Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
31

Lamentos e louvor

Ao mestre de canto. Salmo de Davi

311Em ti, Senhor, me refugio;

não seja eu jamais envergonhado;

livra-me por tua justiça.

2Inclina-me os ouvidos,

livra-me depressa;

sê o meu castelo forte,

cidadela fortíssima que me salve.

3Porque tu és a minha rocha e a minha fortaleza;

por causa do teu nome, tu me conduzirás e me guiarás.

4Tirar-me-ás do laço que, às ocultas, me armaram,

pois tu és a minha fortaleza.

5Nas tuas mãos, entrego o meu espírito;

31.5
Lc 23.46

tu me remiste, Senhor, Deus da verdade.

6Aborreces os que adoram ídolos vãos;

eu, porém, confio no Senhor.

7Eu me alegrarei e regozijarei na tua benignidade,

pois tens visto a minha aflição,

conheceste as angústias de minha alma

8e não me entregaste nas mãos do inimigo;

firmaste os meus pés em lugar espaçoso.

9Compadece-te de mim, Senhor, porque me sinto atribulado;

de tristeza os meus olhos se consomem,

e a minha alma e o meu corpo.

10Gasta-se a minha vida na tristeza,

e os meus anos, em gemidos;

debilita-se a minha força, por causa da minha iniquidade,

e os meus ossos se consomem.

11Tornei-me opróbrio para todos os meus adversários,

espanto para os meus vizinhos

e horror para os meus conhecidos;

os que me veem na rua fogem de mim.

12Estou esquecido no coração deles, como morto;

sou como vaso quebrado.

13Pois tenho ouvido a murmuração de muitos,

terror por todos os lados;

conspirando contra mim,

tramam tirar-me a vida.

14Quanto a mim, confio em ti, Senhor.

Eu disse: tu és o meu Deus.

15Nas tuas mãos, estão os meus dias;

livra-me das mãos dos meus inimigos e dos meus perseguidores.

16Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo;

salva-me por tua misericórdia.

17Não seja eu envergonhado, Senhor,

pois te invoquei;

envergonhados sejam os perversos,

emudecidos na morte.

18Emudeçam os lábios mentirosos,

que falam insolentemente contra o justo,

com arrogância e desdém.

19Como é grande a tua bondade,

que reservaste aos que te temem,

da qual usas, perante os filhos dos homens,

para com os que em ti se refugiam!

20No recôndito da tua presença, tu os esconderás

das tramas dos homens,

num esconderijo os ocultarás

da contenda de línguas.

21Bendito seja o Senhor,

que engrandeceu a sua misericórdia

para comigo, numa cidade sitiada!

22Eu disse na minha pressa:

estou excluído da tua presença.

Não obstante, ouviste a minha súplice voz,

quando clamei por teu socorro.

23Amai o Senhor, vós todos os seus santos.

O Senhor preserva os fiéis,

mas retribui com largueza ao soberbo.

24Sede fortes, e revigore-se o vosso coração,

vós todos que esperais no Senhor.

32

A bem-aventurança de quem recebe o perdão

De Davi. Salmo didático

321Bem-aventurado aquele cuja iniquidade é perdoada,

cujo pecado é coberto.

2Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não atribui iniquidade

e em cujo espírito não há dolo.

32.1-2
Rm 4.7-8

3Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos

pelos meus constantes gemidos todo o dia.

4Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim,

e o meu vigor se tornou em sequidão de estio.

5Confessei-te o meu pecado

32.5
2Sm 12.13

e a minha iniquidade não mais ocultei.

Disse: confessarei ao Senhor as minhas transgressões;

e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado.

6Sendo assim, todo homem piedoso te fará súplicas

em tempo de poder encontrar-te.

Com efeito, quando transbordarem muitas águas,

não o atingirão.

7Tu és o meu esconderijo;

tu me preservas da tribulação

e me cercas de alegres cantos de livramento.

8Instruir-te-ei e te ensinarei o caminho que deves seguir;

e, sob as minhas vistas, te darei conselho.

9Não sejais como o cavalo ou a mula, sem entendimento,

os quais com freios e cabrestos são dominados;

de outra sorte não te obedecem.

10Muito sofrimento terá de curtir o ímpio,

mas o que confia no Senhor, a misericórdia o assistirá.

11Alegrai-vos no Senhor e regozijai-vos, ó justos;

exultai, vós todos que sois retos de coração.

33

Louvor ao Criador e Preservador

331Exultai, ó justos, no Senhor!

Aos retos fica bem louvá-lo.

2Celebrai o Senhor com harpa,

louvai-o com cânticos no saltério de dez cordas.

3Entoai-lhe novo cântico,

tangei com arte e com júbilo.

4Porque a palavra do Senhor é reta,

e todo o seu proceder é fiel.

5Ele ama a justiça e o direito;

a terra está cheia da bondade do Senhor.

6Os céus por sua palavra se fizeram,

e, pelo sopro de sua boca, o exército deles.

7Ele ajunta em montão as águas do mar;

e em reservatório encerra as grandes vagas.

8Tema ao Senhor toda a terra,

temam-no todos os habitantes do mundo.

9Pois ele falou, e tudo se fez;

ele ordenou, e tudo passou a existir.

10O Senhor frustra os desígnios das nações

e anula os intentos dos povos.

11O conselho do Senhor dura para sempre;

os desígnios do seu coração, por todas as gerações.

12Feliz a nação cujo Deus é o Senhor,

e o povo que ele escolheu para sua herança.

13O Senhor olha dos céus;

vê todos os filhos dos homens;

14do lugar de sua morada, observa

todos os moradores da terra,

15ele, que forma o coração de todos eles,

que contempla todas as suas obras.

16Não há rei que se salve com o poder dos seus exércitos;

nem por sua muita força se livra o valente.

17O cavalo não garante vitória;

a despeito de sua grande força, a ninguém pode livrar.

18Eis que os olhos do Senhor estão sobre os que o temem,

sobre os que esperam na sua misericórdia,

19para livrar-lhes a alma da morte,

e, no tempo da fome, conservar-lhes a vida.

20Nossa alma espera no Senhor,

nosso auxílio e escudo.

21Nele, o nosso coração se alegra,

pois confiamos no seu santo nome.

22Seja sobre nós, Senhor, a tua misericórdia,

como de ti esperamos.