Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
46

Deus é o nosso refúgio e fortaleza

Ao mestre de canto. Dos filhos de Corá. Em voz de soprano. Cântico

461Deus é o nosso refúgio e fortaleza,

socorro bem-presente nas tribulações.

2Portanto, não temeremos ainda que a terra se transtorne

e os montes se abalem no seio dos mares;

3ainda que as águas tumultuem e espumejem

e na sua fúria os montes se estremeçam.

4Há um rio, cujas correntes alegram a cidade de Deus,

o santuário das moradas do Altíssimo.

5Deus está no meio dela; jamais será abalada;

Deus a ajudará desde antemanhã.

6Bramam nações, reinos se abalam;

ele faz ouvir a sua voz, e a terra se dissolve.

7O Senhor dos Exércitos está conosco;

o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

8Vinde, contemplai as obras do Senhor,

que assolações efetuou na terra.

9Ele põe termo à guerra até aos confins do mundo,

quebra o arco e despedaça a lança;

queima os carros no fogo.

10Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus;

sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra.

11O Senhor dos Exércitos está conosco;

o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

47

Deus, o Rei da terra

Ao mestre de canto. Salmo dos filhos de Corá

471Batei palmas, todos os povos;

celebrai a Deus com vozes de júbilo.

2Pois o Senhor Altíssimo é tremendo,

é o grande rei de toda a terra.

3Ele nos submeteu os povos

e pôs sob os nossos pés as nações.

4Escolheu-nos a nossa herança,

a glória de Jacó, a quem ele ama.

5Subiu Deus por entre aclamações,

o Senhor, ao som de trombeta.

6Salmodiai a Deus, cantai louvores;

salmodiai ao nosso Rei, cantai louvores.

7Deus é o Rei de toda a terra;

salmodiai com harmonioso cântico.

8Deus reina sobre as nações;

Deus se assenta no seu santo trono.

9Os príncipes dos povos se reúnem,

o povo do Deus de Abraão,

porque a Deus pertencem os escudos da terra;

ele se exaltou gloriosamente.

48

A cidade de Deus

Cântico. Salmo dos filhos de Corá

481Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado,

na cidade do nosso Deus.

2Seu santo monte, belo e sobranceiro,

é a alegria de toda a terra;

o monte Sião, para os lados do Norte,

a cidade do grande Rei.

48.2
Mt 5.35

3Nos palácios dela,

Deus se faz conhecer como alto refúgio.

4Por isso, eis que os reis se coligaram

e juntos sumiram-se;

5bastou-lhes vê-lo, e se espantaram,

tomaram-se de assombro e fugiram apressados.

6O terror ali os venceu,

e sentiram dores como de parturiente.

7Com vento oriental destruíste

as naus de Társis.

8Como temos ouvido dizer, assim o vimos

na cidade do Senhor dos Exércitos,

na cidade do nosso Deus.

Deus a estabelece para sempre.

9Pensamos, ó Deus, na tua misericórdia

no meio do teu templo.

10Como o teu nome, ó Deus,

assim o teu louvor se estende até aos confins da terra;

a tua destra está cheia de justiça.

11Alegre-se o monte Sião,

exultem as filhas de Judá,

por causa dos teus juízos.

12Percorrei a Sião, rodeai-a toda,

contai-lhe as torres;

13notai bem os seus baluartes,

observai os seus palácios,

para narrardes às gerações vindouras

14que este é Deus,

o nosso Deus para todo o sempre;

ele será nosso guia até à morte.