Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
29

291O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz

será quebrantado de repente sem que haja cura.

2Quando se multiplicam os justos, o povo se alegra,

quando, porém, domina o perverso, o povo suspira.

3O homem que ama a sabedoria alegra a seu pai,

mas o companheiro de prostitutas desperdiça os bens.

4O rei justo sustém a terra,

mas o amigo de impostos a transtorna.

5O homem que lisonjeia a seu próximo

arma-lhe uma rede aos passos.

6Na transgressão do homem mau, há laço,

mas o justo canta e se regozija.

7Informa-se o justo da causa dos pobres,

mas o perverso de nada disso quer saber.

8Os homens escarnecedores alvoroçam a cidade,

mas os sábios desviam a ira.

9Se o homem sábio discute com o insensato,

quer este se encolerize, quer se ria, não haverá fim.

10Os sanguinários aborrecem o íntegro,

ao passo que, quanto aos retos, procuram tirar-lhes a vida.

11O insensato expande toda a sua ira,

mas o sábio afinal lha reprime.

12Se o governador dá atenção a palavras mentirosas,

virão a ser perversos todos os seus servos.

13O pobre e o seu opressor se encontram,

mas é o Senhor quem dá luz aos olhos de ambos.

14O rei que julga os pobres com equidade

firmará o seu trono para sempre.

15A vara e a disciplina dão sabedoria,

mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe.

16Quando os perversos se multiplicam,

multiplicam-se as transgressões,

mas os justos verão a ruína deles.

17Corrige o teu filho, e te dará descanso,

dará delícias à tua alma.

18Não havendo profecia, o povo se corrompe;

mas o que guarda a lei, esse é feliz.

19O servo não se emendará com palavras,

porque, ainda que entenda, não obedecerá.

20Tens visto um homem precipitado nas suas palavras?

Maior esperança há para o insensato do que para ele.

21Se alguém amimar o escravo desde a infância,

por fim ele quererá ser filho.

22O iracundo levanta contendas,

e o furioso multiplica as transgressões.

23A soberba do homem o abaterá,

mas o humilde de espírito obterá honra.

24O que tem parte com o ladrão aborrece a própria alma;

ouve as maldições e nada denuncia.

25Quem teme ao homem arma ciladas,

mas o que confia no Senhor está seguro.

26Muitos buscam o favor daquele que governa,

mas para o homem a justiça vem do Senhor.

27Para o justo, o iníquo é abominação,

e o reto no seu caminho é abominação ao perverso.