Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
30

Acerca de votos

Dt 23.21-23

301Falou Moisés aos cabeças das tribos dos filhos de Israel, dizendo: Esta é a palavra que o Senhor ordenou: 2Quando um homem fizer voto

30.2
Mt 5.33
ao Senhor ou juramento para obrigar-se a alguma abstinência, não violará a sua palavra; segundo tudo o que prometeu, fará. 3Quando, porém, uma mulher fizer voto ao Senhor ou se obrigar a alguma abstinência, estando em casa de seu pai, na sua mocidade, 4e seu pai, sabendo do voto e da abstinência a que ela se obrigou, calar-se para com ela, todos os seus votos serão válidos; terá de observar toda a abstinência a que se obrigou. 5Mas, se o pai, no dia em que tal souber, o desaprovar, não será válido nenhum dos votos dela, nem lhe será preciso observar a abstinência a que se obrigou; o Senhor lhe perdoará, porque o pai dela a isso se opôs.

6Porém, se ela se casar, ainda sob seus votos ou dito irrefletido dos seus lábios, com que a si mesma se obrigou, 7e seu marido, ouvindo-o, calar-se para com ela no dia em que o ouvir, serão válidos os votos dela, e lhe será preciso observar a abstinência a que se obrigou. 8Mas, se seu marido o desaprovar no dia em que o ouvir e anular o voto que estava sobre ela, como também o dito irrefletido dos seus lábios, com que a si mesma se obrigou, o Senhor lho perdoará. 9No tocante ao voto da viúva ou da divorciada, tudo com que se obrigar lhe será válido.

10Porém, se fez voto na casa de seu marido ou com juramento se obrigou a alguma abstinência, 11e seu marido o soube, e se calou para com ela, e lho não desaprovou, todos os votos dela serão válidos; e lhe será preciso observar toda a abstinência a que a si mesma se obrigou. 12Porém, se seu marido lhos anulou no dia em que o soube, tudo quanto saiu dos lábios dela, quer dos seus votos, quer da abstinência a que a si mesma se obrigou, não será válido; seu marido lhos anulou, e o Senhor perdoará a ela. 13Todo voto e todo juramento com que ela se obrigou, para afligir a sua alma, seu marido pode confirmar ou anular. 14Porém, se seu marido, dia após dia, se calar para com ela, então, confirma todos os votos dela e tudo aquilo a que ela se obrigou, porquanto se calou para com ela no dia em que o soube. 15Porém, se lhos anular depois de os ter ouvido, responderá pela obrigação dela. 16São estes os estatutos que o Senhor ordenou a Moisés, entre o marido e sua mulher, entre o pai e sua filha moça se ela estiver em casa de seu pai.

31

A vitória sobre os midianitas

311Disse o Senhor a Moisés: 2Vinga os filhos de Israel dos midianitas; depois, serás recolhido ao teu povo. 3Falou, pois, Moisés ao povo, dizendo: Armai alguns de vós para a guerra, e que saiam contra os midianitas, para fazerem a vingança do Senhor contra eles. 4Mil homens de cada tribo entre todas as tribos de Israel enviareis à guerra. 5Assim, dos milhares de Israel foram dados mil de cada tribo: doze mil ao todo, armados para a guerra. 6Mandou-os Moisés à guerra, de cada tribo mil, a estes e a Fineias, filho do sacerdote Eleazar, o qual levava consigo os utensílios sagrados, a saber, as trombetas para o toque de rebate. 7Pelejaram contra os midianitas, como o Senhor ordenara a Moisés, 8e mataram todo homem feito. Mataram, além dos que já haviam sido mortos, os reis dos midianitas, Evi, Requém, Zur, Hur e Reba, cinco reis dos midianitas; também Balaão, filho de Beor, mataram à espada. 9Porém os filhos de Israel levaram presas as mulheres dos midianitas e as suas crianças; também levaram todos os seus animais, e todo o seu gado, e todos os seus bens. 10Queimaram-lhes todas as cidades em que habitavam e todos os seus acampamentos. 11Tomaram todo o despojo e toda a presa, tanto de homens como de animais. 12Trouxeram a Moisés, e ao sacerdote Eleazar, e à congregação dos filhos de Israel os cativos, e a presa, e o despojo, para o arraial, nas campinas de Moabe, junto do Jordão, na altura de Jericó.

