Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
15

Jesus perante Pilatos

Mt 27.1-2,11-26; Lc 23.1-7,13-25; Jo 18.28—19.16

151Logo pela manhã, entraram em conselho os principais sacerdotes com os anciãos, os escribas e todo o Sinédrio; e, amarrando a Jesus, levaram-no e o entregaram a Pilatos. 2Pilatos o interrogou: És tu o rei dos judeus? Respondeu Jesus: Tu o dizes. 3Então, os principais sacerdotes o acusavam de muitas coisas. 4Tornou Pilatos a interrogá-lo: Nada respondes? Vê quantas acusações te fazem! 5Jesus, porém, não respondeu palavra, a ponto de Pilatos muito se admirar.

6Ora, por ocasião da festa, era costume soltar ao povo um dos presos, qualquer que eles pedissem. 7Havia um, chamado Barrabás, preso com amotinadores, os quais em um tumulto haviam cometido homicídio. 8Vindo a multidão, começou a pedir que lhes fizesse como de costume. 9E Pilatos lhes respondeu, dizendo: Quereis que eu vos solte o rei dos judeus? 10Pois ele bem percebia que por inveja os principais sacerdotes lho haviam entregado. 11Mas estes incitaram a multidão no sentido de que lhes soltasse, de preferência, Barrabás. 12Mas Pilatos lhes perguntou: Que farei, então, deste a quem chamais o rei dos judeus? 13Eles, porém, clamavam: Crucifica-o! 14Mas Pilatos lhes disse: Que mal fez ele? E eles gritavam cada vez mais: Crucifica-o! 15Então, Pilatos, querendo contentar a multidão, soltou-lhes Barrabás; e, após mandar açoitar a Jesus, entregou-o para ser crucificado.

Jesus entregue aos soldados

Mt 27.27-31

16Então, os soldados o levaram para dentro do palácio, que é o pretório, e reuniram todo o destacamento. 17Vestiram-no de púrpura e, tecendo uma coroa de espinhos, lha puseram na cabeça. 18E o saudavam, dizendo: Salve, rei dos judeus! 19Davam-lhe na cabeça com um caniço, cuspiam nele e, pondo-se de joelhos, o adoravam. 20Depois de o terem escarnecido, despiram-lhe a púrpura e o vestiram com as suas próprias vestes. Então, conduziram Jesus para fora, com o fim de o crucificarem.

Simão leva a cruz de Jesus

Mt 27.32; Lc 23.26

21E obrigaram a Simão Cireneu, que passava, vindo do campo, pai de Alexandre e de Rufo,

15.21
Rm 16.13
a carregar-lhe a cruz.

A crucificação

Mt 27.33-44; Lc 23.33-43; Jo 19.17-24

22E levaram Jesus para o Gólgota, que quer dizer Lugar da Caveira. 23Deram-lhe a beber vinho com mirra; ele, porém, não tomou. 24Então, o crucificaram e repartiram entre si as vestes dele,

15.24
Sl 22.18
lançando-lhes sorte, para ver o que levaria cada um. 25Era a hora terceira quando o crucificaram. 26E, por cima, estava, em epígrafe, a sua acusação: O Rei dos Judeus. 27Com ele crucificaram dois ladrões, um à sua direita, e outro à sua esquerda. 28[E cumpriu-se a Escritura que diz:

Com malfeitores foi contado.

15.28
Is 53.12
]

29Os que iam passando, blasfemavam dele, meneando a cabeça
15.29
Mc 14.58
Jo 2.19
e dizendo: Ah! Tu que destróis o santuário
15.29
Sl 22.7
109.25
e, em três dias, o reedificas! 30Salva-te a ti mesmo, descendo da cruz! 31De igual modo, os principais sacerdotes com os escribas, escarnecendo, entre si diziam: Salvou os outros, a si mesmo não pode salvar-se; 32desça agora da cruz o Cristo, o rei de Israel, para que vejamos e creiamos.

Também os que com ele foram crucificados o insultavam.

