Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
2

O reinado do Ungido de Deus

21Por que se enfurecem os gentios

e os povos imaginam coisas vãs?

2Os reis da terra se levantam,

e os príncipes conspiram

contra o Senhor e contra o seu Ungido, dizendo:

2.1-2
At 4.25-26

3Rompamos os seus laços

e sacudamos de nós as suas algemas.

4Ri-se aquele que habita nos céus;

o Senhor zomba deles.

5Na sua ira, a seu tempo, lhes há de falar

e no seu furor os confundirá.

6Eu, porém, constituí o meu Rei

sobre o meu santo monte Sião.

7Proclamarei o decreto do Senhor:

Ele me disse: Tu és meu Filho,

2.7
At 13.33
Hb 1.5
5.5

eu, hoje, te gerei.

8Pede-me, e eu te darei as nações por herança

e as extremidades da terra por tua possessão.

9Com vara de ferro as regerás

2.9
Ap 2.26-27
12.5
19.15

e as despedaçarás como um vaso de oleiro.

10Agora, pois, ó reis, sede prudentes;

deixai-vos advertir, juízes da terra.

11Servi ao Senhor com temor

e alegrai-vos nele com tremor.

12Beijai o Filho para que se não irrite, e não pereçais no caminho;

porque dentro em pouco se lhe inflamará a ira.

Bem-aventurados todos os que nele se refugiam.

3

Confiança em Deus, na adversidade

Salmo de Davi quando fugia

3, título
2Sm 15.13-17,22
de Absalão, seu filho

31Senhor, como tem crescido o número dos meus adversários!

São numerosos os que se levantam contra mim.

2São muitos os que dizem de mim:

Não há em Deus salvação para ele.

3Porém tu, Senhor, és o meu escudo,

és a minha glória e o que exaltas a minha cabeça.

4Com a minha voz clamo ao Senhor,

e ele do seu santo monte me responde.

5Deito-me e pego no sono;

acordo, porque o Senhor me sustenta.

6Não tenho medo de milhares do povo

que tomam posição contra mim de todos os lados.

7Levanta-te, Senhor!

Salva-me, Deus meu,

pois feres nos queixos a todos os meus inimigos

e aos ímpios quebras os dentes.

8Do Senhor é a salvação,

e sobre o teu povo, a tua bênção.

4

Confiança em Deus, na angústia

Salmo de Davi ao mestre de canto, com instrumentos de cordas

41Responde-me quando clamo, ó Deus da minha justiça;

na angústia, me tens aliviado;

tem misericórdia de mim e ouve a minha oração.

2Ó homens, até quando tornareis a minha glória em vexame,

e amareis a vaidade, e buscareis a mentira?

3Sabei, porém, que o Senhor distingue para si o piedoso;

o Senhor me ouve quando eu clamo por ele.

4Irai-vos

4.4
Ef 4.26
e não pequeis;

consultai no travesseiro o coração e sossegai.

5Oferecei sacrifícios de justiça

e confiai no Senhor.

6Há muitos que dizem: Quem nos dará a conhecer o bem?

Senhor, levanta sobre nós a luz do teu rosto.

7Mais alegria me puseste no coração do que a alegria deles,

quando lhes há fartura de cereal e de vinho.

8Em paz me deito e logo pego no sono,

porque, Senhor, só tu me fazes repousar seguro.