O tratamento dos cativos

13Moisés, e Eleazar, o sacerdote, e todos os príncipes da congregação saíram a recebê-los fora do arraial. 14Indignou-se Moisés contra os oficiais do exército, capitães dos milhares e capitães das centenas, que vinham do serviço da guerra. 15Disse-lhes Moisés: Deixastes viver todas as mulheres? 16Eis que estas, por conselho de Balaão, fizeram prevaricar os filhos de Israel contra o Senhor, no caso de Peor,

31.16
Nm 25.1-3
pelo que houve a praga entre a congregação do Senhor. 17Agora, pois, matai, dentre as crianças, todas as do sexo masculino; e matai toda mulher que coabitou com algum homem, deitando-se com ele. 18Porém todas as meninas, e as jovens que não coabitaram com algum homem, deitando-se com ele, deixai-as viver para vós outros.

A purificação dos soldados e da presa

19Acampai-vos sete dias fora do arraial; qualquer de vós que tiver matado alguma pessoa e qualquer que tiver tocado em algum morto, ao terceiro dia e ao sétimo dia, vos purificareis, tanto vós como os vossos cativos. 20Também purificareis toda veste, e toda obra de peles, e toda obra de pelos de cabra, e todo artigo de madeira. 21Então, disse o sacerdote Eleazar aos homens do exército que partiram à guerra: Este é o estatuto da lei que o Senhor ordenou a Moisés. 22Contudo, o ouro, a prata, o bronze, o ferro, o estanho e o chumbo, 23tudo o que pode suportar o fogo fareis passar pelo fogo, para que fique limpo; todavia, se purificará com a água purificadora; mas tudo o que não pode suportar o fogo fareis passar pela água. 24Também lavareis as vossas vestes ao sétimo dia, para que fiqueis limpos; e, depois, entrareis no arraial.

A divisão da presa

25Disse mais o Senhor a Moisés: 26Faze a contagem da presa que foi tomada, tanto de homens como de animais, tu, e Eleazar, o sacerdote, e os cabeças das casas dos pais da congregação; 27divide a presa em duas partes iguais, uma para os que, hábeis na peleja, saíram à guerra, e a outra para toda a congregação. 28Então, para o Senhor tomarás tributo dos homens do exército que saíram a esta guerra, de cada quinhentas cabeças, uma, tanto dos homens como dos bois, dos jumentos e das ovelhas. 29Da metade que lhes toca o tomareis e o dareis ao sacerdote Eleazar, para a oferta do Senhor. 30Mas, da metade que toca aos filhos de Israel, tomarás, de cada cinquenta, um, tanto dos homens como dos bois, dos jumentos e das ovelhas, de todos os animais; e os darás aos levitas que têm a seu cargo o serviço do tabernáculo do Senhor. 31Moisés e o sacerdote Eleazar fizeram como o Senhor ordenara a Moisés.