A morte de Jesus

Mt 27.45-56; Lc 23.44-49; Jo 19.28-30

33Chegada a hora sexta, houve trevas sobre toda a terra até a hora nona. 34À hora nona, clamou Jesus em alta voz: Eloí, Eloí, lamá sabactâni? Que quer dizer: Deus meu, Deus meu,

15.34
Sl 22.1
por que me desamparaste? 35Alguns dos que ali estavam, ouvindo isto, diziam: Vede, chama por Elias! 36E um deles correu a embeber uma esponja em vinagre
15.36
Sl 69.21
e, pondo-a na ponta de um caniço, deu-lhe de beber, dizendo: Deixai, vejamos se Elias vem tirá-lo! 37Mas Jesus, dando um grande brado, expirou. 38E o véu
15.38
Êx 26.31-33
do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo. 39O centurião que estava em frente dele, vendo que assim expirara, disse: Verdadeiramente, este homem era o Filho de Deus.

40Estavam também ali algumas mulheres, observando de longe; entre elas, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, o menor, e de José, e Salomé; 41as quais, quando Jesus estava na Galileia, o acompanhavam e serviam; e, além destas, muitas outras que haviam subido com ele para Jerusalém.

15.40-41
Lc 8.2-3

O sepultamento de Jesus

Mt 27.57-61; Lc 23.50-56; Jo 19.38-42

42Ao cair da tarde, por ser o dia da preparação, isto é, a véspera do sábado, 43vindo José de Arimateia, ilustre membro do Sinédrio, que também esperava o reino de Deus, dirigiu-se resolutamente a Pilatos e pediu o corpo de Jesus. 44Mas Pilatos admirou-se de que ele já tivesse morrido. E, tendo chamado o centurião, perguntou-lhe se havia muito que morrera. 45Após certificar-se, pela informação do comandante, cedeu o corpo a José. 46Este, baixando o corpo da cruz, envolveu-o em um lençol que comprara e o depositou em um túmulo que tinha sido aberto numa rocha; e rolou uma pedra para a entrada do túmulo. 47Ora, Maria Madalena e Maria, mãe de José, observaram onde ele foi posto.

16

A ressurreição de Jesus

Mt 28.1-10; Lc 24.1-12; Jo 20.1-10

161Passado o sábado, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem embalsamá-lo. 2E, muito cedo, no primeiro dia da semana, ao despontar do sol, foram ao túmulo. 3Diziam umas às outras: Quem nos removerá a pedra da entrada do túmulo? 4E, olhando, viram que a pedra já estava removida; pois era muito grande. 5Entrando no túmulo, viram um jovem assentado ao lado direito, vestido de branco, e ficaram surpreendidas e atemorizadas. 6Ele, porém, lhes disse: Não vos atemorizeis; buscais a Jesus, o Nazareno, que foi crucificado; ele ressuscitou, não está mais aqui; vede o lugar onde o tinham posto. 7Mas ide, dizei a seus discípulos e a Pedro que ele vai adiante de vós para a Galileia;

16.7
Mt 26.32
Mc 14.28
lá o vereis, como ele vos disse. 8E, saindo elas, fugiram do sepulcro, porque estavam possuídas de temor e de assombro; e, de medo, nada disseram a ninguém.

Jesus aparece a Maria Madalena

Jo 20.11-18

9Havendo ele ressuscitado de manhã cedo no primeiro dia da semana, apareceu primeiro a Maria Madalena, da qual expelira sete demônios. 10E, partindo ela, foi anunciá-lo àqueles que, tendo sido companheiros de Jesus, se achavam tristes e choravam.

11Estes, ouvindo que ele vivia e que fora visto por ela, não acreditaram.

Jesus aparece a dois de seus discípulos

Lc 24.13-35

12Depois disto, manifestou-se em outra forma a dois deles que estavam de caminho para o campo. 13E, indo, eles o anunciaram aos demais, mas também a estes dois eles não deram crédito.

A ordem para a evangelização

14Finalmente, apareceu Jesus aos onze, quando estavam à mesa, e censurou-lhes a incredulidade e dureza de coração, porque não deram crédito aos que o tinham visto já ressuscitado. 15E disse-lhes: Ide por todo o mundo

16.15
At 1.8
e pregai o evangelho a toda criatura. 16Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado. 17Estes sinais hão de acompanhar aqueles que creem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; 18pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados.

A ascensão de Jesus

Lc 24.50-53; At 1.6-11

19De fato, o Senhor Jesus, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu e assentou-se à destra de Deus. 20E eles, tendo partido, pregaram em toda parte, cooperando com eles o Senhor e confirmando a palavra por meio de sinais, que se seguiam.