Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
121

Deus, o fiel guarda dos homens

Cântico de romagem

1211Elevo os olhos para os montes:

de onde me virá o socorro?

2O meu socorro vem do Senhor,

que fez o céu e a terra.

3Ele não permitirá que os teus pés vacilem;

não dormitará aquele que te guarda.

4É certo que não dormita, nem dorme

o guarda de Israel.

5O Senhor é quem te guarda;

o Senhor é a tua sombra à tua direita.

6De dia não te molestará o sol,

nem de noite, a lua.

7O Senhor te guardará de todo mal;

guardará a tua alma.

8O Senhor guardará a tua saída e a tua entrada,

desde agora e para sempre.

122

Oração pela paz de Jerusalém

Cântico de romagem. De Davi

1221Alegrei-me quando me disseram:

Vamos à Casa do Senhor.

2Pararam os nossos pés

junto às tuas portas, ó Jerusalém!

3Jerusalém, que estás construída

como cidade compacta,

4para onde sobem as tribos,

as tribos do Senhor,

como convém a Israel,

para renderem graças ao nome do Senhor.

5Lá estão os tronos de justiça,

os tronos da casa de Davi.

6Orai pela paz de Jerusalém!

Sejam prósperos os que te amam.

7Reine paz dentro de teus muros

e prosperidade nos teus palácios.

8Por amor dos meus irmãos e amigos,

eu peço: haja paz em ti!

9Por amor da Casa do Senhor, nosso Deus,

buscarei o teu bem.

123

Solicitude por auxílio divino

Cântico de romagem

1231A ti, que habitas nos céus,

elevo os olhos!

2Como os olhos dos servos estão fitos

nas mãos dos seus senhores,

e os olhos da serva,

na mão de sua senhora,

assim os nossos olhos estão fitos no Senhor, nosso Deus,

até que se compadeça de nós.

3Tem misericórdia de nós, Senhor, tem misericórdia;

pois estamos sobremodo fartos de desprezo.

4A nossa alma está saturada

do escárnio dos que estão à sua vontade

e do desprezo dos soberbos.