Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
16

161O coração do homem pode fazer planos,

mas a resposta certa dos lábios vem do Senhor.

2Todos os caminhos do homem são puros aos seus olhos,

mas o Senhor pesa o espírito.

3Confia ao Senhor as tuas obras,

e os teus desígnios serão estabelecidos.

4O Senhor fez todas as coisas para determinados fins

e até o perverso, para o dia da calamidade.

5Abominável é ao Senhor todo arrogante de coração;

é evidente que não ficará impune.

6Pela misericórdia e pela verdade, se expia a culpa;

e pelo temor do Senhor os homens evitam o mal.

7Sendo o caminho dos homens agradável ao Senhor,

este reconcilia com eles os seus inimigos.

8Melhor é o pouco, havendo justiça,

do que grandes rendimentos com injustiça.

9O coração do homem traça o seu caminho,

mas o Senhor lhe dirige os passos.

10Nos lábios do rei se acham decisões autorizadas;

no julgar não transgrida, pois, a sua boca.

11Peso e balança justos pertencem ao Senhor;

obra sua são todos os pesos da bolsa.

12A prática da impiedade é abominável para os reis,

porque com justiça se estabelece o trono.

13Os lábios justos são o contentamento do rei,

e ele ama o que fala coisas retas.

14O furor do rei são uns mensageiros de morte,

mas o homem sábio o apazigua.

15O semblante alegre do rei significa vida,

e a sua benevolência é como a nuvem que traz chuva serôdia.

16Quanto melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro!

E mais excelente, adquirir a prudência do que a prata!

17O caminho dos retos é desviar-se do mal;

o que guarda o seu caminho preserva a sua alma.

18A soberba precede a ruína,

e a altivez do espírito, a queda.

19Melhor é ser humilde de espírito com os humildes

do que repartir o despojo com os soberbos.

20O que atenta para o ensino acha o bem,

e o que confia no Senhor, esse é feliz.

21O sábio de coração é chamado prudente,

e a doçura no falar aumenta o saber.

22O entendimento, para aqueles que o possuem, é fonte de vida;

mas, para o insensato, a sua estultícia lhe é castigo.

23O coração do sábio é mestre de sua boca

e aumenta a persuasão nos seus lábios.

24Palavras agradáveis são como favo de mel:

doces para a alma e medicina para o corpo.

25Há caminho

16.25
Pv 14.12
que parece direito ao homem,

mas afinal são caminhos de morte.

26A fome do trabalhador o faz trabalhar,

porque a sua boca a isso o incita.

27O homem depravado cava o mal,

e nos seus lábios há como que fogo ardente.

28O homem perverso espalha contendas,

e o difamador separa os maiores amigos.

29O homem violento alicia o seu companheiro

e guia-o por um caminho que não é bom.

30Quem fecha os olhos imagina o mal,

e, quando morde os lábios, o executa.

31Coroa de honra são as cãs,

quando se acham no caminho da justiça.

32Melhor é o longânimo do que o herói da guerra,

e o que domina o seu espírito, do que o que toma uma cidade.

33A sorte se lança no regaço,

mas do Senhor procede toda decisão.