Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
27

Anelo pela presença de Deus

Salmo de Davi

271O Senhor é a minha luz e a minha salvação;

de quem terei medo?

O Senhor é a fortaleza da minha vida;

a quem temerei?

2Quando malfeitores me sobrevêm

para me destruir,

meus opressores e inimigos,

eles é que tropeçam e caem.

3Ainda que um exército se acampe contra mim,

não se atemorizará o meu coração;

e, se estourar contra mim a guerra,

ainda assim terei confiança.

4Uma coisa peço ao Senhor,

e a buscarei:

que eu possa morar na Casa do Senhor

todos os dias da minha vida,

para contemplar a beleza do Senhor

e meditar no seu templo.

5Pois, no dia da adversidade,

ele me ocultará no seu pavilhão;

no recôndito do seu tabernáculo, me acolherá;

elevar-me-á sobre uma rocha.

6Agora, será exaltada a minha cabeça

acima dos inimigos que me cercam.

No seu tabernáculo, oferecerei

sacrifício de júbilo;

cantarei e salmodiarei ao Senhor.

7Ouve, Senhor, a minha voz; eu clamo;

compadece-te de mim e responde-me.

8Ao meu coração me ocorre: Buscai a minha presença;

buscarei, pois, Senhor, a tua presença.

9Não me escondas, Senhor, a tua face,

não rejeites com ira o teu servo;

tu és o meu auxílio,

não me recuses, nem me desampares,

ó Deus da minha salvação.

10Porque, se meu pai e minha mãe me desampararem,

o Senhor me acolherá.

11Ensina-me, Senhor, o teu caminho

e guia-me por vereda plana,

por causa dos que me espreitam.

12Não me deixes à vontade dos meus adversários;

pois contra mim se levantam falsas testemunhas

e os que só respiram crueldade.

13Eu creio que verei a bondade do Senhor

na terra dos viventes.

14Espera pelo Senhor,

tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração;

espera, pois, pelo Senhor.

28

Súplica e ações de graças

Salmo de Davi

281A ti clamo, ó Senhor;

rocha minha, não sejas surdo para comigo;

para que não suceda, se te calares acerca de mim,

seja eu semelhante aos que descem à cova.

2Ouve-me as vozes súplices,

quando a ti clamar por socorro,

quando erguer as mãos para o teu santuário.

3Não me arrastes com os ímpios,

com os que praticam a iniquidade;

os quais falam de paz ao seu próximo,

porém no coração têm perversidade.

4Paga-lhes

28.4
Ap 22.12
segundo as suas obras,

segundo a malícia dos seus atos;

dá-lhes conforme a obra de suas mãos,

retribui-lhes o que merecem.

5E, visto que não atentam para os feitos do Senhor,

nem para o que as suas mãos fazem,

ele os derribará e não os reedificará.

6Bendito seja o Senhor,

porque me ouviu as vozes súplices!

7O Senhor é a minha força e o meu escudo;

nele o meu coração confia,

nele fui socorrido; por isso, o meu coração exulta,

e com o meu cântico o louvarei.

8O Senhor é a força do seu povo,

o refúgio salvador do seu ungido.

9Salva o teu povo e abençoa a tua herança;

apascenta-o e exalta-o para sempre.

29

A voz de Deus na tempestade

Salmo de Davi

291Tributai ao Senhor, filhos de Deus,

tributai ao Senhor glória e força.

2Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome,

adorai o Senhor na beleza da santidade.

29.1-2
Sl 96.7-9

3Ouve-se a voz do Senhor sobre as águas;

troveja o Deus da glória;

o Senhor está sobre as muitas águas.

4A voz do Senhor é poderosa;

a voz do Senhor é cheia de majestade.

5A voz do Senhor quebra os cedros;

sim, o Senhor despedaça os cedros do Líbano.

6Ele os faz saltar como um bezerro;

o Líbano e o Siriom, como bois selvagens.

7A voz do Senhor despede chamas de fogo.

8A voz do Senhor faz tremer o deserto;

o Senhor faz tremer o deserto de Cades.

9A voz do Senhor faz dar cria às corças

e desnuda os bosques;

e no seu templo tudo diz: Glória!

10O Senhor preside aos dilúvios;

como rei, o Senhor presidirá para sempre.

11O Senhor dá força ao seu povo,

o Senhor abençoa com paz ao seu povo.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]