Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
28

Súplica e ações de graças

Salmo de Davi

281A ti clamo, ó Senhor;

rocha minha, não sejas surdo para comigo;

para que não suceda, se te calares acerca de mim,

seja eu semelhante aos que descem à cova.

2Ouve-me as vozes súplices,

quando a ti clamar por socorro,

quando erguer as mãos para o teu santuário.

3Não me arrastes com os ímpios,

com os que praticam a iniquidade;

os quais falam de paz ao seu próximo,

porém no coração têm perversidade.

4Paga-lhes

28.4
Ap 22.12
segundo as suas obras,

segundo a malícia dos seus atos;

dá-lhes conforme a obra de suas mãos,

retribui-lhes o que merecem.

5E, visto que não atentam para os feitos do Senhor,

nem para o que as suas mãos fazem,

ele os derribará e não os reedificará.

6Bendito seja o Senhor,

porque me ouviu as vozes súplices!

7O Senhor é a minha força e o meu escudo;

nele o meu coração confia,

nele fui socorrido; por isso, o meu coração exulta,

e com o meu cântico o louvarei.

8O Senhor é a força do seu povo,

o refúgio salvador do seu ungido.

9Salva o teu povo e abençoa a tua herança;

apascenta-o e exalta-o para sempre.