Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
25

Oração por auxílio divino

De Davi

251A ti, Senhor, elevo a minha alma.

2Deus meu, em ti confio;

não seja eu envergonhado,

nem exultem sobre mim os meus inimigos.

3Com efeito, dos que em ti esperam, ninguém será envergonhado;

envergonhados serão

os que, sem causa, procedem traiçoeiramente.

4Faze-me, Senhor, conhecer os teus caminhos,

ensina-me as tuas veredas.

5Guia-me na tua verdade e ensina-me,

pois tu és o Deus da minha salvação,

em quem eu espero todo o dia.

6Lembra-te, Senhor, das tuas misericórdias e das tuas bondades,

que são desde a eternidade.

7Não te lembres dos meus pecados da mocidade, nem das minhas transgressões.

Lembra-te de mim, segundo a tua misericórdia,

por causa da tua bondade, ó Senhor.

8Bom e reto é o Senhor,

por isso, aponta o caminho aos pecadores.

9Guia os humildes na justiça

e ensina aos mansos o seu caminho.

10Todas as veredas do Senhor são misericórdia e verdade

para os que guardam a sua aliança e os seus testemunhos.

11Por causa do teu nome, Senhor,

perdoa a minha iniquidade, que é grande.

12Ao homem que teme ao Senhor,

ele o instruirá no caminho que deve escolher.

13Na prosperidade repousará a sua alma,

e a sua descendência herdará a terra.

14A intimidade do Senhor é para os que o temem,

aos quais ele dará a conhecer a sua aliança.

15Os meus olhos se elevam continuamente ao Senhor,

pois ele me tirará os pés do laço.

16Volta-te para mim e tem compaixão,

porque estou sozinho e aflito.

17Alivia-me as tribulações do coração;

tira-me das minhas angústias.

18Considera as minhas aflições e o meu sofrimento

e perdoa todos os meus pecados.

19Considera os meus inimigos, pois são muitos

e me abominam com ódio cruel.

20Guarda-me a alma e livra-me;

não seja eu envergonhado, pois em ti me refugio.

21Preservem-me a sinceridade e a retidão,

porque em ti espero.

22Ó Deus, redime a Israel de todas as suas tribulações.