Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
130

Das profundezas clamo ao Senhor

Cântico de romagem

1301Das profundezas clamo a ti, Senhor.

2Escuta, Senhor, a minha voz;

estejam alertas os teus ouvidos às minhas súplicas.

3Se observares, Senhor, iniquidades,

quem, Senhor, subsistirá?

4Contigo, porém, está o perdão,

para que te temam.

5Aguardo o Senhor, a minha alma o aguarda;

eu espero na sua palavra.

6A minha alma anseia pelo Senhor

mais do que os guardas pelo romper da manhã.

Mais do que os guardas pelo romper da manhã,

7espere Israel no Senhor,

pois no Senhor há misericórdia;

nele, copiosa redenção.

8É ele quem redime a Israel

130.8
Tt 2.14

de todas as suas iniquidades.

131

Calma em Deus

Cântico de romagem. De Davi

1311Senhor, não é soberbo o meu coração,

nem altivo o meu olhar;

não ando à procura de grandes coisas,

nem de coisas maravilhosas demais para mim.

2Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma;

como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe,

como essa criança é a minha alma para comigo.

3Espera, ó Israel, no Senhor,

desde agora e para sempre.

132

Uma promessa antiga

Cântico de romagem

1321Lembra-te, Senhor, a favor de Davi,

de todas as suas provações;

2de como jurou ao Senhor

e fez votos ao Poderoso de Jacó:

3Não entrarei na tenda em que moro,

nem subirei ao leito em que repouso,

4não darei sono aos meus olhos,

nem repouso às minhas pálpebras,

5até que eu encontre lugar para o Senhor,

morada para o Poderoso de Jacó.

6Ouvimos dizer que a arca se achava em Efrata

e a encontramos no campo de Jaar.

7Entremos na sua morada,

adoremos ante o estrado de seus pés.

8Levanta-te, Senhor, entra no lugar do teu repouso,

tu e a arca de tua fortaleza.

9Vistam-se de justiça os teus sacerdotes,

e exultem os teus fiéis.

10Por amor de Davi, teu servo,

não desprezes o rosto do teu ungido.

132.8-10
2Cr 6.41-42

11O Senhor jurou a Davi com firme juramento

132.11
2Sm 7.12-16
1Cr 17.11-14
Sl 89.3-4
At 2.30

e dele não se apartará:

Um rebento da tua carne

farei subir para o teu trono.

12Se os teus filhos guardarem a minha aliança

e o testemunho que eu lhes ensinar,

também os seus filhos se assentarão

para sempre no teu trono.

13Pois o Senhor escolheu a Sião,

preferiu-a por sua morada:

14Este é para sempre o lugar do meu repouso;

aqui habitarei, pois o preferi.

15Abençoarei com abundância o seu mantimento

e de pão fartarei os seus pobres.

16Vestirei de salvação os seus sacerdotes,

e de júbilo exultarão os seus fiéis.

17Ali, farei brotar a força de Davi;

preparei uma lâmpada

132.17
1Rs 11.36
para o meu ungido.

18Cobrirei de vexame os seus inimigos;

mas sobre ele florescerá a sua coroa.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]