam a iniquidade.

6Ao anoitecer, uivam como cães,

à volta da cidade.

7Alardeiam de boca;

em seus lábios há espadas.

Pois dizem eles: Quem há que nos escute?

8Mas tu, Senhor, te rirás deles;

zombarás de todas as nações.

9Em ti, força minha, esperarei;

pois Deus é meu alto refúgio.

10Meu Deus virá ao meu encontro com a sua benignidade,

Deus me fará ver o meu desejo sobre os meus inimigos.

11Não os mates, para que o meu povo não se esqueça;

dispersa-os pelo teu poder e abate-os,

ó Senhor, escudo nosso.

12Pelo pecado de sua boca, pelas palavras dos seus lábios,

na sua própria soberba sejam enredados

e pela abominação e mentiras que proferem.

13Consome-os com indignação, consome-os,

de sorte que jamais existam

e se saiba que reina Deus em Jacó,

até aos confins da terra.

14Ao anoitecer, uivam como cães,

à volta da cidade.

15Vagueiam à procura de comida

e, se não se fartam, então, rosnam.

16Eu, porém, cantarei a tua força;

pela manhã louvarei com alegria a tua misericórdia;

pois tu me tens sido alto refúgio

e proteção no dia da minha angústia.

17A ti, força minha, cantarei louvores,

porque Deus é meu alto refúgio,

é o Deus da minha misericórdia.

60

Oração em tempos de guerra

Vs. 5-12: Sl 108.6-13

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Os lírios do testemunho”. Hino de Davi para ensinar. Quando lutou contra os siros da Mesopotâmia e os siros de Zobá, e quando Joabe, regressando, derrotou de Edom doze mil homens,

60, título
2Sm 8.13
1Cr 18.12
no vale do Sal

601Ó Deus, tu nos rejeitaste e nos dispersaste;

tens estado indignado; oh! Restabelece-nos!

2Abalaste a terra, fendeste-a;

repara-lhe as brechas, pois ela ameaça ruir.

3Fizeste o teu povo experimentar reveses

e nos deste a beber vinho que atordoa.

4Deste um estandarte aos que te temem,

para fugirem de diante do arco.

5Para que os teus amados sejam livres,

salva com a tua destra e responde-nos.

6Falou Deus na sua santidade:

Exultarei; dividirei Siquém

e medirei o vale de Sucote.

7Meu é Gileade, meu é Manassés;

Efraim é a defesa de minha cabeça;

Judá é o meu cetro.

8Moabe, porém, é a minha bacia de lavar;

sobre Edom atirarei a minha sandália;

sobre a Filístia jubilarei.

9Quem me conduzirá à cidade fortificada?

Quem me guiará até Edom?

10Não nos rejeitaste, ó Deus?

Tu não sais, ó Deus, com os nossos exércitos!

11Presta-nos auxílio na angústia,

pois vão é o socorro do homem.

12Em Deus faremos proezas,

porque ele mesmo calca aos pés os nossos adversários.

61

Oração pelo rei

Ao mestre de canto. Com instrumentos de cordas. De Davi

611Ouve, ó Deus, a minha súplica;

atende à minha oração.

2Desde os confins da terra clamo por ti,

no abatimento do meu coração.

Leva-me para a rocha que é alta demais para mim;

3pois tu me tens sido refúgio

e torre forte contra o inimigo.

4Assista eu no teu tabernáculo, para sempre;

no esconderijo das tuas asas, eu me abrigo.

5Pois ouviste, ó Deus, os meus votos

e me deste a herança dos que temem o teu nome.

6Dias sobre dias acrescentas ao rei;

duram os seus anos gerações após gerações.

7Permaneça para sempre diante de Deus;

concede-lhe que a bondade e a fidelidade o preservem.

8Assim, salmodiarei o teu nome para sempre,

para cumprir, dia após dia, os meus votos.