Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
144

Ações de graças pela proteção de Deus

Salmo de Davi

1441Bendito seja o Senhor, rocha minha,

que me adestra as mãos para a batalha

e os dedos, para a guerra;

2minha misericórdia e fortaleza minha,

meu alto refúgio e meu libertador,

meu escudo, aquele em quem confio

e quem me submete o meu povo.

3Senhor, que é o homem

144.3
Jó 7.17-18
Sl 8.4
para que dele tomes conhecimento?

E o filho do homem, para que o estimes?

4O homem é como um sopro;

os seus dias, como a sombra que passa.

5Abaixa, Senhor, os teus céus e desce;

toca os montes, e fumegarão.

6Despede relâmpagos e dispersa os meus inimigos;

arremessa as tuas flechas e desbarata-os.

7Estende a mão lá do alto;

livra-me e arrebata-me das muitas águas

e do poder de estranhos,

8cuja boca profere mentiras,

e cuja direita é direita de falsidade.

9A ti, ó Deus, entoarei novo cântico;

no saltério de dez cordas, te cantarei louvores.

10É ele quem dá aos reis a vitória;

quem livra da espada maligna a Davi, seu servo.

11Livra-me e salva-me do poder de estranhos,

cuja boca profere mentiras,

e cuja direita é direita de falsidade.

12Que nossos filhos

sejam, na sua mocidade, como plantas viçosas,

e nossas filhas, como pedras angulares,

lavradas como colunas de palácio;

13que transbordem os nossos celeiros,

atulhados de toda sorte de provisões;

que os nossos rebanhos produzam a milhares

e a dezenas de milhares, em nossos campos;

14que as nossas vacas andem pejadas,

não lhes haja rotura, nem mau sucesso.

Não haja gritos de lamento em nossas praças.

15Bem-aventurado o povo a quem assim sucede!

Sim, bem-aventurado é o povo cujo Deus é o Senhor!