Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
20

Oração a favor do rei

Ao mestre de canto. Salmo de Davi

201O Senhor te responda no dia da tribulação;

o nome do Deus de Jacó te eleve em segurança.

2Do seu santuário te envie socorro

e desde Sião te sustenha.

3Lembre-se de todas as tuas ofertas de manjares

e aceite os teus holocaustos.

4Conceda-te segundo o teu coração

e realize todos os teus desígnios.

5Celebraremos com júbilo a tua vitória

e em nome do nosso Deus hastearemos pendões;

satisfaça o Senhor a todos os teus votos.

6Agora, sei que o Senhor salva o seu ungido;

ele lhe responderá do seu santo céu

com a vitoriosa força de sua destra.

7Uns confiam em carros, outros, em cavalos;

nós, porém, nos gloriaremos em o nome do Senhor, nosso Deus.

8Eles se encurvam e caem;

nós, porém, nos levantamos e nos mantemos de pé.

9Ó Senhor, dá vitória ao rei;

responde-nos, quando clamarmos.

21

Ações de graças pela vitória

Ao mestre de canto. Salmo de Davi

211Na tua força, Senhor, o rei se alegra!

E como exulta com a tua salvação!

2Satisfizeste-lhe o desejo do coração

e não lhe negaste as súplicas dos seus lábios.

3Pois o supres das bênçãos de bondade;

pões-lhe na cabeça uma coroa de ouro puro.

4Ele te pediu vida, e tu lha deste;

sim, longevidade para todo o sempre.

5Grande lhe é a glória da tua salvação;

de esplendor e majestade o sobrevestiste.

6Pois o puseste por bênção para sempre

e o encheste de gozo com a tua presença.

7O rei confia no Senhor

e pela misericórdia do Altíssimo jamais vacilará.

8A tua mão alcançará todos os teus inimigos,

a tua destra apanhará os que te odeiam.

9Tu os tornarás como em fornalha ardente, quando te manifestares;

o Senhor, na sua indignação, os consumirá,

o fogo os devorará.

10Destruirás da terra a sua posteridade

e a sua descendência, de entre os filhos dos homens.

11Se contra ti intentarem o mal

e urdirem intrigas, não conseguirão efetuá-los;

12porquanto lhes farás voltar as costas

e mirarás o rosto deles com o teu arco.

13Exalta-te, Senhor, na tua força!

Nós cantaremos e louvaremos o teu poder.

22

Sofrimento e vitória do Messias

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Corça da manhã”. Salmo de Davi

221Deus meu, Deus meu,

22.1
Mt 27.46
Mc 15.34
por que me desamparaste?

Por que se acham longe de minha salvação as palavras de meu bramido?

2Deus meu, clamo de dia, e não me respondes;

também de noite, porém não tenho sossego.

3Contudo, tu és santo,

entronizado entre os louvores de Israel.

4Nossos pais confiaram em ti;

confiaram, e os livraste.

5A ti clamaram e se livraram;

confiaram em ti e não foram confundidos.

6Mas eu sou verme e não homem;

opróbrio dos homens e desprezado do povo.

7Todos os que me veem zombam de mim;

22.7
Mt 27.39
Mc 15.29
Lc 23.35

afrouxam os lábios e meneiam a cabeça:

8Confiou no Senhor!

22.8
Mt 27.43
Livre-o ele;

salve-o, pois nele tem prazer.

9Contudo, tu és quem me fez nascer;

e me preservaste, estando eu ainda ao seio de minha mãe.

10A ti me entreguei desde o meu nascimento;

desde o ventre de minha mãe, tu és meu Deus.

11Não te distancies de mim,

porque a tribulação está próxima,

e não há quem me acuda.

12Muitos touros me cercam,

fortes touros de Basã me rodeiam.

13Contra mim abrem a boca,

como faz o leão que despedaça e ruge.

14Derramei-me como água,

e todos os meus ossos se desconjuntaram;

meu coração fez-se como cera,

derreteu-se dentro de mim.

15Secou-se o meu vigor, como um caco de barro,

e a língua se me apega ao céu da boca;

assim, me deitas no pó da morte.

16Cães me cercam;

uma súcia de malfeitores me rodeia;

traspassaram-me as mãos e os pés.

17Posso contar todos os meus ossos;

eles me estão olhando e encarando em mim.

18Repartem entre si as minhas vestes

22.18
Mt 27.35
Mc 15.24
Lc 23.34
Jo 19.24

e sobre a minha túnica deitam sortes.

19Tu, porém, Senhor, não te afastes de mim;

força minha, apressa-te em socorrer-me.

20Livra a minha alma da espada,

e, das presas do cão, a minha vida.

21Salva-me das fauces do leão

e dos chifres dos búfalos;

sim, tu me respondes.

22A meus irmãos declararei o teu nome;

22.22
Hb 2.12

cantar-te-ei louvores no meio da congregação;

23vós que temeis o Senhor, louvai-o;

glorificai-o, vós todos, descendência de Jacó;

reverenciai-o, vós todos, posteridade de Israel.

24Pois não desprezou, nem abominou

a dor do aflito,

nem ocultou dele o rosto,

mas o ouviu, quando lhe gritou por socorro.

25De ti vem o meu louvor na grande congregação;

cumprirei os meus votos na presença dos que o temem.

26Os sofredores hão de comer e fartar-se;

louvarão o Senhor os que o buscam.

Viva para sempre o vosso coração.

27Lembrar-se-ão do Senhor e a ele se converterão os confins da terra;

perante ele se prostrarão

todas as famílias das nações.

28Pois do Senhor é o reino,

é ele quem governa as nações.

29Todos os opulentos da terra hão de comer e adorar,

e todos os que descem ao pó se prostrarão perante ele,

até aquele que não pode preservar a própria vida.

30A posteridade o servirá;

falar-se-á do Senhor à geração vindoura.

31Hão de vir anunciar a justiça dele;

ao povo que há de nascer, contarão que foi ele quem o fez.