Almeida Revista e Atualizada (1993) (ARA)
2

A visita dos magos

21Tendo Jesus nascido em Belém da Judeia, em dias do rei Herodes, eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém. 2E perguntavam: Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos para adorá-lo. 3Tendo ouvido isso, alarmou-se o rei Herodes, e, com ele, toda a Jerusalém; 4então, convocando todos os principais sacerdotes e escribas do povo, indagava deles onde o Cristo deveria nascer. 5Em Belém da Judeia, responderam eles, porque assim está escrito por intermédio do profeta:

6E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre as principais de Judá; porque de ti sairá o Guia que há de apascentar a meu povo, Israel.

2.6
Mq 5.2

7Com isto, Herodes, tendo chamado secretamente os magos, inquiriu deles com precisão quanto ao tempo em que a estrela aparecera. 8E, enviando-os a Belém, disse-lhes: Ide informar-vos cuidadosamente a respeito do menino; e, quando o tiverdes encontrado, avisai-me, para eu também ir adorá-lo. 9Depois de ouvirem o rei, partiram; e eis que a estrela que viram no Oriente os precedia, até que, chegando, parou sobre onde estava o menino. 10E, vendo eles a estrela, alegraram-se com grande e intenso júbilo. 11Entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se, o adoraram; e, abrindo os seus tesouros, entregaram-lhe suas ofertas: ouro, incenso e mirra. 12Sendo por divina advertência prevenidos em sonho para não voltarem à presença de Herodes, regressaram por outro caminho a sua terra.

A fuga para o Egito

13Tendo eles partido, eis que apareceu um anjo do Senhor a José, em sonho, e disse: Dispõe-te, toma o menino e sua mãe, foge para o Egito e permanece lá até que eu te avise; porque Herodes há de procurar o menino para o matar. 14Dispondo-se ele, tomou de noite o menino e sua mãe e partiu para o Egito; 15e lá ficou até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor, por intermédio do profeta:

Do Egito chamei o meu Filho.

2.15
Os 11.1

A matança dos inocentes

16Vendo-se iludido pelos magos, enfureceu-se Herodes grandemente e mandou matar todos os meninos de Belém e de todos os seus arredores, de dois anos para baixo, conforme o tempo do qual com precisão se informara dos magos. 17Então, se cumpriu o que fora dito por intermédio do profeta Jeremias:

18Ouviu-se um clamor em Ramá, pranto, [choro] e grande lamento; era Raquel chorando por seus filhos e inconsolável porque não mais existem.

2.18
Jr 31.15

A volta do Egito

19Tendo Herodes morrido, eis que um anjo do Senhor apareceu em sonho a José, no Egito, e disse-lhe: 20Dispõe-te, toma o menino e sua mãe e vai para a terra de Israel; porque já morreram os que atentavam contra a vida do menino. 21Dispôs-se ele, tomou o menino e sua mãe e regressou para a terra de Israel. 22Tendo, porém, ouvido que Arquelau reinava na Judeia em lugar de seu pai Herodes, temeu ir para lá; e, por divina advertência prevenido em sonho, retirou-se para as regiões da Galileia. 23E foi habitar numa cidade chamada Nazaré, para que se cumprisse o que fora dito por intermédio dos profetas:

Ele será chamado Nazareno.

2.23
Is 11.1

3

A pregação de João Batista

Mc 1.2-6; Lc 3.1-9

31Naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judeia e dizia: 2Arrependei-vos,

3.2
Mt 4.17
Mc 1.15
porque está próximo o reino dos céus.
3.2
Dn 2.44
3Porque este é o referido por intermédio do profeta Isaías:

Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.

3.3
Is 40.3

4Usava João vestes
3.4
2Rs 1.8
de pelos de camelo e um cinto de couro; a sua alimentação eram gafanhotos e mel silvestre. 5Então, saíam a ter com ele Jerusalém, toda a Judeia e toda a circunvizinhança do Jordão; 6e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados. 7Vendo ele, porém, que muitos fariseus e saduceus vinham ao batismo, disse-lhes: Raça de víboras,
3.7
Mt 23.33
quem vos induziu a fugir da ira vindoura? 8Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento; 9e não comeceis a dizer entre vós mesmos: Temos por pai a Abraão;
3.9
Jo 8.33
porque eu vos afirmo que destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão. 10Já está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore,
3.10
Mt 7.19
pois, que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo.