32Foi a presa, restante do despojo que tomaram os homens de guerra, seiscentas e setenta e cinco mil ovelhas, 33setenta e dois mil bois, 34sessenta e um mil jumentos 35e trinta e duas mil pessoas, as mulheres que não coabitaram com homem algum, deitando-se com ele. 36E a metade, parte que toca aos que saíram à guerra, foi em número de trezentas e trinta e sete mil e quinhentas ovelhas. 37O tributo em ovelhas para o Senhor foram seiscentas e setenta e cinco. 38E foram os bois trinta e seis mil; e o seu tributo para o Senhor, setenta e dois. 39E foram os jumentos trinta mil e quinhentos; e o seu tributo para o Senhor, sessenta e um. 40As pessoas foram dezesseis mil; e o seu tributo para o Senhor, trinta e duas. 41Então, Moisés deu a Eleazar, o sacerdote, o tributo da oferta do Senhor, como este ordenara a Moisés. 42E, da metade que toca aos filhos de Israel, que Moisés separara da dos homens que pelejaram 43(a metade para a congregação foram, em ovelhas, trezentas e trinta e sete mil e quinhentas; 44em bois, trinta e seis mil; 45em jumentos, trinta mil e quinhentos; 46e, em pessoas, dezesseis mil), 47desta metade que toca aos filhos de Israel, Moisés tomou um de cada cinquenta, tanto de homens como de animais, e os deu aos levitas que tinham a seu cargo o serviço do tabernáculo do Senhor, como o Senhor ordenara a Moisés.

A oferta voluntária dos capitães

48Então, se chegaram a Moisés os oficiais sobre os milhares do exército, capitães sobre mil e capitães sobre cem, 49e lhe disseram: Teus servos fizeram a conta dos homens de guerra que estiveram sob as nossas ordens, e nenhum falta dentre eles e nós. 50Pelo que trouxemos uma oferta ao Senhor, cada um o que achou: objetos de ouro, ornamentos para o braço, pulseiras, sinetes, arrecadas e colares, para fazer expiação por nós mesmos perante o Senhor. 51Assim, Moisés e o sacerdote Eleazar receberam deles o ouro, sendo todos os objetos bem-trabalhados. 52Foi todo o ouro da oferta que os capitães de mil e os capitães de cem trouxeram ao Senhor dezesseis mil setecentos e cinquenta siclos. 53Pois cada um dos homens de guerra havia tomado despojo para si. 54Moisés e o sacerdote Eleazar receberam o ouro dos capitães de mil e dos capitães de cem e o trouxeram à tenda da congregação, como memorial para os filhos de Israel perante o Senhor.

32

Duas tribos e meia desejam habitar na Transjordânia

321Os filhos de Rúben e os filhos de Gade tinham gado em muitíssima quantidade; e viram a terra de Jazer e a terra de Gileade, e eis que o lugar era lugar de gado. 2Vieram, pois, os filhos de Gade e os filhos de Rúben e falaram a Moisés, e ao sacerdote Eleazar, e aos príncipes da congregação, dizendo: 3Atarote, Dibom, Jazer, Ninra, Hesbom, Eleale, Sebã, Nebo e Beom, 4a terra que o Senhor feriu diante da congregação de Israel é terra de gado; e os teus servos têm gado. 5Disseram mais: Se achamos mercê aos teus olhos, dê-se esta terra em possessão aos teus servos; e não nos faças passar o Jordão.

6Porém Moisés disse aos filhos de Gade e aos filhos de Rúben: Irão vossos irmãos à guerra, e ficareis vós aqui? 7Por que, pois, desanimais o coração dos filhos de Israel, para que não passem à terra que o Senhor lhes deu? 8Assim fizeram vossos pais, quando os enviei

32.8
Nm 13.17-29
de Cades-Barneia a ver esta terra. 9Chegando eles até ao vale de Escol e vendo a terra, descorajaram o coração dos filhos de Israel, para que não viessem à terra que o Senhor lhes tinha dado. 10Então, a ira do Senhor se acendeu naquele mesmo dia, e jurou, dizendo: 11Certamente, os varões
32.11
Nm 14.26-35
que subiram do Egito, de vinte anos para cima, não verão a terra que prometi com juramento a Abraão, a Isaque e a Jacó, porquanto não perseveraram em seguir-me, 12exceto Calebe, filho de Jefoné, o quenezeu, e Josué, filho de Num, porque perseveraram em seguir ao Senhor. 13Pelo que se acendeu a ira do Senhor contra Israel, e fê-los andar errantes pelo deserto quarenta anos, até que se consumiu toda a geração que procedera mal perante o Senhor. 14Eis que vós, raça de homens pecadores, vos levantastes em lugar de vossos pais, para aumentardes ainda o furor da ira do Senhor contra Israel. 15Se não quiserdes segui-lo, também ele deixará todo o povo, novamente, no deserto, e sereis a sua ruína.

