Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)

A excelência da sabedoria

21Filho meu, se aceitares as minhas palavras

e esconderes contigo os meus mandamentos,

2para fazeres atento à sabedoria o teu ouvido

e para inclinares o coração ao entendimento,

3e, se clamares por inteligência,

e por entendimento alçares a voz,

4se buscares a sabedoria como a prata

e como a tesouros escondidos a procurares,

5então, entenderás o temor do Senhor

e acharás o conhecimento de Deus.

6Porque o Senhor dá a sabedoria,

e da sua boca vem a inteligência e o entendimento.

7Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos;

é escudo para os que caminham na sinceridade,

8guarda as veredas do juízo

e conserva o caminho dos seus santos.

9Então, entenderás justiça, juízo

e equidade, todas as boas veredas.

10Porquanto a sabedoria entrará no teu coração,

e o conhecimento será agradável à tua alma.

11O bom siso te guardará,

e a inteligência te conservará;

12para te livrar do caminho do mal

e do homem que diz coisas perversas;

13dos que deixam as veredas da retidão,

para andarem pelos caminhos das trevas;

14que se alegram de fazer o mal,

folgam com as perversidades dos maus,

15seguem veredas tortuosas

e se desviam nos seus caminhos;

16para te livrar da mulher adúltera,

da estrangeira, que lisonjeia com palavras,

17a qual deixa o amigo da sua mocidade

e se esquece da aliança do seu Deus;

18porque a sua casa se inclina para a morte,

e as suas veredas, para o reino das sombras da morte;

19todos os que se dirigem a essa mulher não voltarão

e não atinarão com as veredas da vida.

20Assim, andarás pelo caminho dos homens de bem

e guardarás as veredas dos justos.

21Porque os retos habitarão a terra,

e os íntegros permanecerão nela.

22Mas os perversos serão eliminados da terra,

e os aleivosos serão dela desarraigados.