João dá testemunho de Cristo

Mc 1.7-8; Lc 3.15-17; Jo 1.19-28

11Eu vos batizo com3.11 com; ou em água, para3.11 para; ou à vista de arrependimento; mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu, cujas sandálias não sou digno de levar. Ele vos batizará com3.11 com; ou em o Espírito Santo e com fogo. 12A sua pá, ele a tem na mão e limpará completamente a sua eira; recolherá o seu trigo no celeiro, mas queimará a palha em fogo inextinguível.

O batismo de Jesus

Mc 1.9-11; Lc 3.21-22; Jo 1.32-34

13Por esse tempo, dirigiu-se Jesus da Galileia para o Jordão, a fim de que João o batizasse. 14Ele, porém, o dissuadia, dizendo: Eu é que preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim? 15Mas Jesus lhe respondeu: Deixa por enquanto, porque, assim, nos convém cumprir toda a justiça. Então, ele o admitiu. 16Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. 17E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado,

3.17
Mt 12.18
17.5
Mc 9.7
Lc 9.35
em quem me comprazo.
3.17
Is 42.1

4

A tentação de Jesus

Mc 1.12-13; Lc 4.1-13

41A seguir, foi Jesus levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado

4.1
Hb 2.18
4.15
pelo diabo. 2E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome. 3Então, o tentador, aproximando-se, lhe disse: Se és Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães. 4Jesus, porém, respondeu: Está escrito:

Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus.

4.4
Dt 8.3

5Então, o diabo o levou à Cidade Santa, colocou-o sobre o pináculo do templo 6e lhe disse: Se és Filho de Deus, atira-te abaixo, porque está escrito:

Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem;

4.6
Sl 91.11

e:

Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra.

4.6
Sl 91.12

7Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito:

Não tentarás o Senhor, teu Deus.

4.7
Dt 6.16

8Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles 9e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. 10Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito:

Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto.

4.10
Dt 6.13

11Com isto, o deixou o diabo, e eis que vieram anjos e o serviram.

Jesus volta para a Galileia

Mc 1.14-15; Lc 4.14-15

12Ouvindo, porém, Jesus que João

4.12
Mt 14.3
Mc 6.17
Lc 3.19-20
fora preso, retirou-se para a Galileia; 13e, deixando Nazaré, foi morar em Cafarnaum,
4.13
Jo 2.12
situada à beira-mar, nos confins de Zebulom e Naftali; 14para que se cumprisse o que fora dito por intermédio do profeta Isaías:

15Terra de Zebulom, terra de Naftali, caminho do mar, além do Jordão, Galileia dos gentios!

16O povo que jazia em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região e sombra da morte resplandeceu-lhes a luz.

4.15-16
Is 9.1-2

17Daí por diante, passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos,
4.17
Mt 3.2
porque está próximo o reino dos céus.
4.17
Dn 2.44

A vocação de discípulos

Mc 1.16-20; Lc 5.1-11

18Caminhando junto ao mar da Galileia, viu dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, que lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores. 19E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens. 20Então, eles deixaram imediatamente as redes e o seguiram. 21Passando adiante, viu outros dois irmãos, Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no barco em companhia de seu pai, consertando as redes; e chamou-os. 22Então, eles, no mesmo instante, deixando o barco e seu pai, o seguiram.

Jesus prega por toda a Galileia e cura muitos enfermos

Lc 6.17-19

23Percorria Jesus toda a Galileia,

4.23
Mt 9.35
Mc 1.39
Lc 4.44
ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades entre o povo. 24E a sua fama correu por toda a Síria; trouxeram-lhe, então, todos os doentes, acometidos de várias enfermidades e tormentos: endemoninhados, lunáticos e paralíticos. E ele os curou. 25E da Galileia, Decápolis, Jerusalém, Judeia e dalém do Jordão numerosas multidões o seguiam.