16Então, se chegaram a ele e disseram: Edificaremos currais aqui para o nosso gado e cidades para as nossas crianças; 17porém nós nos armaremos, apressando-nos adiante dos filhos de Israel, até que os levemos ao seu lugar; e ficarão as nossas crianças nas cidades fortes, por causa dos moradores da terra. 18Não voltaremos para nossa casa até que os filhos de Israel estejam de posse, cada um, da sua herança. 19Porque não herdaremos com eles do outro lado do Jordão, nem mais adiante, porquanto já temos a nossa herança deste lado do Jordão, ao oriente. 20Então, Moisés lhes disse: Se isto fizerdes assim, se vos armardes para a guerra perante o Senhor, 21e cada um de vós, armado, passar o Jordão perante o Senhor, até que haja lançado fora os seus inimigos de diante dele, 22e a terra estiver subjugada perante o Senhor, então, voltareis e sereis desobrigados perante o Senhor e perante Israel; e a terra vos será por possessão perante o Senhor. 23Porém, se não fizerdes assim, eis que pecastes contra o Senhor; e sabei que o vosso pecado vos há de achar. 24Edificai vós cidades para as vossas crianças e currais para as vossas ovelhas; e cumpri o que haveis prometido. 25Então, os filhos de Gade e os filhos de Rúben falaram a Moisés, dizendo: Como ordena meu senhor, assim farão teus servos. 26Nossas crianças, nossas mulheres, nossos rebanhos e todos os nossos animais estarão aí nas cidades de Gileade, 27mas os teus servos passarão, cada um armado para a guerra, perante o Senhor, como diz meu senhor.

28Então, Moisés deu ordem a respeito deles a Eleazar, o sacerdote, e a Josué, filho de Num, e aos cabeças das casas dos pais das tribos dos filhos de Israel; 29e disse-lhes: Se os filhos de Gade e os filhos de Rúben passarem convosco o Jordão, armado cada um para a guerra, perante o Senhor, e a terra estiver subjugada diante de vós, então, lhes dareis em possessão a terra de Gileade; 30porém, se não passarem, armados, convosco, terão possessões entre vós na terra de Canaã. 31Responderam os filhos de Gade e os filhos de Rúben, dizendo: O que o Senhor disse a teus servos, isso faremos. 32Passaremos, armados, perante o Senhor à terra de Canaã e teremos a possessão de nossa herança deste lado do Jordão.

32.28-32
Dt 3.18-20
Js 1.12-15

Distribuição da Transjordânia

Dt 3.12-17

33Deu Moisés aos filhos de Gade, e aos filhos de Rúben, e à meia tribo de Manassés, filho de José, o reino de Seom, rei dos amorreus, e o reino de Ogue, rei de Basã: a terra com as cidades e seus distritos, as cidades em toda a extensão do país. 34Os filhos de Gade edificaram Dibom, Atarote e Aroer; 35Atarote-Sofã, Jazer e Jogbeá; 36Bete-Ninra e Bete-Harã, cidades fortificadas, e currais de ovelhas. 37Os filhos de Rúben edificaram Hesbom, Eleale e Quiriataim; 38Nebo e Baal-Meom, mudando-lhes o nome, e Sibma; e deram outros nomes às cidades que edificaram. 39Os filhos de Maquir, filho de Manassés, foram-se para Gileade, e a tomaram, e desapossaram os amorreus que estavam nela. 40Deu, pois, Moisés Gileade a Maquir, filho de Manassés, o qual habitou nela. 41Foi Jair, filho de Manassés, e tomou as suas aldeias; e chamou-lhes Havote-Jair. 42Foi Noba e tomou a Quenate com as suas aldeias; e chamou-lhe Noba, segundo o seu nome.